segunda-feira, 12 de junho de 2017

Paulo Câmara se recusa a pagar o Piso Nacional dos Professores e categoria entra em estado de greve em Pernambuco


Como você pode ver no depoimento acima, do presidente do Sindicato dos Professores de Pernambuco (SINTEPE), não são só os professores da rede municipal de Garanhuns que estão insatisfeitos, os profissionais da rede de ensino estadual reunidos em assembleia na última quinta-feira (08) decidiram entrar em estado de Greve. Isso porque diferente da situação aqui de Garanhuns, em que o prefeito do município, Izaías Régis (PTB), mandou projeto para câmara de vereadores, o qual já aprovado na sexta-feira (02/06), reajustando os vencimentos dos professores em 7,64% de forma linear para todos os educadores se adequem ao Piso Nacional do Magistério, pagando inclusive este reajuste de forma retroativa a Janeiro. Já o governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), se recusa, mais uma vez, a dar o mesmo reajuste de 7,64% proposto pelo MEC, muito menos de forma retroativa a janeiro. O que o governador oferece é dividir este percentual em duas parcelas, pagando uma em outubro e outra só para janeiro de 2018.

No caso aqui de Garanhuns, a luta dos professores não é pelo reajuste, mas para terem suas remunerações em hora/aula, mantendo 30 horas/aula a mais que sua carga horária original de 150 horas/aula para professores de nível I, já no caso do governo do estado de Pernambuco a luta é para terem o seu direito básico ao mesmo reajuste de 7,64% dado por Garanhuns de forma retroativa a janeiro.

Veja a seguir o comunicado do SINTEPE


Clique na imagem para ampliar

Nenhum comentário:

Postar um comentário