terça-feira, 26 de março de 2013

O Banho de Lula que Dilma deu em Eduardo


Entrega de retroescavadeiras, motoniveladoras e caminhões-caçamba para prefeituras do Semiárido Nordestino com mais de 50 mil habitantes, prorrogação do Seguro-Safra e Bolsa Estiagem e R$ 3,1 bilhões em investimentos para Pernambuco. Essas medidas estão entre os anúncios feitos pela presidenta Dilma Rousseff durante a inauguração do primeiro trecho do Sistema Adutor do Pajeú, nesta segunda-feira (25), em Serra Talhada (PE). No evento, ela ainda falou de crescimento econômico e da importância de se combater as desigualdades regionais e sociais.

“Eu queria dizer para vocês que em que pese tudo isso, nós estamos vendo uma mudança acelerada aqui na região. (…) Nós aqui conseguimos uma questão fundamental. Nós conseguimos que a economia crescesse e que a indústria aqui também aumentasse a sua presença. Nós conseguimos fazer um conjunto de obras que fazem e mostram uma nova face para esse novo Nordeste”, afirma.

Para combater os efeitos da seca, a pior dos últimos 50 anos, Dilma ressaltou a importância dos investimentos em obras estruturantes, que já somam R$ 32 bilhões em adutoras, barragens, canais, estações, canais, entre outras. A presidenta também falou do volume de investimentos em Pernambuco, que chega, somando as verbas de financiamento, do Orçamento Geral da União e das estatais, a R$ 60 bilhões.

“Nós temos obrigação de construir no Brasil, uma garantia de água que permita que a seca seja um evento da natureza, mas não provoque, não mude e não diminuía o ritmo das conquistas do povo brasileiro e do povo nordestino. Por isso, aqui, no nordeste, nós estamos investimento em torno de R$ 32 bilhões de reais em adutoras, barragens, canais, estações de tratamento, rede de abastecimento de água, programa água para todos”, completa.

Serra Talhada-PE, 25 de março de 2013

Eu queria desejar primeiro, boa tarde, um boa tarde muito emocionado, muito amoroso a todos os homens e mulheres aqui de Pernambuco, a homens e mulheres desse nosso Brasil.

Queria cumprimentar um grande parceiro, um parceiro extremamente respeitado pelo meu governo - e, eu acompanhei de perto pelo governo do presidente Lula - nosso governador de Pernambuco, Eduardo Campos.

Eu queria dirigir um cumprimento especial a ela, - que nós te amamos - tomando emprestado do Eduardo, de dona Renata. Todos nós chamamos de dona Renata. Esse “dona” é extremamente carinhoso. A dona Renata, ela é um exemplo de mulher nordestina comprometida com uma das questões principais do nosso país, que é a questão das crianças. Eu reconheço, aqui de público, a contribuição que a Renata deu no meu governo para a questão das creches. Muita coisa aprendemos com a Renata.

Queria cumprimentar também o nosso querido prefeito de Serra Talhada, o Luciano Duque. E cumprimentar a senhora Karina Duque. Luciano, eu agradeço a você e ao Eduardo por essa recepção tão calorosa.

Queria cumprimentar os ministros que me acompanham: o Fernando Bezerra, da Integração Nacional, esse ministro apaixonado pelo Nordeste, por Pernambuco. Queria cumprimentar a ministra Miriam Belchior, do Planejamento; o Pepe, do Desenvolvimento Agrário; o ministro José Elito, do Gabinete de Segurança; e Helena Chagas, da Comunicação.

Cumprimentar o vice-governador, João Lira Neto.

Cumprimentar os senadores Armando Monteiro, Humberto Costa.

Cumprimentar os deputados federais: Fernando Bezerra Coelho Filho, Fernando Ferro, Gonzaga Patriota, Inocêncio Oliveira, João Paulo, Pedro Eugênio.

Queria cumprimentar todos. Primeiro, todas as prefeitas e todos os prefeitos de Pernambuco, e dizer a eles que essa parceria com os prefeitos é uma parceria essencial para o meu governo. Sem os prefeitos nós não fazemos as políticas sociais tão necessárias para o nosso povo.

Queria cumprimentar o prefeito José Patriota, presidente da Associação dos Municípios de Pernambuco.

Queria cumprimentar a vice-prefeita de Serra Talhada, Tatiana Duarte; o vereador José Raimundo Filho, presidente a Câmara Municipal de Serra Talhada; o Doriel Barros, presidente estadual da Federação dos Trabalhadores na Agricultura de Pernambuco, FETAP; a senhora Neilda Pereira, coordenadora da Articulação do Semi-Árido na região.

Cumprimentar o Carlos Vera, presidente da CUT; a Cida, do MST - coordenadora da região do Pajeú, do MST. E queria dizer a eles que eu vou encaminhar essa sugestão que eles me fizeram, não só para os meus ministros, mas também nessa reunião do dia 02, lá no Ceará, com todos os governadores sobre a questão da seca.

Cumprimentar os moradores da área rural e urbana de Serra Talhada e dos municípios aqui da região presentes neste evento.

Cumprimentar os senhores e as senhoras jornalistas, fotógrafos e cinegrafistas.

Mas, sobretudo, eu queria cumprimentar cada um de vocês, cumprimentar com um beijo no coração, as minhas companheiras mulheres. Eu me orgulho muito, que num país como o Brasil, ser a primeira mulher presidenta. E quando eu assumi o governo, eu disse que ia honrar as mulheres porque, para nós mulheres, é um momento muito importante. Uma mulher presidenta é, como dizia o presidente Lula: “um metalúrgico na Presidência, ele não pode falhar, uma mulher também não.” Porque aí vão dizer: “olha, lá, ela falhou porque é mulher”. Então, eu cumprimento as mulheres, porque elas sabem disso. Sabem que conosco o desafio é duplo. Sempre é duplo.

Agora, eu queria dizer também para meus companheiros e para as minhas companheiras aqui presentes: estar no Nordeste, eu posso dizer para vocês, nos últimos tempos eu tenho viajado por quase todos os estados do Nordeste, e estar no Nordeste sempre me emociona porque o Nordeste, no Brasil, é o início do Brasil e também eu acho que é a solução do Brasil. É o início, porque foi aqui que nós começamos como civilização depois dos índios, lá na Bahia. Aqui em Pernambuco, onde se estruturou uma parte da nossa vida política, da nossa vida tanto na fase da Colônia como no Império, mas também na República. E, estar no Nordeste é especial ao estar aqui em Pernambuco. Eu olho no rosto de cada um de vocês, nos sorrisos, nesse jeito que eu não acho que é seco, viu, Eduardo, eu acho que é caloroso, é suave. Esse jeito de falar de vocês que envolve a gente. Mas eu olho em cada um de vocês e eu vejo em cada um dos rostos, o rosto de um pernambucano gigante, um pernambucano especial que deu para o Brasil uma grande contribuição, que é o companheiro presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva.

Eu aprendi a olhar muito do Nordeste, lendo alguns livros, assistindo Vidas Secas, percebendo a tortura da seca. Mas eu aprendi mesmo, mesmo a amar o Nordeste, a perceber que o meu país não seria um país integral enquanto o Nordeste não fosse uma parte plena, desenvolvida e com todos os direitos das outras regiões. Com o Lula, que de fato sempre amou o Nordeste, em especial Pernambuco, a sua Garanhuns e lá para mim sempre disse: quando eu nasci, não existia a separação entre Garanhuns e Caetés, não tinha. Então, eu quero dizer que ele amava aquela região que ele nasceu. E com ele eu aprendi a olhar o Nordeste também pelo fato que o Nordeste deu grandes contribuições ao nosso país. Nós podemos lembrar de várias contribuições: Frei Caneca, Joaquim Nabuco, Francisco Julião, Paulo Freire, Mário Schemberg, enfim, podemos lembrar de várias pessoas. Mas eu tenho de lembrar que essa terra fez nascer um cearense-pernambucano politicamente, que é Miguel Arraes. E tenho sempre, e lembro sempre do imenso carinho com que ele me tratou, além do imenso carinho, um grande e imenso respeito que todos os brasileiros que se dedicaram à transformação do país devem a Miguel Arraes.

E esta terra para mim também tem um aspecto muito especial: aqui nasceu um gênio criativo chamado Ariano Suassuna. Nasceu na Paraíba, mas sempre me disse que era pernambucano por opção e por engajamento ele era nordestino. Agora pela sua grandeza universal ele é brasileiro. E eu tenho um grande respeito e uma grande admiração por Ariano Suassuna, que se eu não me engano é tio da nossa dona Renata.

Eu estou fazendo aqui em Pernambuco hoje a mesma coisa que o Lula sempre fez quando eu o acompanhava o Lula nessas viagens. Ele vinha, conversava com o Eduardo, que trazia, porque tinha a determinação e o compromisso de fazer, trazia sempre uma obra e um benefício. Trazia obras e benefícios. Trazia o seu compromisso com o que eu vou chamar, com a pátria nordestina dele, mas eu vou chamar, sobretudo, com o Brasil. Porque desenvolver o Nordeste é algo que o Lula percebeu sempre, era desenvolver o Brasil. Tanto como acabar com a pobreza é uma obra crucial para formar nossa nacionalidade, acabar com a perversa distribuição de renda regional é uma obra de constituição da nossa nação. É uma imposição que aqueles que tem compromisso em garantir que nós sejamos mais que um grande  país, nós sejamos uma grande nação devem a todos os nortistas, nordestinos e todos aqueles que foram durante séculos marginalizados e excluídos de forma  deliberada por vários governos que me antecederam.

Vocês sabem muito melhor do que eu que, durante muito tempo, negaram ao povo pernambucano o que ele merecia. Eu acredito que isso veio acabando. Acho que várias iniciativas, como o governo do Miguel Arraes, mudaram esse padrão de exclusão de Pernambuco, do Nordeste, das questões brasileiras. Mas acredito que quando o Lula chegou à Presidência da República um novo ciclo de desenvolvimento se instalou no Brasil.  Um novo ciclo que contempla todo o povo brasileiro. Que torna o povo brasileiro o centro da preocupação do governo. e que torna  a necessidade  de um reequilíbrio nas relações entre as regiões do país com a imposição do desenvolvimento.

O Lula era uma criança que, possivelmente, estaria condenada a não sobreviver, a não ter uma vida plena. E, como muitos nordestinos, era essa a condenação que pesava sobre ele. Mas ele superou isso. Ele é um caso que mostra perfeitamente a imensa capacidade e determinação do homem e da mulher nordestinos no sentido de sobrevier, viver e mudar sua vida.

Por isso, eu acredito que ele teve um papel fundamental no Brasil. Ele teve um papel fundamental no Brasil porque ele jamais esqueceu de onde ele veio. E nós não só não podemos esquecer de onde viemos, como não podemos nos esquecer dos compromissos políticos que ao longo de nossas vidas nós lutamos por eles, nós constituímos todo um processo de luta e de mudança. E essa mudança não é uma mudança que está nas estatísticas, que está lá nos números. Não é. Essa mudança que começa em 2003, podem ter certeza, ela só é real porque é uma mudança na vida da pessoa, lá dentro da casa da pessoa. É essa mudança que eu me refiro, aquela que significa que no Brasil as pessoas hoje não têm certeza que o Brasil não tem aquela cara feia que tinha da miséria, aquela cara feia da exclusão, aquela cara feia da desigualdade. O Brasil hoje tem outra cara. É a cara que nós vemos quando a gente olha na rua e olha aqui: é a cara da mãe, que conseguiu tirar seus filhos da pobreza extrema, com o Bolsa Família, com a valorização do salário mínimo. É a cara da mãe que vai colocar o seu filho em uma escola de tempo integral, que vai colocar sua filha na creche. É a cara do pai, que pela primeira vez tem acesso à casa própria. É a cara e os rostos de 19 milhões de trabalhadores com carteira assinada, com carteira assinada. É a cara do estudante que jamais poderia entrar em uma escola privada, e agora pode, através do Prouni. É a cara que o Brasil tem quando a gente olha os brasileiros no mundo, é a cara do respeito e da autoestima, a cara de um Brasil que inspira cada um dos seus filhos, porque nós só somos respeitados lá fora porque nós mudamos aqui as condições, e provamos que era possível mudar.

Eu sei que estou aqui hoje inaugurando uma obra. E inaugurar uma obra que melhora a vida das pessoas e começa melhorando já no início, quando contrata trabalhadores – e aqui eu quero homenagear todos os trabalhadores, que com as suas forças e com a sua mão, fizeram essa obra magnífica. Nós sabemos que entregar uma obra é um prazer quando ela é uma conquista. Eu sempre escuto do Fernando Bezerra a seguinte frase: “Presidenta, essa obra está prevista há dez anos”. Às vezes ele diz pra mim há cinquenta anos e eu acho que uma obra como essa não podia estar prevista há dez anos. Nós hoje só temos ainda dificuldade em relação à seca porque isso que nós estamos fazendo, hoje, tinha de ser feito há um século atrás. É isso, é por isso. Por isso eu fico muito feliz de estar entregando esse primeiro trecho do sistema Pajeú.

Nós vamos garantir aqui um direito dos mais sagrados: a água. E a água, para nós... e eu acho que, de fato, uma questão que o governador falou e ele tem toda razão: não só nós quebramos o clientelismo da água, mas nós quebramos também o clientelismo com o Bolsa Família. Quando nós... nós acabamos com o clientelismo quando criamos o cartão, acabamos com o intermediário, acabamos com alguns clientelismo no Minha Casa, Minha Vida. Todo mundo que tem... todo brasileiro tem direito ao Minha Casa, Minha Vida. Nenhum órgão tem poder de falar: olha, eu estou te dando a casa. A casa é um direito de cidadania, assim como a água é um direito de cidadania. E a água que faz brotar vida – e nós somos quase todos água –, essa água tem de ser considerada uma das questões estratégicas do Brasil.

Por isso, essa obra não vai terminar aqui. A ministra Miriam disse: “essa obra de Serra Talhada vai chegar a Afogados da Ingazeira, e de Afogados da Ingazeira ela vai a Taperoá, lá na Paraíba, passando por todas as cidades desse trecho. Nós vamos fazer Entremontes, nós vamos assegurar que aqui tenha segurança hídrica construindo também todo sistema do Agreste, o Canal do Agreste, a Adutora do Agreste. Nós iremos investir aqui de forma substantiva, porque um país como nós não pode ter esse tipo de relação com a seca que nós tivemos até hoje. Nós estamos há dez anos no governo, nós tivemos parcerias estratégicas como essa aqui em Pernambuco e várias outras em outros estados. Nós temos obrigação de construir no Brasil, uma garantia de água que permita que a seca seja um evento da natureza, mas não provoque, não mude e não diminua o ritmo das conquistas do povo brasileiro  e do povo nordestino. Por isso, aqui, no Nordeste,  nós  estamos investimento  em torno de R$ 32  bilhões em adutoras, barragens, canais, estações de tratamento, redes de abastecimento de água, programa água para todos.

Nós, e eu faço questão também de lembrar que no próximo ano a interligação da bacia do São Francisco vai chegar  ao reservatório  de Jati, na divisa do Pernambuco com o Ceará. E isso vai significar que nós estamos cercando, cercando, criando uma barreira contra a seca, através dessas adutoras, dessas barragens e de todo um processo de construção como é esse que o governo do Estado vem fazendo com o governo federal nos últimos anos.

Nós sabemos que estamos enfrentando a maior seca dos últimos 50 anos. Em alguns lugares é a maior seca dos últimos 100 anos. Esse é um dado científico, é um dado comprovado. Há um ano nós viemos atuando juntos: os governadores e o governo federal, e as prefeituras. Nós mudamos a questão da operação carro-pipa no governo federal. Quem faz a operação carro-pipa no governo federal é o Exército Brasileiro e é o Exército Brasileiro que está hoje com quase cinco mil carros-pipa, distribuindo água  complementarmente ao que fazem os estados que também têm carros-pipa, mas também não nessa proporção. E o Exército vai continuar e vai aumentar a operação carro-pipa.

Aqui nós temos 826 carros-pipa e também vamos continuar instalando cisternas, vamos continuar instalando cisternas, passando recursos para o governo estadual fazer barreiros e fazer poços. Nós vamos continuar também pagando o seguro garantia-safra de R$ 140 e o bolsa-estiagem de R$ 80. Agora, no dia 02, ele será prorrogado até julho, mas enquanto durar a seca nós iremos pagar seguro garantia-safra e bolsa estiagem.

Nós vamos continuar vendendo milho. Só que agora de uma forma também mais aperfeiçoada, vamos acertar essa venda com os governadores. O governo federal compra milho e vende para o agricultor a um preço mais baixo, para o agricultor do semiárido nordestino. Nós vamos também garantir que assim que a seca pare, assim que a chuva comece, o governo federal vai ter um programa de recomposição de rebanhos. Eu tenho dito isso em todos os estados da União. Eu não sou de prometer sem cumprir, e eu quero dizer para vocês que nós não iremos perder as conquistas que tivemos nesses dez anos. Nós não vamos perder por que? Porque temos coragem, determinação e vontade política de assegurar que o povo daqui dessa região, de todo o Nordeste e do semiárido, tenha condições de voltar a ter a situação que tinha, a melhor situação que tinha antes da seca.

Nós vamos discutir isso nessa reunião que é muito importante e que vai acontecer dia 2 de agosto, desculpa, de abril. Porque eu acredito o seguinte: eu acredito que nós temos que avançar. Nós temos que avançar e temos que assegurar que os mecanismos de combate à seca eles têm que ser permanentes. Não é que nós vamos, de jeito nenhum, ficar com a mesma história todo tempo, mas a hora em que acabar a seca e vier a chuva, nós vamos ter que criar mecanismos que durem e assegurem que as pessoas não sejam atingidas. Exemplo: nós vamos ter que tratar de uma questão que é o estoque da alimentação dos rebanhos. Como é que nós garantimos que haja permanentemente um estoque de segurança, de garantia dos rebanhos aqui na região.

Bom, eu queria dizer também para vocês que durante muito tempo o povo nordestino foi levado a acreditar, ou melhor, até não acho que o povo nordestino acreditava não, mas o resto do Brasil acreditava, que o problema aqui do Nordeste era o clima. E que porque tinha o clima não tinha saída. Eu acho que o problema não é o clima. O problema do Nordeste é a valorização do homem e da mulher pernambucanos, baianos e nordestinos. Valorizar significa perceber, e eu acho que nós provamos isso, que é possível combater a seca de outra forma. É possível combater a seca olhando a seca e percebendo que o homem e a mulher são capazes de vencer quando providenciam os instrumentos corretos. E é isso que nós queremos. Sistema adutor, sim. Sistema adutor, sim. Proteção à pequena agricultura, sim. Garantia do milho, porque o governo federal vai garantir o milho. Se tiver que importar milho, vai importar milho e garantir milho aqui nessa região.

Eu queria dizer para vocês que em que pese tudo isso, nós estamos vendo uma mudança acelerada aqui na região. Pernambuco, eu acho, que é um novo Pernambuco nos últimos dez anos e, sem dúvida, o governador tem um grande papel nisso, e o governo federal, tanto com o Lula quanto na minha gestão, também tem. Nós aqui conseguimos uma questão fundamental. Nós conseguimos que a economia crescesse e que a indústria aqui também aumentasse a sua presença. Nós conseguimos fazer um conjunto de obras que fazem e mostram uma nova face para esse novo Nordeste.

Eu me refiro ao Porto de Suape, à Refinaria Abreu e Lima, à duplicação de estradas federais, o Gasene, a integração do São Francisco e eu queria dizer, tem gente que fica falando, não vai sair a Refinaria Abreu e Lima. São aves de mau agouro, aves de mau agouro que estão erradas, porque nós vamos fazer a Refinaria Abreu e Lima e logo, logo, ela vai estar processando seus 230 mil barris por dia e isso vai significar não só um ganho aqui para Pernambuco, mas para o Brasil, porque essa será a primeira, a primeira refinaria em 33 anos no nosso país.

Eu acredito que obras como o Atlântico Sul, a petroquímica do Nordeste aqui em Suape, tudo isso e as obras da Fiat, elas mostram um novo cenário, um cenário em que essa parceria tem resultado, tem dado resultados efetivos, melhorando aquilo que interessa para as pessoas. As pessoas querem ter um emprego, querem ter um salário certo no fim do dia, querem ter oportunidades, é isso que as pessoas querem.

E aí eu quero dizer para vocês uma coisa: todos esses investimentos que nós fizemos aqui em Pernambuco, se você juntar os investimentos federais e aqueles feitos pelas nossas estatais, nós chegamos a um volume extraordinário, um volume de R$ 60 bilhões, aqui nós botamos R$ 60 bilhões. Porque o governo coloca não só na forma de Orçamento Geral da União, mas coloca na forma de financiamento.

Hoje nós entregamos, aqui, tanto as retroescavadeiras como os ônibus escolares. Mas eu queria dizer para vocês que, além dos investimentos em infraestruturas e empresas, é importante destinar aos prefeitos um trio, um trio que é constituído por um caminhão-caçamba, uma retroescavadeira e uma motoniveladora. Todos os municípios menores de 50 mil habitantes vão receber, mas nós, nesse programa do dia 2 de abril – eu vou antecipar para vocês –, vamos estender também para os municípios do semiárido que tenham mais de 50 mil e estejam no semiárido.

Tem um cartaz ali falando: 10% para a educação. Da minha parte, eu considero que o futuro do Brasil passa pela questão da educação, passa por várias questões da educação, passa pelo curso técnico profissionalizante que nós estamos fazendo, em parceria com o Sistema S, criando 8 milhões de vagas pelo Brasil afora – além disso nós, aqui em Pernambuco, é bom que se diga, matriculamos 42 mil jovens no Pronatec –, passa pelas escolas técnicas estaduais, passa pelas novas universidades.

Nós prometemos 10 institutos federais, institutos técnicos federais até 2014. E nós iremos implantá-los. Entre eles, nós vamos implantar, aqui, todos os projetos já definidos. Eu queria lembrar que inclusive vamos implantar aqui em Serra Talhada um instituto federal de tecnologia e escola profissional. Agora, eu queria explicar para vocês uma coisa. Nenhum governador, nenhum prefeito tem dinheiro suficiente para pagar professor no Brasil. E pagar professor no Brasil é essencial. Ninguém vai melhorar a educação sem dar uma nova importância e um novo status ao professor. Aonde que está o dinheiro? Não, não adianta me bater palmas, não adianta. Eles não têm de onde tirar, eles não têm de onde tirar o recurso, nem os governos estaduais. Por isso, nós mandamos para o Congresso Nacional, numa medida provisória, que todos os royalties do petróleo do governo federal, dos governos dos estados e das prefeituras fossem destinados à educação, porque esse país só vai para a frente se nós investirmos, de forma significativa, na educação. E aí não é só construir escola, construir escola faz parte. Aí é valorizar, valorizar aquele que ensina nossos filhos, nossos netos. É valorizá-los. Mas não é só valorizá-lo, é formá-lo melhor.

E eu quero dizer aqui para todos que nenhum país do mundo virou uma nação desenvolvida sem alguns requisitos. Primeiro, sem escola em tempo integral. Escola em tempo integral não é aquela que primeiro ensina matemática, português e uma língua e ciências de manhã e de tarde faz arte e faz esportes. Não é isso não. Escola em tempo integral faz português, matemática, ciências, um língua o dia inteiro. Em todos os países desenvolvidos é assim. Pode fazer também futebol e artes, mas isso é complementar, suplementar. Escola em tempo integral é para que nossos filhos sejam melhores do que nós. Que é o anseio de todo pai e de toda mãe, os seus filhos serem melhores que eles. Daí só tem um dinheiro de onde a gente pode tirar, e esse dinheiro é dos royalties do petróleo no Brasil. Por quê? Porque nós temos de fazer isso nos próximos dez anos, nós precisamos fazer isso nos próximos dez anos. Nos próximos dez anos nós temos de garantir que as crianças até oito anos de idade saibam fazer as contas de aritmética, saibam ler um texto simples e interpretar. Isso chama-se alfabetização na idade certa. O Brasil precisa que suas crianças tenham uma qualidade de educação que vai, progressivamente, atingindo a cada um de nós, as indústrias, a agricultura, aos serviços.

Por isso, eu quero dizer para vocês que 10% da educação... eu não sei se são só 10[%], se no início é um pouco mais de 10[%] e depois vira 10[%]. Agora, eu sei de onde sai o dinheiro. O dinheiro sai de onde tem dinheiro, que é dos recursos originários da exploração do petróleo no nosso país.

Nós diminuímos a distância entre ricos e pobres. Todo mundo hoje pode se orgulhar disso. Você pega um avião hoje, e gente que nunca entrou num avião nos últimos dez anos, está lá sentada junto com todo mundo. Nós sabemos que a questão fundamental do nosso país é que diminuiu a distância. O que mudou no Brasil? Se perguntarem para vocês: o que mudou no Brasil? Sabem o que mudou no Brasil? Nós diminuímos as distâncias entre ricos e pobres, mas nós fizemos isso acelerando a renda dos mais pobres, que cresceu mais de 90%, enquanto a renda dos mais ricos também cresceu, mas cresceu menos, cresceu 16%. Essa é uma questão fundamental para um país como o nosso.

Nós também não seremos uma grande nação enquanto não acabarmos com a pobreza. Não seremos, não tem jeito. Aquela visão que excluía uma parte da população e uma parte do Brasil foi, nos últimos dez anos, enterrada. Foi isso que aconteceu no Brasil. Nós mudamos, completa e totalmente, o que vinha acontecendo.

E eu quero dizer para vocês que nós iremos mudar ainda mais. Nós iremos mudar a infraestrutura do país, que precisa ser mudada. E aqui eu vou antecipar aquilo que o ministro estava doidinho para anunciar, e ele tem razão de querer anunciar, porque uma parte ele sempre defendeu essa questão e eu acho que ele tem razão, que é a questão das ferrovias. Nós vamos fazer uma ferrovia por dentro do estado de Pernambuco.

O ministro defendeu porque tinha previsto uma ferrovia que nós vamos manter que sai de Salvador e vai até Recife, ou vai de Recife a Salvador. E a proposta do ministro era uma outra ferrovia, que saindo desse trecho, da Transnordestina, subiria por dentro do estado e chegaria a Petrolina. É Garanhuns-Petrolina, Parnamirim, Petrolina e depois Salvador. Você pode levantar e falar sua ferrovia. Não, eu vou deixar... aqui meu filho … ô gente, ele está se fazendo... porque eu avisei a ele que eu ia chamar...

Ministro Fernando Bezerra: Pessoal, na realidade esse é um pleito antigo de Pernambuco, a gente brigou muito junto à equipe do setor de infraestrutura do governo federal e a presidenta Dilma nesta semana bateu o martelo. Além de lançar a concessão ferroviária que liga o Porto de Suape ao Porto de Aratu, que é essa ferrovia Recife-Salvador, nós vamos também ter a opção – que é um sonho antigo, sonho de mais de 60, 70 anos, que é pegar a linha em Parnamirim, a ferrovia desce para Petrolina, atravessa o São Francisco em Juazeiro e leva a ferrovia, que é a Centro Atlântica, de Juazeiro até sair em Salvador. Esse é o pleito que a gente lutou com apoio do governador Eduardo Campos, com apoio da presidenta Dilma, a gente está ganhando uma grande conquista, esta se chama a integração ferroviária do Nordeste.

Presidenta Dilma: E ela faz parte de uma decisão do governo federal de investir pesadamente em infraestrutura. Nós fizemos uma primeira parte de ferrovias, em torno de 10 mil quilômetros. O governo federal está licitando esses 10 mil quilômetros no qual está essa integração entre o porto de Aratu e o de Suape, Salvador e Pernambuco. Mas agora nós estamos entrando já na segunda fase, e nessa segunda fase está contemplada essa ferrovia da integração que eu chamo a integração do interior de Pernambuco com o restante do Nordeste.

E eu queria encerrar lembrando o nosso querido Ariano Suassuna. Em dois momentos da vida do Ariano Suassuna, ele disse, primeiro com uma indignação de poeta, que “o Brasil oficial devia se tornar a expressão do Brasil real”. O Brasil oficial sempre foi aquele que excluiu uma parte da população brasileira das oportunidades e do benefício do desenvolvimento. Por isso, coincidir o Brasil real e o Brasil oficial foi algo que eu acho muito importante dizer aqui para vocês que o governo do presidente Lula deu início, e eu tenho a honra de ter continuado.

E, depois, o Ariano, refletindo sobre a luta que nós travamos nos últimos 20 a 30 anos – eu não vou falar quanto tempo eu estou nisso, porque tem muitos anos, vocês vão ficar impressionados como eu estou velha –, mas ele reconheceu, naquela época, com grande realismo, mas não havia nenhuma rendição nesse reconhecimento, ele reconhecia que era muito difícil vencer a injustiça secular que dilacerava o Brasil em dois países, dois países distintos: de um lado, o país dos privilegiados e, de outro, o país dos despossuídos.

Eu acredito que os poetas, eles têm essa clareza de simplificar as coisas, de mostrar com lucidez e clareza qual é o caminho. E o nosso querido Ariano tem razão: é mais que necessário que o Brasil oficial se torne o Brasil real, que no Brasil oficial, que é o Brasil do Palácio, entre aquele catador de papel. É fundamental que a política desse Brasil oficial tenha um governo que coloque: “país rico é país sem pobreza”. Porque no Brasil já teve época em que país rico era país que não se tratava da questão social. Se tratava só da questão econômica.

Eu quero dizer também que essa injustiça secular que dilacerou o Brasil, ela vem sendo superada, e isso que nós fizemos nesse ciclo é algo extremamente importante. E quero dizer para vocês que agora, em 2013, nós vamos acelerar ainda mais essa transformação. O Brasil vai continuar numa trajetória de estabilidade e de controle da inflação, mas de crescimento. Nós vamos continuar sendo um dos países com a menor taxa de desemprego do mundo, mas, sobretudo, nós vamos, cada vez mais, provar que o país só será um país forte, um país desenvolvido se nós tivermos a determinação, a coragem de continuar por esse caminho, e esse caminho é um caminho deste país complexo, deste país com tantas diferenças, deste país grande e democrático, deste país sem guerra. Somos uma das poucas regiões do mundo que há mais de 150 anos vivemos em paz com os nossos vizinhos. Mas, sobretudo, dessa capacidade de construir, democraticamente, uma coalizão para dirigir este país. Nenhuma força política sozinha é capaz de dirigir um país com esta complexidade. Precisamos de parceiros, precisamos que esses parceiros sejam comprometidos com esse caminho.

Nós todos aqui temos, talvez, a maior das energias para levar à frente a tarefa de sustentar nosso projeto de nação. Essa tarefa de sustentar o projeto de nação, ela tem uma fonte de força e de energia. Eu diria que tem duas fontes. Primeiro, é a força do povo que caminha junto com a gente nesse caminho, e, segundo, é o imenso amor pelo Brasil que esses nossos parceiros, todos, têm demonstrado na sua história.

Eu queria terminar pedindo a todos vocês que se levantassem e que nós disséssemos um “viva” em conjunto: viva Pernambuco! Viva! E viva o Brasil! Viva! (Via Blog do Planalto)

Presidenta Dilma Rousseff

Ouça a íntegra do discurso (49min58s) da Presidenta Dilma

Em Pernambuco, Dilma entrega primeiro trecho de Adutora, retroescadaveiras e ônibus escolares


Em viagem a Serra Talhada (PE), nesta segunda-feira (25), a presidenta Dilma Rousseff visitará a Estação de Tratamento de Água Cachoeira II, do Sistema Adutor Pajeú, cujo primeiro trecho será inaugurado em cerimônia após a visita.


Durante o evento também serão entregues 22 retroescavadeiras, adquiridas pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), com um investimento de R$ 3,8 milhões. Agora, são 68 municípios pernambucanos beneficiados com os novos equipamentos, que serão utilizados para reestruturar estradas vicinais.


Ônibus escolares

Ainda será feita a entrega de ônibus escolares a municípios do sertão pernambucano. Até junho, 29 prefeituras da região serão contempladas pelo programa Caminho da Escola, criado em 2007, e que tem como objetivo renovar a frota de veículos de transporte escolar, garantindo segurança e contribuindo para o acesso e permanência dos alunos nas escolas da rede pública da educação básica.


Anunciada por Dilma, Adutora Pajeú já beneficia mais de 90 mil famílias em Pernambuco


Serão entregues nesta segunda-feira (25), em cerimônia com a presença da presidenta Dilma Rousseff, em Serra Talhada (PE), os primeiros 118 km do Sistema Adutor Pajeú, que vai de Floresta a Serra Talhada. Esse primeiro trecho já beneficia cerca de 90 mil famílias e evitou que a região sofresse os efeitos da forte estiagem deste ano.

Após a sua conclusão, com um investimento de R$ 547 milhões, os 598 km de extensão da Adutora vão captar água do Rio São Francisco e do Eixo Leste do Projeto de Integração do Rio São Francisco e atenderão 400 mil pessoas, em 21 municípios de Pernambuco e oito da Paraíba. O restante da primeira etapa (79 km) está previsto para ser entregue até o início do segundo semestre.

As manchetes desta terça


- Jornal do Commercio: Menos água nas barragens

- Globo: Fantasma europeu – Emergentes criam fundo de US$ 100 bi contra crise

- Folha: Não se dirige o país só, diz Dilma em ato com Campos

- Estadão: Ao lado de Campos, Dilma cobra ‘aliado comprometido’

- Correio: Lei das domésticas vai abrir embate judicial

- Valor: Liminares impõem perdas a bancos no consignado

- Estado de Minas: Epidemia – Diante do avanço da dengue, autoridades de Saúde do estado e de BH já admitem quadro crítico

- Zero Hora: Senado deve aprovar hoje direitos para domésticas

Leia os destaques de capa de alguns dos principais jornais do país.

segunda-feira, 25 de março de 2013

Dilma enfia Lula pela goela de Eduardo


Dilma: Lula nunca se esqueceu de onde veio. E Eduardo ?

Na solenidade em Serra Talhada para inaugurar o Sistema Adutor do Pajeú, Dilma mostrou a Eduardo Campos como vai tratá-lo na campanha eleitoral.

Dilma enumerou a longa lista de obras que Lulilma fizeram em Pernambuco.

Falou dos programas diretamente dirigidos aos pobres.

Como o abastecimento de água que inaugurava.

De Suape – a jóia da coroa de Eduardo – em que Lula e Dilma construíram a refinaria Abreu e Lima, a primeira que o Brasil constrói em 30 anos !, e que, em breve, vai produzir 2 mil e 300 barris/dia, os estaleiros, e o complexo petroquímico ali em volta.

O mais significativo, porem, foi Dilma reforçar a enfase que Lula deu a Pernambucano – como se dissesse: Eduardo, não venha me dizer que você fez isso sozinho.

E o que tornou o Governo Lulilma diferente foi colocar o povo no centro.

Dilma lembrou que tem lado, que estar ao lado do povo significa ter lado e vai ser muito difícil renegar essa “parceria”, a que ela se referiu muitas vezes.

Dilma tratou Eduardo a pão e água.

Com a distância protocolar que dispensa a um Governador da Oposição.

Quase não falou o nome dele – falou mais em Renata, mulher dele, que ajudou o Governo Federal a montar um programa de creches.

Dilma encheu a bola do Ministro Fernando Bezerra da Integração – aliado de Eduardo, mas que fez um discurso em que elogiou bastante Dilma.

Convocado ao microfone por Dilma, Bezerra anunciou a construção de uma ferrovia que vai cortar Pernambuco.

Ao sair da ligação ferroviária entre Suape (Recife) e Aratu (Salvador), essa nova ferrovia vai a Parnamirim, Petrolina e corta o São Francisco em Juazeiro.

Depois de enquadrar o Benjamin Steinbruch na Transnordestina (o que deve ocorrer breve), Dilma poderá chegar ao eleitor de Pernambuco em 2014 com essa nova obra fundamental, estratégica.

O recado foi claro.

Eduardo, quero ver você trair o que deve a Lula.

E a mim.

E a Arraes, a quem ela citou, como um leão na defesa das causas do povo. 

O discurso de Eduardo foi de calorosa oratória anódina.

Citou o avô para falar da seca.

E defendeu o direito de divergir.

Foi massacrado pela Presidenta que subiu no palanque da campanha.

Que avisou: eu tenho o que mostrar ao povo de Pernambuco.

E o Lula vem comigo pro palanque.

Paulo Henrique Amorim

Dilma e Eduardo dividem um palanque em PE


A um ano e meio da sucessão presidencial, basta abrir um jornal ou uma janela para dar de cara com os candidatos. O brasileiro tem mais o que fazer. Mas já não adianta virar o rosto. Eles estão em toda parte. Nesta segunda, por exemplo, Dilma Rousseff e Eduardo Campos oferecerão à plateia doses maciças de dissimulação.

Com a amizade já bem cansada, a presidente e o governador pernambucano dividirão o mesmo palanque na cidade de Serra Talhada. Dilma anunciará investimentos de R$ 500 milhões numa adutora. Vai ser divertido acompanhar os discursos da visitante e do anfitrião.

A aliança entre ambos, já em avançado estágio de decomposição, permanece insepulta como um símbolo da hipocrisia e do faz-de-conta que caracterizam a atividade política. A ornamentação do palco da uma ideia do teatro. Governa a cidade o petista Luciano Duque, cuja tribo providenciou faixas pró-Dilma.

Lê-se nas faixas uma mensagem que realça em vermelho os sentimentos de “gratidão e lealdade” que Serra Talhada supostamente devota a Dilma. Uma alusão à alegada ingratidão e deslealdade de Eduardo Campos, que investe contra um governo que recobre Pernambuco de verbas desde Lula.

Aliados do governador também plantaram pela cidade placas de agradecimento. Devem assegurar a Eduardo, de resto, uma claque à altura da de Dilma. Informa-se no Planalto que Dilma deve encurtar sua passagem pela capital, Recife. Sérgio Cabral (PMDB), governador do Rio, ofereceu-lhe um bom pretexto.

Cabral convidou Dilma para uma missa em memória das vítimas dos deslizamentos de Petrópolis. Com isso, a presidente terá de deixar Pernambuco antes do previsto. A menos que Eduardo a convença do contrário, não deve almoçar com o quase-futuro-rival. Melhor assim. Evita-se a indigestão. (Via Josias Souza)

As manchetes desta segunda


- Jornal do Commercio: Tentando fazer diferente

- Globo: Benefício fiscal – Deputados incluem armas em pacote de desonerações

- Folha: Cota não atrai aluno da rede pública a vestibular

- Estadão: Mesmo com safra recorde, inflação de alimentos resiste

- Correio: Inadimplência no Pró-DF chega a 68%

- Valor: Empresas divergem sobre a desoneração de salários

- Estado de Minas: Empregado em casa será artigo de luxo

- Zero Hora: Lei da transparência a passos lentos no RS

Leia os destaques de capa de alguns dos principais jornais do país.

domingo, 24 de março de 2013

Eduardo Campos: O bonequinho de Olinda da mídia


Saiu na Folha (*):

Dá para fazer muito mais que Dilma, diz Eduardo Campos em jantar com empresários

"Dá para fazer muito mais" que a presidente Dilma Rousseff. Com esse, digamos, slogan, o governador Eduardo Campos (PSB-PE), de Pernambuco, passou seu recado a um grupo de 60 empresários que se reuniram na quinta-feira (14) em SP, num jantar, para conhecê-lo melhor --e descobrir se ele é, mesmo, candidato à presidência. Boa parte saiu de lá com a certeza de que Campos vai, sim, se lançar contra Dilma em 2014. 

(...)

por Neto Sampaio

O alerta já foi dado pelo jornalista Maurício Dias - CartaCapital - e chama a atenção não só pelo fato em si, mas pelas consequências futuras para a reeleição da presidenta Dilma Rousseff em 2014: "A reeleição de Dilma, apoiada somente na popularidade, corre risco pelo ataque unânime da mídia." _ Água mole em pedra dura.

Cá entre nós! É impossível – em um país do tamanho do Brasil - um partido governar sozinho, certo? O que não é possível, é um partido da base aliada do governo, está ajudando a oposição a pautar os jornalões! Como bem dissera o presidente do Partidos dos Trabalhadores, Rui falcão: A verdadeira oposição no Brasil é a grande mídia... Ou, como bem cunhou o deputado Fernando Ferro, o PIG. (Partido da Imprensa Golpista)

Aos senhores da casa-grande, - que ainda não digeriram a indigesta candidatura do cambaleante senador mineiro, Aécio Neves - embarcar na “inesperada” candidatura do governador pernambucano ao Planalto, será a melhor saída à possíveis frustrações futuras , para isso, espaço e elogios, é o que não irá faltar - nos jornalões - para a mais nova oposição no Brasil, Campos.

Talvez a falta de “Tchan” e do desinteresse do eleitorado pelo velho, tenham levado a velha imprensa a entrar de corpo e alma na provável candidatura de Eduardo - o "novo" - ao Planalto, fazendo do senador mineiro, um mero, coadjuvante nesse jogo político... Que dia após dia, vê seu nome reduzido aos rodapés dos jornais.

Segundo Merval, - que não dá murro em ponta de faca - “aquela que um dia pareceu ser uma chapa possível para a disputa da presidência da República – Aécio Neves na cabeça e Eduardo Campos de vice – tornou-se uma combinação improvável.” O I-M-O-R-T-A-L membro da (ABL)... - que aliás, detinha de precisão e pontualidade nos domínios e fatos antes e durante o julgamento do “mensalão”, como a um relógio suíço - acredita que: “Caso o senador Aécio Neves tenha que desistir da candidatura por divergências insanáveis,” - será se vêm mais dossiês via Cerra por aì? - a nova direita-endireitada de Campos, ganhará apoio da bancada tucana em Minas, já que em São Paulo, tucano que sobe a serra, também  pousa em campo.

E já que, Aécio Neves presidente... Nunca será! O único candidato capaz de unir mídia e oposição em 2014, seria ele... o paladino da direita, o senhor da ética e das massas, o cidadão humildade, ou simplesmente...: Chico Bergoglio Cerra.

Só resta saber se Campos estar disposto a bailar na companhia de Cerra em 2014, ao ritmo e som da casa-grande!

Pelo sim, ou pelo não, faço das palavras de André Singer as minhas... "O  governo parece alimentar a ilusão de que pode recuperar a lealdade de Campos mais à frente. A lógica indica, entretanto, que só a terá se e quando não precisar mais dela." _Leia mais aqui: Eduardo Campos, o traíra da vez? (Via PIG - Imprensa Golpista)

terça-feira, 19 de março de 2013

Alckmin veta Aécio na chefia do PSDB


Não são apenas os bafômetros do Rio de Janeiro que atrapalham os sonhos presidenciais de Aécio Neves. Os tucanos dão muito mais trabalho. Na semana passada, o governador paulista Geraldo Alckmin explicitou que discorda do projeto do senador mineiro de presidir o PSDB como forma de alavancar sua candidatura para 2014. O recado curto e grosso foi dado durante um jantar no apartamento do próprio Aécio Neves, em Brasília, segundo relato da repórter Daniela Lima, da Folha. Quando não é a ressaca, é a indigestão!


A discordância foi expressa diante dos outros cinco governadores tucanos e dos principais líderes da sigla. “Alckmin afirmou que Aécio ‘não precisaria’ presidir o PSDB para se viabilizar e sugeriu que a projeção que ganharia no cargo seria prejudicial para suas aspirações, ao colocá-lo em atrito permanente com o governo. Nenhum outro governador concordou com Alckmin no jantar, mas o episódio serviu para expor as dificuldades que Aécio encontra para unir o partido em torno de seu projeto político”, descreve a matéria.

A manobra para eleger o senador mineiro como presidente nacional do PSDB foi articulada por seus aliados e recebeu o respaldo do ex-presidente FHC, o “guru” dos tucanos. Ela era considerada essencial para viabilizar o projeto do cambaleante candidato. Mas esbarrou em obstáculos. O primeiro a chiar foi José Serra, o eterno candidato tucano, que até andou insinuando que poderia deixar a legenda. Agora, é Geraldo Alckmin que reclama do apetite dos aecistas. As bicadas no ninho tucano são cada vez mais sangrentas! (Via Blog do Miro)

segunda-feira, 18 de março de 2013

Últimas vagas para o curso de pós-graduação em Auditoria em Serviço de Saúde


A Autarquia do Ensino Superior de Garanhuns (AESGA) ainda dispõe de vagas para o curso de Pós-graduação em Auditoria em Serviços de Saúde.

Especialmente desenvolvido para os gestores da área de saúde, a especialização tem como principal objetivo habilitar profissionais para atuarem na avaliação, implantação, desenvolvimento e controle da Auditoria de Sistemas e Serviços de Saúde, gerados no processo da assistência, otimizando os recursos existentes nas organizações, especializando os profissionais na administração de serviços e auditagem em saúde.

Além de capacitar os profissionais para o exercício competente das funções de auditores de sistemas de saúde, o Curso ainda tem a função de formar profissionais para prestação de auditoria em empresas prestadoras de serviços, como hospitais, clínicas e laboratórios e de assistência médica e hospitalar.

As inscrições estão sendo realizadas no protocolo da Instituição, no horário das 14 às 21 horas. As aulas terão início no próximo mês de abril.

SERVIÇOS: Mais informações estão disponíveis no site www.aesga.edu.br ou através do telefone (87) 3761-1596/Ramal 235.

Governador Eduardo Campos sufoca oposição


Reduzida a uma meia dúzia de deputados, a oposição ao governador Eduardo Campos (PSB) na Assembleia de Pernambuco adotou a estratégia de blitze para caçar vidraças do presidenciável.

O problema é que, além de desidratado, esse grupo de parlamentares tem sido barrado na busca por falhas na administração do Estado.

No fim de fevereiro, os deputados não puderam entrar nas obras inacabadas do complexo prisional de Itaquitinga, na zona da mata, sob a justificativa de se tratar de um empreendimento particular feito por meio de uma parceria público-privada (PPP).

Na quinta-feira passada, foram barrados novamente, desta vez no Laboratório Farmacêutico do Estado de Pernambuco (Lafepe).

Segundo a administração do laboratório, os deputados não puderam entrar por causa de normas sanitárias que restringem o ingresso de pessoas estranhas na área de produção de medicamentos.

A oposição diz que continuará a tentar fazer as blitze.

A elevada popularidade do governador, com aprovação de quase 90% em algumas pesquisas, dificulta o trabalho da oposição.

Conforme a indicação original dos partidos, seriam 9 deputados de oposição contra 40 da base aliada.

Na prática, porém, somente seis vão contra o governador. Recentemente, dois partidos oposicionistas, PMDB e PV, se tornaram aliados do presidenciável do PSB.

O primeiro mudou de lado depois que o senador Jarbas Vasconcelos (PMDB), ex-rival, passou a apoiar Campos.

O único representante do PV na Assembleia era Daniel Coelho, que migrou para o PSDB e neste ano se tornou líder da pequena bancada de oposição. Para ele, o processo de desidratação das oposições é nacional.

Em São Paulo, por exemplo, a oposição ao governo de Geraldo Alckmin (PSDB) conta com somente 26 dos 94 deputados. Situação parecida com a de Minas Gerais, onde 15 dos 77 deputados se declaram de oposição ao tucano de Antonio Anastasia. (Via Folha Online)

quinta-feira, 14 de março de 2013

Prefeito recebe empresário do Garden Shopping


O prefeito Izaías Régis recebeu na manhã desta quarta-feira (13), em seu gabinete, os empresários do Grupo TENCO, responsáveis pelo Projeto do Garanhuns Garden Shopping. Também participaram do encontro os secretários Geandré Nogueira, Wanderley Lopes, bem como o procurador do município, Dr. Tiago Ferreira. Além destes, os empresários Jânio e Jairo Almeida e Claudemir Brasil, marcaram presença na Reunião.

O empresário Eduardo Gribel, presidente do grupo Tenco, repassou aos presentes alguns projetos de construção de outros empreendimentos em cidades como: Arapiraca – AL, Montes Claros e Betim, em MG, além do shopping Boa Vista, no estado do Acre, os quais se assemelham ao Shopping que será construído em Garanhuns.

O prefeito assegurou a parceria com o Grupo apoiando principalmente no que diz respeito à qualificação profissional. “Vamos apoiar a implantação do shopping em nossa cidade, oportunizando cursos que qualifiquem a mão de obra necessária, com treinamentos e cursos específicos”, destacou o Governante Municipal.

Segundo informações do secretário de Desenvolvimento Econômico do município, Geandré Nogueira, em breve as obras para construção do mall serão iniciadas. “Foi-nos apresentado um novo Projeto e o grupo Tenco reafirmou a intenção de investir o mais rapidamente na construção. As negociações já estão bem adiantadas”, afirmou.

Entretanto, o secretário declarou ainda que não é o momento de falar em prazos. “A própria Tenco ainda está em ajustamento interno com as Empresas que irão construir o centro de compras. O processo está em ritmo acelerado, o prefeito Izaías vem cobrando dos empresários uma maior celeridade em sua execução, e também vem trabalhando juntamente com seu Secretariado em apoio ao Grupo Tenco e demais empresários”, finalizou.

Servidores da Secretaria da Fazenda participaram de treinamento

Nesta segunda-feira (11), servidores da Secretaria da Fazenda de Garanhuns participaram de um treinamento com o tema geral “A Interação dos Departamentos da Secretaria da Fazenda”. O encontro reuniu 40 servidores e aconteceu na Associação Comercial e Industrial de Garanhuns (Acig), na Rua Dr José Mariano, Centro.

No treinamento, os participantes receberam mais detalhes sobre o funcionamento de cada departamento da Secretaria, foram eles: tributação, arrecadação, despesa, receita, contabilidade, organização e controle e convênios. “Cada chefe teve de 10 a 15 minutos para dizer o que ele faz e como pode interagir de forma mais eficiente e eficaz nas atribuições do dia a dia”, destacou.

Na ocasião, o secretário Evilson Rêgo ministrou palestra com o tema “O Segredo do Sucesso da Existência Humana”. O secretário ressaltou que o objetivo é mostrar o sentimento de grandeza do servidor público. “Nós queremos passar para o nosso servidor a importância da prestação do serviço público e a busca constante pela excelência neste serviço”, finalizou.

quarta-feira, 13 de março de 2013

24º Encontro Garanhuense de Jornada Espírita começa hoje

Começa hoje às 20h, no Centro Cultural Alfredo Leite Cavalcanti, o 24º Encontro Garanhuense de Jornada Espírita - ENGAJE, com a presença do artista espirita Nando Cordel ao lado de grandes palestrantes espiritas de Pernambuco e Alagoas, tais como, Lourenço Barros (PE), Ricardo Brandão (AL), Carlos Eduardo Sancier (PE) e Silvio Romero (PE).

SERVIÇO

Quarta-feira, 13 de Março de 2013

ABERTURA: Projeto Cultural Nando Cordel - O Homem é um analfabeto emocional
Participação de Lourenço Barros
Local: Centro Cultural Alfredo Leite Cavalcanti
Hora: 20h

Sábado, 16 de Março de 2013

Palestra com o Orador Ricardo Brandão de Alagoas
Local: Seara Espírita Allan Kardec
Hora: 20h 

Sexta-feira, 22 de Março de 2013

Palestra com o Orador Carlos Eduardo Sancier de Pernambuco
Local: Seara Espírita Allan Kardec
Hora: 20h

Sexta-feira, 29 de Março de 2013

Palestra com o Orador Silvio Romero de Pernambuco
Local: Centro Cultural Alfredo Leite Cavalcanti
Hora: 20h

Sábado, 30 de Março de 2013

SEMINÁRIO
Expositor: Silvio Romero
Local: Seara Espírita Allan Kardec
Hora: 9h

ENTRADA FRANCA PARA TODOS OS EVENTOS

Direitos Humanos participa de homenagem as mulheres

Pedro Passos, Primeira Dama Socorro Régis e amigas
A Secretaria de Direitos Humanos e Cidadania da cidade de Garanhuns participou de intensa programação em homenagem a mulher em seu dia na última sexta-feira 08 de março.

Fátima Correia e Rosa Quidute
A maratona começou logo cedo com a participação da diretora da secretaria, Fátima Correia, em um city tour, promovido pelo HEMOPE, pelos principais pontos turísticos da cidade das flores, finalizando com um café da manhã no Chocolate Sete Colinas do bairro de Heliópolis.

Pedro Passos e Rosa Quidute
Logo em seguida o secretário da pasta participou das homenagens às mulheres no Palácio Celso Galvão, a sede do governo municipal, ao lado do prefeito Izaías Régis, a primeira dama Socorro Régis, a vice-prefeita Rosa Quitute e demais secretários e autoridades.

Fátima Correia e amigas
Na parte da tarde, mais uma vez representando a pasta em evento promovido pelo grupo “Mulheres Bem-Vindas” no seminário, esteve presente a diretora Fátima Correia.

Pedro Passos e crianças do coral
A noite, finalizando a maratona, estiveram presentes em homenagem as mulheres na câmara de vereadores, o secretário Pedro Passos e a diretora Fátima Correa.

terça-feira, 12 de março de 2013

Vereador Paulo Leal faz prestação de contas


Nas 05 (cinco) primeiras Reuniões Ordinárias realizadas na Câmara Municipal, o vereador Paulo Leal (PSB) apresentou diversas proposições que buscam atender os anseios da população do Distrito de São Pedro e do município de Garanhuns como um todo, confira:

Instalação de uma “CASA DE APOIO” na cidade do Recife para atender aos pacientes de Garanhuns que fazem tratamento médico na capital pernambucana, garantindo acomodação e alimentação.

Implantação de uma “CRECHE” no Distrito de São Pedro com o propósito de atender os vários pedidos dos moradores do Distrito, que beneficiará as mães que precisam trabalhar e, muitas vezes, deixam seus filhos com parentes e vizinhos. 

Implantação do Regime de Ensino em Tempo Integral na Escola José Ferreira Sobrinho, no Distrito de São Pedro para contribuir na melhoria do rendimento escolar, preencher as necessidades extracurriculares e favorecer um melhor aproveitamento do tempo ocioso. 

Implantação de mais uma equipe para o Conselho Tutelar considerando que precisa ser ampliado para poder melhor atender toda demanda existente, tendo em vista a extensão territorial, o crescimento populacional e a complexidade dos problemas sociais do município

Reativação do Posto Policial e permanência do efetivo da Policia Militar no Distrito de São Pedro objetivando garantir a segurança dos moradores daquela localidade.

Instalação de um Semáforo no cruzamento da Avenida Sátiro Ivo com a Rua Santa Terezinha no bairro do Magano por conta do eminente perigo constante que o trânsito naquela localizada provoca a todos.

Reforma completa do Estádio de Futebol Abílio Camilo Valença, no Distrito de São Pedro devido o mesmo encontrar-se em estado precário de conservação, necessitante, urgentemente, a revitalização daquela praça de esportes.

Ampliação do Cemitério Santo Antonio e construção de uma Capela de Velório, além da construção do calçamento da Rua José Luiz de Lima que dá acesso ao cemitério no Distrito de São Pedro.

Calçamento das Ruas: Francisco Tenório de Albuquerque e Antonio Adeildo Ferreira, no Distrito de São Pedro visando atender o pleito dos moradores das referidas artérias e minimizar os problemas que os mesmos convivem.

Implantação de uma escola de Ensino Médio no Distrito de São Pedro para atender a solicitação dos alunos que são obrigados a se deslocarem até a sede do município para concluir o tão sonhado ensino médio.

As manchetes desta terça


- Jornal do Commercio: Igreja decide seu futuro

- Globo: Trono vazio no Vaticano: Conclave começa com brasileiro entre favoritos

- Folha: Presidente do STF critica bancos no combate ao crime

- Estadão: Bancos são “lenientes’ com crime de lavagem, diz Barbosa

- Correio: 115 cardeais, um único papa

- Valor: Partidos disputam cargos em 6 agências reguladoras

- Estado de Minas: Que o Espírito Santo os ilumine

- Zero Hora: Seca encolhe economia do RS e reforça o papel da irrigação

Leia os destaques de capa de alguns dos principais jornais do país.

segunda-feira, 11 de março de 2013

As manchetes desta segunda


- Jornal do Commercio: Brasileiro cada vez mais favorito a papa

- Globo: Razões do pibinho – Gastos em Transportes caem R$ 4,3 bi em um ano

- Folha: Igreja vive um ‘tempo difícil’, diz dom Odilo

- Estadão: Às vésperas do conclave, cardeais falam de reconciliação

- Correio: Brasileiro vive dia de papa em Roma

- Estado de Minas: BH, capital do trabalho

- Zero Hora: Polo naval esbarra na falta de mão de obra

Leia os destaques de capa de alguns dos principais jornais do país.

sexta-feira, 8 de março de 2013

Deputado Federal Jorge Côrte Real visita Garanhuns


Na manhã desta sexta-feira (8), o prefeito Izaías Régis recebeu em seu gabinete o deputado Federal e presidente da Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (Fiepe), Jorge Côrte Real. Outras autoridades locais, como secretários e vereadores, participaram do encontro. Em pauta, a parceria entre o Governo Municipal e as ações da esfera federal.

Em seu discurso, Izaías Régis falou das conquistas já trazidas para Garanhuns e sua expectativa para implantação de novos projetos que viabilizem emprego e renda para a população, destacando a importância da qualificação profissional de todos. “Vamos continuar trazendo o melhor para Garanhuns. É preciso acreditar nos potenciais do município e buscar recursos junto aos Governos do Estado e Federal”, destacou.

Na solenidade, foi entregue ao Deputado uma pauta de reivindicações para serem executadas no âmbito municipal. Entre os pedidos pleiteados estão, uma ação, junto aos Ministérios, para dar celeridade à liberação de recursos para a Caixa Econômica Federal, já que alguns contratos estão parados por falta de recurso; Desenvolvimento de ações junto ao Ministério das Cidades com o objetivo de viabilizar o saneamento básico de alguns bairros de Garanhuns e o pedido, por meio da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), para o aumento da cota de milho direcionado aos produtores da bacia leiteira da região.

Outras solicitações foram feitas quanto à oferta de novos cursos, como por exemplo: curso para eletricista em iluminação pública e curso para redução do desperdício das construções civis. O convidado declarou que estará ainda mais empenhado em suas responsabilidades com o município. “O meu compromisso com o povo é ainda maior. Vamos continuar defendendo os interesses da população para melhorar o bem-estar e a qualidade de vida dos moradores. O Agreste Meridional sempre me fascinou. Tenho me empenhado em trazer investimentos para Garanhuns e outras regiões do Estado”, finalizou.

