quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Distrito de São Pedro recebe ação itinerante da Secretaria de Saúde de Garanhuns

A secretária de Saúde, Shisneyda Furtado, ouvindo a população do distrito de São Pedro

A coordenação da Secretaria de Saúde de Garanhuns esteve na manhã desta terça-feira (22), no distrito de São Pedro com a “Secretaria Municipal de Saúde nos Bairros”, ação itinerante que busca ouvir as críticas e elogios da população acerca das Unidades Básicas de Saúde (UBS’s) e serviços que a secretaria oferece. A secretária de Saúde, Shisneyda Furtado, participou da ocasião na Unidade Básica de Saúde (UBS) São Pedro.

A coordenadora de Atenção Básica, Anne Araújo, explicou o intuito da iniciativa. “Estamos fazendo a ação em São Pedro como um momento em que podemos ouvir a população, saber das suas angústias e suas solicitações. Nós estamos anotando tudo e vamos encaminhar aos devidos setores competentes”, explicou. Durante a ocasião, estiveram presentes os setores de Atenção Básica, Regulação, Vigilância, Cesmuc, Farmácia, entre outros.


Maria Quitéria, de 34 anos de idade, é moradora do distrito e falou sobre a visita. “Achei maravilhoso a secretária vir fazer essa pesquisa em São Pedro. Mostra que o pessoal está se preocupando com a população, com o nosso bem estar e com a nossa saúde. Espero que eles possam nos ajudar no que a gente precisa”, afirmou.

Além da população, a equipe da secretaria também deu espaço aos servidores. Agente Comunitária de Saúde (ACS) do Sítio Papa Terra - atendido pela UBS São Pedro, Lúcia Barros, comentou sobre a presença das equipes. “Gostei muito dessa visita dos coordenadores. Espero que continuem vindo, é muito importante para nós, servidores, e para população. Para nossa área, eu pedi um ponto de apoio”, finalizou.

A Secretaria de Saúde informa que a próxima unidade a ser visitada será a UBS Boa Vista II, localizada no Vale do Mundaú, no dia 30 de agosto. (Secom)

Garanhuns Homenageia José Márcio Leão


O Governo Municipal de Garanhuns realiza nessa quinta-feira, dia 24, uma significativa homenagem ao atleta José Márcio Leão, vencedor da Meia Maratona Internacional do Rio de Janeiro, no último domingo, dia 20.

José Márcio e os demais corredores da equipe de atletismo do Município participarão de um desfile pelas principais ruas da Cidade. Os corredores sairão do Relógio de Flores, pontualmente, às 10h, com destino à sede da Prefeitura, onde Leão será recebido e homenageado pelo Prefeito Izaías Régis, em nome de todos os garanhuenses.

Viaturas e motocicletas da AMSTT realizarão o apoio durante o deslocamento, cujo percurso será o seguinte: Avenida Rui Barbosa; rua Quinze de Novembro; rua Dantas Barreto; Rua Barão do Rio Branco e Avenida Santo Antônio. “Será o momento em que o Campeão receberá o calor humano da população”, pontua Carlos Eugênio, secretário de Juventude, Esportes e Lazer. José Márcio Leão e os demais corredores da equipe de Atletismo de Garanhuns contam com o apoio do Governo Municipal. (Secom)

terça-feira, 22 de agosto de 2017

Semana da Pessoa com Deficiência é aberta oficialmente, em Garanhuns

O coordenador do Comud José Juca, o vice-prefeito Haroldo Vicente e a vereadora Betânia da Ação Social

Em Garanhuns, a Semana da Pessoa com Deficiência foi aberta, oficialmente, nesta segunda-feira (21). A cerimônia, realizada na Câmara de Vereadores, reuniu diversas autoridades, entre elas o vice-prefeito Haroldo Vicente, a vereadora Betânia Monteiro – que na ocasião representou a presidente da Casa Raimundo de Moraes –, o coordenador do Comud, José Juca, e a titular da Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos (SASDH), Maria Célia Sobral. A programação alusiva segue até a próxima segunda-feira (28) e mobilizará diversas entidades locais.

A data é vivenciada há seis anos no município e tem o objetivo de sensibilizar e conscientizar a sociedade, além dos órgãos públicos e privados, sobre os direitos fundamentais, especialmente o direito à cidadania das pessoas com deficiência. As ações têm como temática principal, neste ano, “Calçadas: direito fundamental de ir e vir” – numa oportunidade de tornar públicos os programas e as políticas públicas praticadas regionalmente.

Na ocasião de abertura, os presentes acompanharam o pronunciamento das autoridades que compuseram a mesa oficial e a leitura de um poema em homenagem ao público, escrito e interpretado pelo poeta Sandoval Ferreira. A arquiteta e urbanista Juliana Santos, mestra em Desenvolvimento Urbano, doutoranda em Arquitetura e, atualmente, diretora do Departamento de Planejamento e Gestão da Prefeitura de Garanhuns, encerrou o momento com uma palestra sobre o tema central da Semana.

A partir da tarde de hoje, os Centros de Referência de Assistência Social (Cras’s) iniciam a execução de suas programações. As secretarias de Educação e de Saúde também vão desenvolver atividades específicas para sensibilizar a todos, entre as atividades estão oficinas, palestras, mesas de debate e apresentações culturais. (Secom)

Câmara de vereadores de Garanhuns faz homenagem ao vereador Alcindo Correia pelos seus 50 anos de vida


O Blog do Cisneiros dá os Parabéns ao vereador Alcindo Correia, que na última sexta-feira 18 de Agosto de 2017, completou 50 Anos de Vida.

Em alusão aos 50 Anos do Vereador, no mesmo dia ocorreu solenidade em sua homenagem na câmara dos vereadores, onde esteve presentes a maioria dos seus colegas vereadores, o deputado estadual Silvio Costa Filho, de quem nutre uma relação muito próxima de amizade, o vice-prefeito Haroldo Vicente, o qual também representou o prefeito Izaías Régis, vários secretários municipais, além de e muitos amigos e familiares.

"Agradeço a precedente Carla de Zé de Vilaço por me presentear com essa solenidade, que era um sonho que eu tinha, de fazer aniversário no dia de uma reunião ordinária, quero desde já agradecer a todos os meus pares, familiares e amigos que me prestigiaram nesse momento impar da minha vida, que foi a passagem deste meio século de vida, muito obrigado a todos" frisou o vereador Alcindo Correia.

Na ocasião, além dos discursos dos colegas vereadores, dos amigos Haroldo e Silvinho, discursaram o seu filho Alcindo Filho, em nome de toda a família, e o próprio Alcindo, onde contando toda sua trajetória política, até os dias de hoje, momentos chegou a emocionar a todos os ali presentes em muitos momentos.













Voto distrital misto é a salvação da política no Brasil, diz ministro Barroso

O ministro Luís Roberto Barroso em sessão no STF

O ministro Luís Roberto Barroso, do STF (Supremo Tribunal Federal), vê o fundo público de R$ 3,6 bilhões proposto na reforma política como símbolo máximo da falta de sintonia do Congresso Nacional com a população.

Mas lembra que os dois principais símbolos de outro modelo, o do financiamento eleitoral privado, estão presos —numa referência indireta ao empreiteiro Marcelo Odebrecht e ao ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

À Folha Barroso defende que as campanhas sejam bancadas por doações de pessoas físicas. E se mostra até favorável à aprovação do "indesejável distritão": mas só se essa for a condição para se adotar o sistema distrital misto.

Folha - De que reforma política o Brasil precisa?

Luís Roberto Barroso - O Brasil precisa desesperadamente de uma reforma que, no sistema eleitoral, tenha três objetivos: baratear o custo das eleições, aumentar a representatividade no Legislativo e facilitar a governabilidade. O sistema atual é muito ruim, frauda a vontade do eleitor.

Qual seria a solução?

Acho boa a proposta do voto distrital misto. Divide a circunscrição em quantos distritos forem o número de cadeiras na Câmara. São Paulo, por exemplo, terá 70 distritos, e aí o político faz campanha num espaço delimitado. Acredito que pode ser a salvação da política no Brasil. Barateia a eleição e você pode verificar como foi o desempenho do seu candidato.

Além disso, o Senado já aprovou a cláusula de barreira e a proibição de coligação em eleições proporcionais. É preciso contar com o patriotismo dos parlamentares da Câmara para aprovarem essas duas providências, indispensáveis para que a política recupere a sua credibilidade. Numa democracia, política é gênero de primeira necessidade. Tudo o que eu falo, ainda que em tom crítico, é a favor da política.

Para quando devem ser feitas essas mudanças?

Cláusula de barreira e o fim das coligações defendo que valham para o ano que vem. O distrital misto eu desejaria [também], porém a demarcação dos distritos talvez seja complexa demais. Eu até tentaria. No entanto, se passar para 2020, já estou satisfeito.

Mas uma das propostas mais cotadas é a do distritão.

O distritão é péssimo. É caro, enfraquece mais ainda os partidos e empodera os deputados para um tipo de negociação individual que vai tornar o sistema mais corrupto. Como eles vão chegar à Câmara sem nada dever aos partidos, porque não vai haver distribuição de voto por legenda, a negociação com o Executivo não será feita partidariamente, mas isoladamente.

E o "semidistritão", que combinaria elementos dos dois modelos e tem sido cogitado?

É muito ruim também, ligeiramente menos ruim [do que o distritão].

Como vê o fundo eleitoral?

Esse fundo, que para o meu gosto não é democrático, primeiramente não pode ter R$ 3,6 bilhões. É inaceitável neste momento em que as pessoas estão perdendo o emprego, não estão recebendo aposentadoria; o Supremo demitiu os ascensoristas.

Gastar esse dinheiro é a questão simbólica da falta de sintonia com a sociedade. Se o preço a pagar pela transição para o distrital misto for um fundo com valores decentes, eu aceitaria pagar o preço. Mas tem que ser de R$ 1 bilhão para baixo.

Que modelo o sr. defende?

Sou contra o financiamento por empresas. Não consigo imaginar uma forma de regulamentação que impeça a extorsão, o achaque, a corrupção. Os dois símbolos desse modelo, tanto na iniciativa privada quanto no Congresso, estão presos [casos de Marcelo Odebrecht e de Eduardo Cunha].

Já existe financiamento público, com o fundo partidário e o horário na TV. O ideal é o financiamento com doações de pessoas físicas.

O sr. está confiante na aprovação dessas mudanças?

A população hoje tem mobilização para evitar retrocessos. Mesmo com toda a "operação abafa", a Lava Jato subsiste, empurrada por uma sociedade que se cansou da velha política e da velha ordem.

Há essa mobilização em relação à reforma política?

A reforma política é o tema mais importante em discussão no Brasil, mas o cidadão comum não tem tempo para entender esses meandros, não tem a dimensão da relevância. Tecnicalidades não mobilizam a população, é assim em qualquer lugar do mundo. (Folha de São Paulo)

Preço do botijão de gás dispara, chega a R$ 80, e deve subir ainda mais


A nova política de flutuação de preços do gás de cozinha imposta pela Petrobras preocupa revendedores locais e confunde consumidores. De acordo com os empresários, desde que o reajuste do produto passou a ser mensal, o valor disparou e as vendas caíram. Em três meses, o aumento acumulado soma 8,93% — foram duas variações positivas e uma negativa. A Associação Brasiliense de Empresas de Gás (Abrasgás) critica a mudança de precificação feita pela estatal, alegando que gera falências no setor e crescimento do comércio clandestino de botijões. A entidade estuda as medidas judiciais cabíveis. Enquanto isso, o consumidor já encontra unidades sendo vendidas a R$ 80 no Distrito Federal.

Desde junho, a Petrobras passou a corrigir mensalmente o valor do Gás Liquefeito de Petróleo, o GLP-P13, conhecido como gás de cozinha ou doméstico todo dia 5 do mês. O preço final passou a levar em conta as cotações no mercado internacional. Até maio de 2017, a estatal adotava uma política que evitava o repasse da volatilidade do câmbio e das cotações internacionais no mercado interno. Por isso, geralmente, fazia-se uma correção anual. Na ocasião do anúncio da flutuação, o presidente da companhia, Pedro Parente, ressaltou que o gás não tinha uma política de comercialização definida e que, com a alteração, a Petrobras completava “o ciclo de definição de políticas para os produtos da companhia”.

Dificuldade

Acostumados a trabalhar com uma variação anual, os revendedores estão com dificuldades de se adequar à nova política de preços da estatal. A crítica é a de que a mudança foi muito repentina. O empresário Wellington Marques tem uma revenda no Cruzeiro e está no segmento há 20 anos. Ele conta que a mudança da Petrobras pegou os revendedores de surpresa. “Avisam um dia antes qual será o preço novo. Eu não tenho tempo nem de comunicar os consumidores. Quando o cliente chega, leva o susto. Por isso, poderiam, ao menos, informar o índice do repasse 10 dias antes”, sugere. Wellington explica que, por causa da regulação, ele não pode estocar mais que 480 vasilhames no depósito, o que o deixa somente com a quantidade que vai vender. “Com o estoque regulado, quando o preço muda, eu tenho que repassar ao consumidor imediatamente.”

Proprietária de revendas no Distrito Federal e no Entorno goiano, Veruska Moura contabiliza queda de 30% no volume de vendas desde a implementação da nova política de preços. “O consumidor não aceita esses repasses e as empresas regularizadas não dão conta de segurar. Muita gente está fechando as portas. Não posso dar a minha palavra nas negociações. A gente está sendo massacrado”, comenta.

Para calcular o impacto da nova política da Petrobras, a Abrasgás está fazendo um levantamento de quantas empresas fecharam as portas por causa da flutuação de preços. “Tivemos mais revendas falindo em 90 dias do que nos últimos dois anos”, alerta Cyntia Moura Santo, diretora da Abrasgás. “Aliado a isso, estamos assistindo à proliferação do mercado clandestino: o revendedor não consegue manter custos fixos, aí fecha as portas e, para não ficar sem trabalho, vai pirangar na rua. Fora aqueles que vendem o botijão adulterado”.


Questionada sobre as críticas dos revendedores em relação à política de flutuação de preços, a Petrobras respondeu que só tem ingerência em 54% da composição do preço do botijão. “Sendo as distribuidoras e revendedoras livres para definirem as margens praticadas”, diz, em nota. Quanto ao aumento da comercialização clandestina, a estatal ressalta que a fiscalização é de competência da Agência Nacional do Petróleo (ANP).

Industrial

Os valores do GLP para uso comercial ou industrial (vendido a granel ou envasado em botijões de mais de 13kg) também passaram a ser reajustados de acordo com a flutuação no mercado internacional, o que significa que as alterações nos preços podem ser feitas a qualquer momento. O último reajuste, em vigência desde 16 de agosto, aumentou os preços de comercialização às distribuidoras do GLP em 7,2%. A flutuação dos valores, no entanto, suscita críticas entre revendedores e clientes.

Érica Vanessa Tenório, 37 anos, é dona de um restaurante no Cruzeiro e diz que passou a colocar os custos na ponta do lápis. “Diminuí o uso de água e passei a comprar artigos de limpeza mais baratos para contrabalançar os gastos”, relata. Para manter o self-service, ela consome até dois botijões por dia. “Uso gás na churrasqueira, no fogão e na chapa”, enumera. Érica conta que desembolsou R$ 744 em junho. Para agosto, a empresária espera pagar, no mínimo, R$ 800. (Diário de Pernambuco)

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Pernambuco responde por 50% da alta nos homicídios no Brasil

Em julho, Pernambuco chegou a 3.323 crimes contra a vida no ano / Foto: Arquivo/ JC Imagem

O professor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) José Luiz Ratton se inclina um pouco para frente e arregala os olhos, falando de modo incisivo. "O Pacto pela Vida como ele foi concebido morreu. Está morto. O que o governo está fazendo agora é gerir uma marca. Hoje, há uma gestão malfeita de uma marca que já foi bem-sucedida." Da concepção de um dos programas de segurança do qual mais se ouviu falar no País na última década, ele pode falar. Estava no centro da criação capitaneada pelo ex-governador Eduardo Campos, e saiu da gestão antes de surgirem as falhas.

Em julho, Pernambuco chegou a 3.323 crimes contra a vida no ano. Isso já é mais do que o que foi registrado em todo o ano de 2012 (3.321) e 2013 (3.100) por exemplo. No primeiro semestre de 2017, o País teve 1,7 mil homicídios a mais do que no mesmo período do ano passado; 913 deles aconteceram em Pernambuco.

"Os padrões que observamos para este ano mostram que Pernambuco pode chegar a número absoluto de homicídios que talvez seja o maior da história, entre 5 mil e 5,4 mil. Na melhor das hipóteses, que ainda assim é muito ruim, equivaleria a 10% dos homicídios do Brasil e a quase 1% do mundo. É uma tragédia civilizatória", diz Ratton.

Um dia antes, na quarta da semana passada, o secretário de Defesa Social, Antônio de Pádua Cavalcanti, teria resposta diferente diante da mesma pergunta: o Pacto morreu? "Está mais vivo do que nunca. O pacto é uma política de Estado construída há dez anos, de muito sucesso, e colocou Pernambuco entre os melhores Estados no enfrentamento à violência, mas obviamente há necessidades de ajustes operacionais e os resultados já estão sendo colhidos", disse no seu gabinete.

Nas ruas da capital, não há sensação de resultado. São comuns relatos de assaltos a ônibus, que a pasta diz reduzir, enquanto o Estado regride uma década no patamar de homicídios.


Rotina


É madrugada em Charnequinha, em Cabo de Santo Agostinho, região metropolitana do Recife, quando o rabecão chega à segunda travessa da Rua Dezenove para recolher o corpo de Andreia Moreira de Figueiredo, de 38 anos. Horas antes havia sido encontrada morta, com sinais de esganadura, na sala da sua casa.

O horário não impede que dezenas se reúnam próximo da cena do crime, ainda sem autoria, para acompanhar o trabalho da polícia. Os investigadores logo informam que a vítima tinha três passagens pela polícia por tráfico de drogas. O ex-marido e o irmão, presentes no local, não choram, apresentando ar de aparente conformismo para o que chamam de destino da mulher.

Um mototaxista com casaco do Sport, time de futebol local, reage com desprezo à pergunta sobre segurança na região. "Aqui morre um todo dia." O homem, que preferiu não se identificar, erra por pouco.

Com 94 assassinatos no ano, Cabo de Santo Agostinho tem um homicídio a cada dois dias e 30% mais casos do que no ano passado.

Já na Igreja Nossa Senhora do Carmo, em Goiana, a 60 quilômetros do Recife, o clima é de consternação. Na noite da quarta-feira, era celebrada a missa de sétimo dia de Edvaldo José Valença da Silveira Neto, morto com um tiro durante uma tentativa de assalto em que tentaram levar o seu carro. Quatro suspeitos foram presos. A mãe, a enfermeira Mônica de Araújo Silveira, de 42 anos, lembra dele como uma pessoa "intensa" e "com pressa para viver". "Ele ficava revoltado com os casos de violência que eram noticiados e acabou, veja só, sendo vítima dela."

Para o pai, o tabelião Edvaldo Rodrigues da Silveira, de 43 anos, o momento é de falar, não calar, e de reclamar. "Um dos suspeitos presos era menor, você viu? 17 anos. Tem de mudar a legislação deste País", destaca.


Rio


Com 2.976 crimes contra a vida no primeiro semestre, o Rio de Janeiro vive a crise com maior destaque no País atualmente. Se não é o maior aumento (14,2%) entre as Unidades da Federação, a violência no Estado assume contornos de guerra com recorrentes mortes por balas perdidas, uso de fuzis, execuções de policiais e execuções por policiais.

A situação levou o governo federal a desenvolver um plano específico para a capital fluminense, deslocando 8,5 mil agentes das Forças Armadas. Em nota, o secretário de Segurança, Roberto Sá, disse reiterar a "importância da mudança das leis criminais para reverter o quadro de banalização do crime". As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Atleta de Brejão e Garanhuns vence Meia Maratona Internacional do Rio de Janeiro


Neste domingo (20), o esporte de Garanhuns comemorou mais uma vitória. O atleta José Márcio Leão, que é patrocinado pela Prefeitura de Garanhuns, foi o vencedor da prova masculina da 27ª Meia Maratona Internacional do Rio de Janeiro. Com um tempo total de 1h04m17s, o esportista natural de Brejão chegou apenas um segundo à frente do etíope Demiso Legese Guideta. O terceiro lugar ficou com o também brasileiro Damião de Souza. José Márcio tem como treinador Bingo, que reside em Garanhuns e estava treinando em Juazeiro do Norte (CE) para se acostumar às altas temperaturas comuns na capital fluminense e assim ter um desempenho melhor. A Secretaria de Juventude, Esportes e Lazer está preparando uma grande homenagem a José Márcio nesta quinta-feira (24).

Para o secretário da pasta, Carlos Eugênio, a vitória representa um marco para o município. “A conquista de Leão mostra que investir nos esportes dá certo e o Governo Municipal vem, mesmo com todas as dificuldades financeiras, fazendo isso com muito compromisso. Estamos certos que o destaque de Leão, bem como dos demais atletas de Garanhuns, vem motivando nossas crianças, jovens e adolescentes a praticar esportes, o que os afasta dos riscos sociais e garante a manutenção da saúde”, disse.

Em entrevista logo após a vitória, ainda muito emocionado, José Márcio agradeceu ao apoio de quem acreditou na sua vitória e já adiantou que, como todo atleta, almeja mais resultados positivos. “Já estava na hora de conseguir essa vitória. Me preparei muito e estou muito feliz. Queria agradecer a todos da minha cidade de Brejão e também de Garanhuns que vem me apoiando, ao Cruzeiro e ao meu treinador, Bingo. Vou me preparar para o ano que vem, quem sabe, conseguir a segunda vitória aqui no Rio de Janeiro”, disse.

HISTÓRICO - José Márcio nasceu em Brejão, a cerca de 30 km de Garanhuns e começou a correr aos 10 anos de idade, quando já residia na Cidade das Flores. Em 2010, foi contratado pelo Cruzeiro, clube de Minas Gerais, quando começou a treinar com foco em competições de maior representatividade, estando em destaque em muitas delas. Em janeiro deste ano, José Márcio passou a contar com o patrocínio da Prefeitura de Garanhuns. (Secom)

domingo, 20 de agosto de 2017

Polo Dominguinhos - Segunda Noite

Givaldo Calado de Freitas


“Agora, pergunto: podemos continuar assim? Vendo o FIG sendo mal aproveitado por milhares que vêm de longe para vê-lo em sua plenitude, mas que só veem parte dele? Ou muito menos que parte dele?”

“Penso que temos razões de sobra para defender um Festival em que nos seja possível, sem maiores esforços, nele, estarmos presentes. Aproveitando-o melhor. Plenamente.”

“Bela noite de FIG, tivemos, ontem. Com o frio se reencontrando, mais intensamente, com Garanhuns. E Garanhuns sendo mais Garanhuns. Pelo Frio. Pelo Festival.”

“De novo na Esplanada?” - perguntaram-me. “De novo? Já?” - arremataram. Mas se são dez noites. Tenho que estar nas dez noites. É assim que venho fazendo desde o primeiro. Sim, desde 1991- respondo. E digo: o FIG não se limita a essas dez noites, não. Na verdade, são dez dias e dez noites. Estas noites que tanto valorizamos certamente que não são os únicos espetáculos do FIG, não. Como se fossem só elas. Mas não são só elas, não. Temos palcos por todos os lados. Inclusive à noite. Além do Palco Dominguinhos, temos o Palco Euclides Dourado, o Palco Cultura Popular, o Palco Pop, o Palco Instrumental, o Palco Mamulengos, o Palco Forró, o Palco Música na Catedral, o Palco Som na Rural. Além das Oficinas. Que são maravilhosas. Por que marcam. Educam. Capacitam. E elas são dez. E, nesta XXVII Edição, a Prefeitura ainda banca o Palco Orquestrando.


Outro ano numa dessas XXVII Edições, disse a mim mesmo: vou estar presente em todos os palcos. Todos! Quase que viajo para o além, e não consegui visitar nem a metade. Eu disse “visitar”.

Por essa, e outras, o nosso FIG é multicultural. Todas as linguagens. Todas! E não tem essa de você comprar ingressos para se fazer presente, não. Tudo às nossas mãos. Tudo!     

Agora, pergunto: podemos continuar assim? Vendo o FIG sendo mal aproveitado por milhares que vêm de longe para vê-lo em sua plenitude, mas que só veem parte dele? Ou muito menos que parte dele? Não seria isso um desperdício, sobretudo quando a ideia é mostrar a todos a grandeza do espetáculo? A razão de ele ser reconhecido como “O Maior Festival Multicultural da América Latina?”

Penso que temos razões de sobra para defender um Festival em que nos seja possível, sem maiores esforços, nele estarmos presentes. Aproveitando-o melhor. Plenamente. Para isso, temos que distendê-lo. E, já. Para ser o Festival que Pernambuco deseja. Que Garanhuns quer. Afinal, não é ele um produto? “O Maior Produto Cultural de Pernambuco?”

Durante esses dias irei dizer de nossas ideias para que nos seja possível, quem sabe no próximo, ou em algum próximo, alcançarmos essa ideal.

Mas, ontem, no Palco Dominguinhos desfilaram Rogério e os Cabras, Maciel Salu, Cantos Rurais: Adiel Luna e Mestre Bule-Bule, Alice Caymmi e Baby do Brasil.

Foram espetáculos que se não agradaram a todo um público presente agradou a muitos. Quem sabe a grande maioria? Agora, é preciso que não se perca de vista a condição de multicultural do Festival.    

Bela noite de FIG, tivemos, ontem. Com o frio se reencontrando, mais intensamente, com Garanhuns. E Garanhuns sendo mais Garanhuns. Pelo Frio. Pelo Festival.


*Figura pública. Advogado de Empresas e Empresário

Sem crise, Paulo Câmara gasta mais de R$ 400 mil só com assinaturas do Jornal do Commercio

O governador Paulo Câmara ao lado do prefeito do Recife, Geraldo Júlio, num momento de intimidade com o empresário e dono do Jornal do Commercio, João Carlos Paes Mendonça

De acordo com matéria publicada no Blog de Noelia Brito, o governador Paulo Câmara vem mostrando que dinheiro não é o problema, pois, por intermédio da Secretaria de Educação, comandada pelo socialista Milton Coelho, ex-presidente do PSB, acaba de liberar um gasto de R$ 410.238,64 com 812 assinaturas do Jornal do Commercio para serem distribuídas entre as bibliotecas das escolas da Rede Pública Estadual.

Ainda de acordo com a matéria da Blogueira, o processo das assinaturas contou com uma inexigibilidade de licitação, o que quer dizer que não houve licitação, decisão está ratificada no dia 16/08/2017 pela Gerência Geral de Licitações da Secretaria comandada por Milton Coelho.

Em plena era da internet e num governo que se gaba de investir tanto em tecnologia, causa espécie tamanho gasto com assinaturas de um único jornal, impresso, para ser distribuído em bibliotecas das escolas estaduais.

Mas quando o dinheiro está sobrando, gestores procuram com que gastar para justificar, perante o Tribunal de Contas, que atingiram os limites mínimos de gastos com Educação. Unindo assim o útil ao agradável...

sábado, 19 de agosto de 2017

Caminho aberto para saída dos Coelhos da Frente Popular

Ministro de Minas e Energia, Fernando Filho (PSB) / Foto: Arthur de Souza/Folha de Pernambuco

O anúncio não foi feito. Nem há data para fazê-lo. Mas os sinais de que o grupo do senador Fernando Bezerra Coelho está perto de anunciar a saída do PSB estão ficando mais frequentes e com maior intensidade. Depois de o senador percorrer os municípios do Sertão do Estado afirmando estar desconfortável no partido, o ministro das Minas e Energia, Fernando Filho (PSB), mostrou que a relação dentro do partido está esgarçada, a ponto de não lembrar quando teve um encontro de trabalho com o governador Paulo Câmara.

“Faz tempo que não tenho conversado com ele. Recentemente nos encontramos no casamento do prefeito de Petrolina (Miguel Coelho, PSB). (Encontro de trabalho) Já tem algum tempo. Estou tentando lembrar aqui, mas não consigo lembrar. Mas eu estou à disposição do governador e da administração para dar a contribuição”, revelou, em entrevista à Rádio Folha FM 96,7, nesta sexta-feira (18).

Segundo o auxiliar ministerial, o tratamento dado pela Executiva Nacional do PSB foi o principal fator de desgaste na relação do seu grupo com a agremiação. Um desconforto que teve como principal motor a votação da reforma trabalhista quando Fernando Filho retornou ao Legislativo para votar à favor da proposta governista, contrariando a orientação da direção partidária que era contra a proposta.

A atitude levou o auxiliar ministerial, 15 deputados federais e dois senadores ao centro de um pedido de expulsão no Conselho de Ética do PSB. A ofensiva da direção nacional e os desgastes no Estado criaram um ambiente cada vez mais insustentável para o grupo dos Coelhos, que passou a adotar um discurso mais independente.

“O que gerou mais desconforto agora foi a forma e a reação em cima desses parlamentares. Na questão estadual se ressaltou alguns pontos aí, nós nunca estivemos representados no Governo do Estado, mas isso não é o mais relevante. A gente sempre buscou ajudar o Governo. Mas é vida que segue”, ponderou.

Ao ser questionado sobre sua nota para a atual gestão do Palácio das Princesas, Fernando Filho disse que não faz avaliações de governos, mas que ouve queixas na parte política sobre “falta de espaço, diálogo e formatação na política pública”.
Considerado a maior aposta do grupo dos Coelhos para a disputa de 2018, Fernando Filho afirmou que sua pretensão inicial é a reeleição, deixando no ar a possibilidade de um projeto alternativo.

“Sou muito feliz com meu mandato e, a princípio, sou candidato à reeleição. Não posso ser candidato nem a senador nem a presidente, porque só terei 34 anos na eleição (é preciso 35). Só posso ser candidato a deputado federal e a governador. Quem tá na vida, tem ambições, quem é vereador quer ser prefeito. O deputado estadual quer ser federal. O federal quer ser governador, o governador quer ser presidente, o gerente que ser diretor e por aí vai”, desconversou. (Blog da Folha)


Confira a entrevista:

Parte 1


Parte 2

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Aos poucos Claudiano Filho vai reunindo as lideranças do Agreste em torno de sua candidatura


Já em seu segundo mandato como deputado estadual, o jovem Claudiano Filho (PP), que mora em Garanhuns desde a sua primeira eleição a quase ou anos, vem mostrando grande desenvoltura na politica.

Filho do ex-deputado Claudiano Martins, o jovem deputado faz jus ao nome do pai. Apesar da pouca idade, Claudiano Filho já mostra uma enorme maturidade e experiência em conquistar novos amigos e aliados, tanto na sua vida pessoal como pública.

Um exemplo disso, nós, do Blog do Cisneiros, testemunhamos no dia de ontem, terça-feira (17), em almoço oferecido por seu pai na fazendo onde mora no município de Itaíba. Onde o deputado recebeu grandes lideranças do Agreste Meridional

Presente ao evento a convite do deputado, nós do Blog do Cisneiros pudemos acompanhar de perto a forma de o jovem Claudiano fazer politica. Ficamos impressionados com a habilidade, afabilidade e a simplicidade com que o jovem Claudiano Filho tratou os ali presentes, conquistando aos poucos cada vez mais a admiração de todos.

Presentes ao encontro estavam os prefeitos de Caetés, Armando Duarte (PTB), Calçado, Expedito Nogueira (PP), Palmeirina, Marcelo Neves (PSB), e Terezinha, Matheus Martins (PSB).

De Caetés também estava presente Lindolfo Almeida (PTB), ex-prefeito da cidade.

De Calçado ao lado do prefeito estiveram o vice-prefeito Cal de Manezinho (PSB), os vereadores Bino (PMDB), Baiano (PR), Zé Mayke (PSB), Marcone (PP), e a secretária de governo Egliny Mascena.


De Palmeirina, acompanhando a comitiva do prefeito, estiveram os vereadores Dorival, Galego de Toinho, Mizé e Toinho Santana, todos do mesmo partido do prefeito, o PSB.

De Terezinha acompanhando o atual prefeito estavam o seu tio e ex-prefeito Alexandre Martins (PSB), o presidente da câmara de vereadores Messias (PR), os outros oito vereadores do município de um total de nove, além de todos os secretários do governo municipal.


De Águas Belas estavam o ex-prefeito Nomeriano Martins (PP), o presidente da câmara de vereadores Melke Malta (PRB) e o também vereador Eunias Murici (PRP).

De Bom Conselho Capitão Boanerges (DEM).

De Iati o ex-prefeito Alexandre Tenório (DEM) acompanhando sua comitiva estiveram os vereadores Alcir Tenório (PRP), Rosilda Tenório (Solidariedade), Sebastião Vitor (PSD), e o suplente de vereador José Cícero (DEM).


De Itaíba Juliano Martins (PP), ex-prefeito Marivaldo Bispo (PMDB), o vereador Aureliano Martins (PHS), Jacir da Lagoa do Bento (PMDB), Tarugo (PSDB), Mário Celso (PR), Esio Tenório (PP).

De Paranatama esteve o vereador Beta Roldão (PSB). Da família Roldão também esteve presente o seu primo de Garanhuns, Luizinho Roldão, chefe de gabinete da vereadora Betânia da Ação Social.

De Garanhuns estiveram os vereadores Ary Jr. (PTB), Gil PM (PHS), Professor Márcio (PHS) e Tonho de Belo do Cal (PSDB).


Representando a vereadora e presidente da câmara dos vereadores de Garanhuns, Carla de Zé de Vilaço (PTB), esteve o seu pai e ex-vereador Zé de Vilaço.

Representando a vereadora Betânia da Ação Social (PTB) esteve o seu chefe de gabinete, Luizinho Roldão como já dissemos, junto com seus primos de Paranatama.

De Garanhuns também estiveram presentes várias lideranças e os assessores do deputado na cidade Abraão Lins e Rafael Peixoto.


O que se vê é que com jeito e muita habilidade Claudiano Filho vai construindo fortes alianças e amizades em praticamente todos os munícipios do Agreste Meridional pernambucano. Sejam essas alianças com os prefeitos, ex-prefeitos, vereadores ou lideranças diversas de cada município.

Nós municípios do Agreste onde o deputado ainda não conta com alguma aliança, pretende contar em breve, pois segundo o próprio Claudiano, o trabalho não para, onde o mesmo nos diz que sente prazer um enorme prazer em fazer seu trabalho. Seja dia, noite ou qualquer dia da semana. Não importando se é sábado, domingo ou feriado.

“Amigo Cisneiros, desde já agradeço ao Blog do Cisneiros por estar aqui presente e dizer que gosto do que faço, gosto de ajudar as pessoas, gosto de saber que estou contribuindo para um futuro e uma qualidade de vida melhor para todos os pernambucanos, principalmente para nós do Agreste Meridional, onde somos às vezes tão carentes de alguns serviços e politicas públicas. È meu dever não parar um dia ou minuto sequer de trabalhar em nome todos aqueles que em mim confiam.” Afirma o jovem Claudiano Filho.