terça-feira, 26 de março de 2019

Priscila Krause visita canteiro das obras da BR-101 e revela que requalificação já gastou recursos federais e depende agora da contrapartida do governo de PE


A deputada estadual Priscila Krause (DEM) repercutiu na tribuna da Assembleia Legislativa, na sessão desta terça-feira (26), visita que realizou na tarde de ontem a um dos canteiros da obra de requalificação da BR-101 no contorno do Recife. De acordo com a parlamentar, que revelou em 2015 que o governo de Pernambuco tinha em conta, desde dezembro de 2012, R$ 125,2 milhões para realização da obra, a reta final da intervenção – iniciada em 2017 – dependerá de recursos do tesouro estadual, já que praticamente todos os R$ 135 milhões pagos ao consórcio responsável tiveram como fonte o repasse da União.

Depositados em conta investimento do Banco do Brasil, os R$ 125,2 milhões repassados especificamente pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) em 2012 referem-se a 80,5% do valor pactuado como de responsabilidade da esfera federal (R$ 156,12 milhões), enquanto R$ 35,74 milhões cabem ao governo de Pernambuco. Como os recursos ficaram paralisados desde dezembro de 2012 até maio de 2017, tais valores foram incrementados com os rendimentos mensais, somando mais de R$ 40 milhões de ganhos.


“Enquanto se faz a discussão entre órgãos de controle e governo a respeito da utilização desses rendimentos, que a priori precisam ser devolvidos à União, é preciso que o governo de Pernambuco entre com sua parte, de quase trinta e seis milhões de reais, para que a obra seja finalizada como a sociedade há tanto tempo espera. A contrapartida do estado é uma pactuação que precisa ser respeitada para a obra ser finalizada”, registrou. Enquanto no início das obras havia em conta R$ 182 milhões dos recursos federais, no final de 2018 esse saldo era de R$ 57 milhões, sinalizando que os R$ 125 milhões repassados pelo DNIT já foram utilizados.

Em vídeo postado nas redes sociais, Priscila Krause também anunciou que oficiou os Tribunais de Contas da União e do Estado no início dessa tarde para que se pronunciem, de acordo com as auditorias que realizam em torno dessa intervenção, sobre a qualidade do recapeamento asfáltico e da drenagem realizada, visto que despachos e relatórios já apresentados pelos órgãos de controle revelam indícios de que os serviços não seguem os padrões de necessários. A parlamentar apontou ainda a importância de que todos os serviços previstos inicialmente sejam cumpridos como previsto, a exemplo da sinalização vertical, do acostamento, das paradas de ônibus, das 19 alças e dos 12 trechos de pistas marginais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário