quarta-feira, 19 de julho de 2017

Fernando Bezerra Coelho está atirando para todo lado, depois de conversas com Rodrigo Maia pelo controle do DEM em Pernambuco, agora pressionam Temer para tomar o PMDB de Jarbas


Como publicado aqui no Blog do Cisneiros (Clique aqui e relembre), com exclusividade, no último sábado (15), o senador Fernando Bezerra Coelho (PSB) e o seu filho, o ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho (PSB), poderiam estar próximos de selar a paz com o governador pernambucano, Paulo Câmara (PSB) e a cúpula do PSB, mesmo partido do senador e seu filho.

O motivo da paz, segundo uma fonte contou ao Blog do Cisneiros, é que o governador Paulo Câmara teria oferecido à secretaria da agricultura ao grupo do senador, e ainda ofertada a vaga de vice ao seu filho em sua chapa onde concorrerá a reeleição no próximo ano.

Matéria publicada, um amigo, próximo aos membros de alta plumagem do governo pernambucano, nos questionou como ficaria o PMDB nessa história, pois segundo conhecia o ex-governador e hoje deputado federal, Jarbas Vasconcelos, o qual comanda o PMDB no estado, este jamais aceitaria o seu partido perder a vaga de vice de Paulo. Completando: “A não ser que Fenando Bezerra junto com seu filho e todos os deputados que o acompanham, fossem para o PMDB”.

Naquele momento concordamos com o raciocínio, mas achamos pouco provável a possibilidade.

Foi quando nesta terça-feira (18) começou a ser noticiado pela imprensa nacional e da capital pernambucana, que o senador estaria articulando com o presidente Michel Temer, do PMDB, e o presidente nacional da sigla, o senador Romero Jucá (RR), para tomar o controle do partido no estado de Jarbas.

O vice-governador de Pernambuco, 
Raul Henry (PMDB)
Diante das especulações de que o grupo de Fernando Bezerra Coelho poderia tomar o PMDB em Pernambuco, o presidente estadual da sigla no Estado e vice-governador de Pernambuco, Raul Henry (PMDB), afirmou que a agremiação "não possui uma cultura de intervenção em seus diretórios". O dirigente citou a situação do PMDB de Alagoas, onde o senador Renan Calheiros (PMDB) faz críticas robustas ao governo Temer e não sofreu nenhuma intervenção.

"O PMDB não tem essa cultura de intervenção nos seus diretórios. Perdemos fragorosamente uma eleição em 2010, sustentamos uma oposição de 20 deputados federais contra cinco e nunca se cogitou uma mudança no Estado. O PMDB é uma federação de partidos regionais. Nossa existência sempre contou com divergências", afirmou Raul Henry, em entrevista por telefone a repórter Carol Brito da Folha de Pernambuco.

O deputado federal,
Jarbas Vasconcelos (PMDB)
Na mesma linha foi Jarbas, que, em viajem à Nova York, onde se encontra em missão da Câmara Federal, enquanto membro da União Interparlamentar, foi consultado pela jornalista Renata Bezerra de Melo, da coluna Folha Politica, também do jornal Folha de Pernambuco, por telefone, onde falou: “Não vou nem dar sequência a isso, que isso (especulação) é coisa velha, antiga. Não tem o menor sentido. É uma repetição de cinco, seis, 10 anos para cá”. Em 2010, quando concorreu ao Governo do Estado, o peemedebista e o partido em Pernambuco ficaram contra Michel Temer, contra Lula, contra Dilma Rousseff, contra Eduardo Campos, que, até então, era aliado do PT, e não se deu nenhuma intervenção.

De acordo com a Blogueira Noelia Brito, Jarbas e Raul Henry, podem fazer o caminho inverso aos Coelhos, filiando-se ao PSB de Paulo Câmara, com quem têm demonstrado muito mais afinidade do que com o comando do PMDB nacional.

Raul Henry, Paulo Câmara e
Jarbas 
Vasconcelos
Essa séria uma opção para Jarbas, Raul e seu grupo. Voltando a jornalista Renata Bezerra de Melo, esta publicou em sua coluna na internet, que pelo menos uma vez por mês, Jarbas costuma almoçar no Restaurante Leite, e no último dia 30 de junho, seguiu o mesmo ritual, com um detalhe, contou com a companhia de Paulo Câmara, Raul Henry, o ex-secretário de Jarbas, Guilherme Robalinho, Arménio Dias e Alberto Ferreira da Costa Júnior. A jornalista ainda lembra que uma vez que a política é feita de gestos, o encontro, em local público, não deixa de ser uma sinalização expressa de que o seu grupo e o de Paulo seguem afinados. Antes de se dirigir ao almoço, Jarbas concedeu entrevista à Rádio Jornal, quando realçou que está decidido a disputar o Senado em 2018. Deixou claro estar focado nisso. O caminho, agora, será o de viabilizar esse projeto. Seja pelo PMDB, PSB, ou que partido for, desde que seja na chapa do governador.

Fernando Bezerra Coelho
e Paulo Câmara
Noelia Brito ainda relata em seu Blog, que uma fonte ouvida por ela, chega a comparar, em reserva, o PSB de Pernambuco ao traficante colombiano Pablo Escobar, que acabou destruído não pelos seus inimigos declarados, mas pelos próprios aliados que se transformaram em inimigos ocultos, em resposta às perseguições e às humilhações que foram se acumulando ao longo dos anos e que irremediavelmente um dia teriam que se voltar contra quem não teve limites para praticá-las.

O deputado federal
Gonzaga Patriota (PSB)
Em sua coluna sua coluna de hoje, quarta-feira (19), o jornalista politico, Edmar Lyra, afirma em seu Blog, que a saída de Fernando do PSB não tem mais volta, é prego batido e ponta virada, onde levaria consigo somente da bancada pernambucana João Fernando Coutinho, Fernando Filho e Marinaldo Rosendo, podendo acompanhá-los Gonzaga Patriota, que tem se sentido desprestigiado pelo governador Paulo Câmara e sua equipe. A debandada que atualmente é de 14 deputados poderá ser de até 20 parlamentares, o que deixaria o PSB completamente fragilizado. Sob o comando de Carlos Siqueira, o PSB está longe de ser o partido dos tempos áureos de Eduardo Campos e caminha a passos largos para se tornar uma sigla irrelevante no plano nacional.

É esperar pra ver. O certo, pelo que estamos vendo, é que os Coelhos estão numa disputa aberta e explicita de poder com a cúpula do PSB, em especial com a cúpula do PSB em seu estado, em especial com o governador de Pernambuco, Paulo Câmara. Onde talvez, até hoje o senador não se conforme, em não ter sido o escolhido, pelo hoje já falecido, ex-governador Eduardo Campos, como candidato no lugar de Paulo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário