sexta-feira, 24 de maio de 2019

Votei em Fernando Rodolfo, perdi meu voto e meu tempo na urna

Gil Macedo, Fernando Rodolfo, Cláudio André e Gláucio Dória

O deputado federal que votei na eleição passada, tornou-se uma negação política, uma mentira em puro declínio.

Na época, os radialistas bonconselhenses, Cláudio André, Gláucio Dória e Gil Macedo, juntamente com o sindicato dos professores de Bom Conselho, decidiram votar em Fernando Rodolfo para ocupar uma vaga na Câmara Federal.

O tal candidato, obteve 1. 070 votos sem gastar nada na terra de Papa caça. É impressionante, como ele vem se comportando depois que ganhou.

Pelo jeito, os 52 mil e 824 eleitores que votaram nele, estão sendo passados para trás, estão sendo ludibriados, até por que, quem votou em Fernando Rodolfo, foi pelo idealismo que o mesmo tanto pregou nos quatro cantos do estado de Pernambuco.


O seu discurso durante a campanha era inflamado, contundente, promissor, cheio de entusiasmo, empolgante, narrativo, como fazia no período de TV, etc.

Nos últimos dias, lí nos blogs dos nobres e respeitados jornalistas, Carlos Eugênio, Roberto Almeida, Kleber Cisneiros, as seguintes manchetes:

Fernando Rodolfo vem Forte para Disputa pela Prefeitura de Caruaru


Pera aí, quer dizer, que os eleitores de Bom Conselho, Garanhuns e tantos outros municípios de Pernambuco, votaram num candidato para deputado federal e ele já quer ser candidato a prefeito de Caruaru?

FERNANDO RODOLFO AJUDA A DERROTAR SÉRGIO MORO


E na eleição para presidente, Fernando Rodolfo num pedia votos e defendia Bolsonaro? Quer dizer que o idealismo impregnado durante a campanha foi "fogo de monturo"? Afinal, que político escolhemos para nos representar em Brasília?

Quer dizer que todos os 52 mil e 824 eleitores se enganaram, votaram errado, fizeram uma mal escolha?

Por mim, eleitor que tem vergonha na cara, nunca mais Fernando Rodolfo. Perdeu minha confiança. Perdeu a credibilidade.

Os colegas de imprensa que conversei e que votaram no jornalista-político, estão unicamente decepcionados, especialmente os primeiros colegas que abriram espaços nos seus meios de comunicação, quando ele, Rodolfo, nem, era candidato oficialmente ainda.

Só falta agora o senhor deputado, que antes na TV batia no governador Paulo Câmara, está na mesma canoa que ele, navegando pelas ondas do "ilusionismo político".

Essa é minha opinião e ponto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário