quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

Garanhuns recebe seminário com o tema: prevenção ao suicídio


A Secretaria Municipal de Saúde de Garanhuns realizou, nesta quarta-feira (21), o I Seminário de Prevenção ao Suicídio, que aconteceu no auditório do Serviço Social do Comércio (Sesc), com o slogan: “Juntos contra o suicídio e a favor da vida”.

A discussão vem em um momento em que o município registra índices preocupantes de casos de suicídio, tendo como público-alvo os profissionais das mais diversas áreas que compõem a Rede Municipal de Saúde, além de servidores das demais pastas, Conselhos Municipais, 71° Batalhão de Infantaria Motorizado (71° BIMtz), Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, instituições religiosas e de ensino.

Os debates tiveram início com a palestra “Suicídio: Informar para prevenir”, com o psiquiatra e professor da Universidade de Pernambuco (UPE Campus Garanhuns), Franco Junqueira, que em sua fala, abordou os principais sinais de uma pessoa acometida por pensamentos suicidas. “O principal fator de risco são as doenças psiquiátricas, como a depressão ou a esquizofrenia. E também o abuso de álcool e drogas. Essas são as principais causas não só no Brasil, mas no mundo todo”, afirmou.


Seguindo os debates com a palestra: “o suicídio como um problema de saúde pública”, com o professor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e doutor em Saúde Pública pela Universidade de São Paulo (USP), João Luís da Silva, o público pode interagir ainda mais. O profissional pontuou os dados relacionados ao suicídio no Brasil.

O médico intensivista Ulisses Pereira e a enfermeira Maria Edilza da Silva, que integram a equipe da Secretaria Municipal de Saúde, trataram do tema “Orientações sobre a importância da notificação de violência interpessoal/autoprovocada”, por meio do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), que permite um diagnóstico dinâmico da ocorrência de doenças e agravos na população.

O evento foi encerrado com a palestra “A valorização da vida”, com o padre José Emerson Alves, que também atua como professor da Faculdade de Direito de Garanhuns (FDG) e diretor do Colégio Diocesano de Garanhuns.

Garanhuns dispõe de vários profissionais capacitados à orientação nos dois Centros de Atenção Psicossocial (Caps), além das equipes das Unidades Básicas de Saúde (UBS’s), que contam com psicólogos do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (Nasf), e funcionam de segunda a sexta-feira, de 8h às 16h. ”É preciso abrir essa discussão para toda Rede de Saúde, pois muitos casos podem ser detectados ainda nas unidades; antes de chegar a nossa equipe do Caps”, afirmou o coordenador de Saúde Mental, Raimundo Pedrosa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário