segunda-feira, 17 de julho de 2017

Massa polar pode fazer nevar no Brasil esta semana, trazendo ainda mais frio para Garanhuns

Manhã chuvosa e fria em Garanhuns / Foto: Luizinho Roldão


O frio que vem atingindo Garanhuns, cidade localizada na região do agreste meridional pernambucano, já há alguns dias, irá atingir as Regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste com ainda mais força e intensidade, as previsões mostram friagem até no sul da Região Norte, indica o Instituto Nacional de Meteorologia do Brasil (Inmet). O instituto não descarta a possibilidade de neve nas serras gaúcha e catarinense nesta segunda e na terça.

Segundo com o Inmet, as temperaturas em São Joaquim, na Serra de SC, vão bater os -4ºC na madrugada de segunda, com grande probabilidade de neve, noticia que fez lotar a maioria dos hotéis da cidade.


Garanhuns e o seu Festival de Inverno


Em Garanhuns pode não nevar, mas o seu Festival de Inverno (FIG), o evento mais importante economicamente para o município, que este ano acontece entre os dias 21 e 29 deste mês de julho, promete ser um dos mais frios dos últimos anos, com a temperatura podendo chegar a 12º durante a noite, ou até menos.

Trazendo assim a esperança da cidade atrair muitos turistas, e consequentemente injetando mais dinheiro no comercio em geral, principalmente na rede hoteleira e gastronômica, para, apesar do frio, aquecer a economia que vem um tanto fria porque não dizer, gelada.

Mas um fator tem preocupado os garanhuenses. A programação montada pela FUNDARPE, órgão do governo do estado de Pernambuco responsável pela montagem da grade artística, organização financeira e estrutural do FIG.

O que se vê nas redes sociais e nas ruas da cidade, é uma enorme insatisfação com o evento este ano, principalmente com as atrações que irão se apresentar no palco principal na Praça Mestre Dominguinhos durante as nove noites do festival.

Sim, nove noites, pois o festival que já esta na sua 27ª edição e sempre contou com dez dias de festa, mas desde 2014 este vem sendo diminuído pelo governo estadual comando pelo PSB, partido que já vem a quase 13 anos no comando de Pernambuco.

Os partidários do governador Paulo Câmara alegam a crise financeira. Já os críticos do constante esvaziamento do FIG alegam não existir falta de dinheiro, mais sim atingir a administração do prefeito do Município, Izaías Régis, por este ser do PTB, partido que faz oposição ao governador no estado.

Se o problema é a crise financeira ou a birra com o prefeito local, não sabemos, o que sabemos é que tanto o governo estadual, principalmente o estadual que é quem entra com os recursos, e o governo municipal devem trabalhar para ampliar e divulgar cada vez mais este evento que tanto enriquece nosso estado a nível cultural e econômico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário