quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

Bono Vox: vocalista do U2 vem ao Brasil para julgamento de Lula

Bono Vox, Lula e Bill Gates

O senador Roberto Requião (PMDB-PR) afirmou nessa segunda-feira (18) que o vocalista da banda U2, Bono Vox, deverá viajar a Porto Alegre para acompanhar o julgamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O julgamento do petista é em relação ao caso do tríplex de Guarujá e está agendado para o dia 24 de janeiro.

Segundo o senador, Vox já confirmou participação em "atos pela defesa da democracia", bem como o ex-presidente do Uruguai Pepe Mujica".


Bono Vox, Bill Gates e Lula

Outras presenças


Requião ainda afirmou que o senador americano Bernie Sanders também poderá confirmar presença no que chama de 'Fórum Social Mundial Extraordinário'.


Bernie Sanders

Julgamento


O Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF4) marcou para o dia 24 de janeiro o julgamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na Operação Lava Jato. Lula foi condenado pelo juiz federal Sérgio Moro a 9 anos e 6 meses por corrupção e lavagem de dinheiro em 1.ª instância, em 12 de julho, no caso triplex.

O TRF4 é o tribunal de apelação. O desembargador João Pedro Gebran Neto, relator da ação penal, já concluiu seu voto, mas ainda não o tornou público.

O terceiro juiz da 8.ª Turma do TRF4, que cuida das ações relativas à Lava Jato, desembargador Victor Luiz dos Santos Laus, também poderá ler seu voto na sessão. Se ele pedir vista, no entanto, o julgamento poderá ser adiado.

O ex-presidente foi condenado pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro supostamente recebido da empreiteira OAS por meio de reforma e melhorias no apartamento tríplex situado no Guarujá, litoral paulista.

A defesa de Lula tem reclamado enfaticamente do ritmo acelerado adotado pela Justiça na ação contra o ex-presidente. Segundo os advogados do petista, ele é alvo de "lawfare", uso indevido dos procedimentos jurídicos para persegui-lo politicamente.

No mérito, a defesa nega veementemente envolvimento de Lula em irregularidades. O ex-presidente é alvo de outros dois processos criminais na Lava Jato no Paraná, sob condução do juiz Moro. (Jornal do Commercio)

Nenhum comentário:

Postar um comentário