quinta-feira, 25 de julho de 2013

Praça da Palavra atrai os amantes da leitura

No 23º Festival de Inverno, o espaço destinado à literatura fica localizado na praça Souto Filho. O pavilhão montado próximo à fonte luminosa é designado às atividades culturais como contação de histórias, recitais, saraus, palestras, debates e vendas de livros novos e seminovos. Nesta última quarta-feira aconteceu um encontro de literatura e música. Um sarau especial só com textos de poetas garanhuenses, o “Sarau na Serra” com Homero Fonseca, Marco Polo Guimarães e o convidado especial: o músico e poeta Alexandre Revoredo.

A partir desta quinta-feira (25) haverá no local o 1º Encontro Internacional de Literatura Cartoneira, um encontro que vai reunir escritores, catadores de papelão e editores de selos cartoneiros. Esse projeto começou na Argentina, em 2003. As capas dos livros são feitas em papelão e depois são pintadas à mão pelos próprios catadores. Vale lembrar que no ano passado houve uma capacitação com os trabalhadores da ASNOV (Associação dos Catadores de Papel, Papelão e Material Reciclável Nova Vida), da COHAB 3, que resultou no selo da Severina Catadora. Os livros desse selo também são vendidos no pavilhão. Este ano no evento, os catadores da ASNOV irão participar do encontro para trocar experiências e ideias fortalecendo ainda mais o movimento na cidade e colocando Garanhuns no centro do universo cartoneiro.

Um espaço muito charmoso na Praça da Palavra é o estande da Academia de Letras de Garanhuns. O local é voltado especialmente aos escritores da cidade onde livros de diversas temáticas são vendidos, além de momentos com recitais e apresentações em vídeo para os visitantes.

Algumas ações descentralizadas também são realizadas no polo da literatura do FIG, entre elas o “A gente da Palavra” que é uma espécie de Disk Literatura. As pessoas ligam para o (87) 9985.1660 e solicitam um recital em sua casa ou em qualquer parte da cidade, entre os horários das 9h30 às 11h30.   Os poetas Jomard Muniz de Brito, Jorge - Poeta do Improviso, Adélia Coelho e Ícaro Tenório levam, uniformizados, literatura aos bairros. Outra ação realizada durante o evento é a “Livros Livres”. Consiste em deixar livros em lugares públicos para que outras pessoas encontrem, leiam e depois deixem em outro local. É necessário que antes os livros recebam um selo que identifica a ação para que só depois disso as obras possam ser distribuídas por aí. A ideia da ação é fazer com que a literatura “circule” e faça a leitura chegar ao maior número de pessoas possíveis.

Durante o evento acontecem no local as oficinas de literatura, e nesta quarta-feira o destaque foi a oficina de criação de roteiro para cinema. Também tem o “Escambo de Livros”, um cesto cheio de obras onde as pessoas trazem o seu livro antigo e trocam por outro. É necessário que sejam livros de literatura, não pode ser, por exemplo, didático ou religioso. É só chegar ao local, trazer um livro, depositar no cesto e trocar por outro.

No último dia do Festival, haverá o fechamento da programação na Praça da Palavra às 18h30. O coordenador de Literatura da Secrataria de Cultura do Estado, Wellington de Melo, faz o convite aos poetas da cidade para que todos possam ir ao local, recitar seus poemas e se confraternizar neste encerramento especial.

Nenhum comentário:

Postar um comentário