segunda-feira, 28 de maio de 2018

Gosto de Sampa – Boa Tarde II



Givaldo Calado de Freitas *


Gostei muito da comida mexicana. Apimentada, como gosto. A japonesa, nem sei. Emília não me deixou provar. Dancei. Portanto, não sei.

A mexicana, quando chegou à ordem em contrário, eu já estava longe. E gostando. Daí eu poder dizer: que delícia!

De lá do “Taco Bell”, fomos para a “Haägen-Dazs” tomar sorvetes. Que maravilha o sorvete alemão!

Pensei: “Será porque, dentre outras, Hitler deixou a Áustria para poder tomar sorvete na Alemanha?”, devaneei... Do outro lado da linha, lá de Austin, atenta, Giovanna liga pra mim: “Painho, a ‘Haägen-Dazs’ não é alemã, não. É americana!”. “Então os motivos de Hitler foram outros, minha filha”. Os sorvetes em nada interferiram na decisão de Hitler de deixar sua pátria.


Voltamos ao Maksoud para descansar um pouco, e seguir estrada logo mais. Não sem antes conferir a agenda sob a guarda de Gui. Afinal, descansar também é preciso. Até para poder aproveitar mais. Com as forças renovadas.

Nos aposentos, Gui conferia tudo. Assinalava por onde tínhamos passado. Enfim, organizava tudo.

Eu, feliz da vida, observava tudo, mas sem dizer nada. Nadinha. Nem eu, nem Emília. “Deixa-o agir sozinho”, dizia. “Deixa-o crescer sem vigília explícita. Mas, claro, sempre sob nossos olhares. Como fizemos, aliás, com nossos filhos”, disse a Emília.


* Figura pública. Empresário.

Nenhum comentário:

Postar um comentário