Colégio Santa Joana D`Arc faz homenagem a Mulher


quinta-feira, 7 de março de 2013

Garanhuns tem extensa programação no Mês da Mulher


As comemorações englobam atendimentos na área da saúde, apresentações culturais e assistência social

Comemorado internacionalmente em oito de março, o Dia da Mulher simboliza a luta feminina pela garantia de seus direitos como cidadãs. Em Garanhuns, Agreste Meridional do Estado, uma programação especial será realizada durante este mês. Serão diversas atividades gratuitas espalhadas pelos bairros do município. A abertura oficial dos festejos acontece na sexta-feira (8), a partir das 8h, em frente ao Palácio Celso Galvão, na Avenida Santo Antônio, onde irão se apresentar a Orquestra Manoel Rabelo e as crianças do Projeto Orquestrando Vidas.

Ações Integradas - O Serviço Social do Comércio (Sesc), estará com uma ação de cidadania no Espaço Colunata, no Centro, numa parceria com a Secretaria de Saúde, a partir das 9h. Internamente, o Sesc Garanhuns também vai realizar oficinas de beleza, cultura e lazer o dia inteiro.

A Associação e Convivência da Terceira Idade de Garanhuns (Acontigus) vai ter uma programação voltada para a terceira idade nos turnos da manhã e tarde. Já a Associação das Mulheres Unidades de Garanhuns estará ofertando palestras de empreendedorismo e cuidados com a saúde.

Na Câmara Municipal de Vereadores, haverá uma sessão solene em comemoração aos 202 anos da cidade de Garanhuns, com menção ao Dia da Mulher, com previsão de início às 16h.

No Seminário São José, localizado na Avenida Rui Barbosa, no Bairro Heliópolis. A Associação Mulheres Bem Vindas realizará um ciclo de palestras e homenagens durante a tarde.

Outras atividades serão realizadas nos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) espalhados pelo município. Entre elas, atendimentos de saúde, palestras e entrega de mudas de árvores.

Mais programação – O Colégio Presbiteriano XV de Novembro fará uma panfletagem sobre a violência simbólica contra a mulher. A concentração será no Espaço Colunata, com alunos do ensino fundamental, às 9h, no sábado (9). Já no domingo (10), a ONG Solidariedade Humana realizará palestras sobre prevenção de câncer de mama, colo de útero e transplantados. O encontro vai ser às 10h, na Câmara de Vereadores.

Cuidados com a saúde - A partir do dia 20, a Secretaria de Saúde do Município realizará uma semana de ações educativas, consultas médicas e exames voltados às mulheres. As equipes de profissionais das unidades de saúde da família estarão engajadas nos atendimentos. 

Na mesma data, na Autarquia do Ensino Superior de Garanhuns (Aesga), o Núcleo de Práticas Jurídicas estará direcionado às mulheres. No prédio da faculdade, ainda terá uma sessão de filme especial do Curta Agreste e um pacote de beleza a partir das 14h.

Comerciantes da Duque de Caxias levam reivindicações ao Governo Municipal


Os comerciantes da Avenida Duque de Caxias, estiveram reunidos com o prefeito Izaías Régis, na tarde desta terça-feira (5). Na pauta de reivindicações de melhorias para o polo comercial eles solicitaram: a ordenação do trânsito, novos abrigos para pedestres (parada de ônibus), acessibilidade, iluminação, segurança e participação nos eventos turísticos. 

O líder do governo municipal fez questão de discutir cada item com os representantes. Quanto a ordenação do trânsito, irá fazer uma visita com a Dra. Ana Rossini e o engenheiro de trânsito Denilson Souza para um planejamento em conjunto. Também foi solicitado que a Duque de Caxias se transforme em mão única nos finais de semana.

Em relação às paradas de ônibus, o Prefeito Izaías informou que já está fazendo parcerias com empresas privadas para melhorar todas as paradas do município. 

O comerciante Carlos Pereira lembrou que durante a campanha, o prefeito alertou quanto a falta de acessibilidade naquela localidade. Será realizado um estudo para serem tomadas as medidas cabíveis no sentido de adequar as calçadas do local.

O prefeito Izaías informou que na próxima quinta-feira, um engenheiro e um arquiteto estarão na cidade fazendo um estudo da iluminação das principais ruas e avenidas da cidade. A Duque de Caxias será uma das contempladas com essa medida.

Quanto a segurança, o prefeito informou que em parceria com o Governo do Estado por meio da Polícia Militar, serão instaladas câmeras de monitoramento em trechos estratégicos. Os empresários que tiverem interesse de instalar câmeras nos seus estabelecimentos comerciais, para trabalhar integradas, terão incentivos fiscais por parte do governo municipal.

Quanto a inserção da Avenida Duque de Caxias nos eventos da cidade, os comerciantes trouxeram a sugestão de que fosse colocado um palco no local durante os eventos. O prefeito Izaías também pediu a eles que se insiram e participem mais das festividades municipais.

Robson Ferreira do Jornal Cidade elogiou a atenção do prefeito em relação a Duque de Caxias. “É uma reunião histórica, porque nunca nenhum prefeito nos recebeu para discutir melhorias para a Duque de Caxias, que é um comércio de grande importância para nossa cidade”. 

Estavam presentes os empresários: Adriano Tenório, Girlando Barros, Carlos Pereira, Fernando Henrique e Robson Ferreira. O Secretário de Desenvolvimento Econômico Geandré Nogueira e sua auxiliar direta Priscila Bélens também participaram do encontro.

Equipe da Educação do Campo participa de Encontro de formação



Com o objetivo de melhorar a qualidade do desempenho dos estudantes das escolas do Espaço Rural, o Governo Municipal, por meio da Secretaria de Educação, promoveu no último sábado (2), nas dependências da Escola Municipal Professor Letácio Brito Pessoa, uma reunião junto a 85 professores das 31 escolas do campo, equivalente a 90% dos docentes de Educação do Campo.

Na ocasião foram discutidas questões acerca dos avanços e dificuldades do trabalho desempenhado pelos docentes naquelas instituições municipais de ensino. No encontro, que contou com a participação de Janecélia Marins, titular da pasta de Educação, os participantes se mostraram entusiasmados com as propostas apresentadas e salientaram o compromisso em contribuir de todas as formas para o crescimento dos índices escolares do Campo.

É importante salientar que as formações promovidas acontecem mensalmente sendo supervisionadas por coordenadores da Secretaria de Educação do Município.

quarta-feira, 6 de março de 2013

Chorão, vocalista do Charlie Brown Jr., é encontrado morto

Musico iria completar 43 anos no dia 9 de abril
Foi encontrado morto na madrugada desta quarta-feira, 6, em São Paulo, Alexandre Magno Abrão, o Chorão, vocalista da banda Charlie Brown Jr. Segundo a polícia, o motorista da banda encontrou Chorão, de 42 anos, desacordado em seu apartamento, na região de Pinheiros, zona oeste da cidade, e acionou o Samu, mas quando os socorristas chegaram ao local, o vocalista já estava morto.

Ele iria completar 43 anos no dia 9 de abril. A causa da morte do músico não foi informada. Chorão era líder, vocalista e principal letrista da banda Charlie Brown Jr, que foi formada em Santos, litoral de São Paulo, na década de 1990. O grupo lançou dez álbuns.


O caso será investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). O delegado responsável chegou ao prédio por volta das 7h40 e disse que ainda iria apurar a causa da morte.

Às 7h55, o site oficial da banda, charliebrownjr.uol.com.br, estava fora do ar. Nesse mesmo horário, a morte do músico era o assunto mais comentado do Twitter no Brasil e no mundo. (Via Estadão)


Depoimento Chorão Festival de Verão 2003

"Tem só uma coisa que eu queria dizer pra vocês antes de ir embora: A gente fala esse monte de loucura, fala palavrão pra caramba, passa toda a nossa rebeldia, a nossa atitude, o que a gente acredita...O fato de eu ter tatuado em mim, no meu braço " MARGINAL" não quer dizer que eu sou um marginal que faz várias fitas, que assalta os outros não. Quer dizer que eu to a margem, de muita coisa que eu acho que é hipócrita, que é mentirosa, tá ligado. Porque eu fiz da minha vida, uma vida de trabalho, de batalha. E nela, ta ligado, o meu sonho se fez, se fundiu. Graças a vocês...

Então eu quero que vocês entendam, que o melhor que a gente pode ter na vida são coisas básicas: É a nossa saúde, é a família, é o amigo, é o lugar pra viver, ta ligado, é ter no que acreditar, é viver em função de um sonho. EU TENHO UMA ALMA QUE É FEITA DE SONHOS."

Chorão 1970 - 2013