(87) 9.8141.4000

(87) 9.8141.4000

domingo, 24 de março de 2013

Eduardo Campos: O bonequinho de Olinda da mídia


Saiu na Folha (*):

Dá para fazer muito mais que Dilma, diz Eduardo Campos em jantar com empresários

"Dá para fazer muito mais" que a presidente Dilma Rousseff. Com esse, digamos, slogan, o governador Eduardo Campos (PSB-PE), de Pernambuco, passou seu recado a um grupo de 60 empresários que se reuniram na quinta-feira (14) em SP, num jantar, para conhecê-lo melhor --e descobrir se ele é, mesmo, candidato à presidência. Boa parte saiu de lá com a certeza de que Campos vai, sim, se lançar contra Dilma em 2014. 

(...)

por Neto Sampaio

O alerta já foi dado pelo jornalista Maurício Dias - CartaCapital - e chama a atenção não só pelo fato em si, mas pelas consequências futuras para a reeleição da presidenta Dilma Rousseff em 2014: "A reeleição de Dilma, apoiada somente na popularidade, corre risco pelo ataque unânime da mídia." _ Água mole em pedra dura.

Cá entre nós! É impossível – em um país do tamanho do Brasil - um partido governar sozinho, certo? O que não é possível, é um partido da base aliada do governo, está ajudando a oposição a pautar os jornalões! Como bem dissera o presidente do Partidos dos Trabalhadores, Rui falcão: A verdadeira oposição no Brasil é a grande mídia... Ou, como bem cunhou o deputado Fernando Ferro, o PIG. (Partido da Imprensa Golpista)

Aos senhores da casa-grande, - que ainda não digeriram a indigesta candidatura do cambaleante senador mineiro, Aécio Neves - embarcar na “inesperada” candidatura do governador pernambucano ao Planalto, será a melhor saída à possíveis frustrações futuras , para isso, espaço e elogios, é o que não irá faltar - nos jornalões - para a mais nova oposição no Brasil, Campos.

Talvez a falta de “Tchan” e do desinteresse do eleitorado pelo velho, tenham levado a velha imprensa a entrar de corpo e alma na provável candidatura de Eduardo - o "novo" - ao Planalto, fazendo do senador mineiro, um mero, coadjuvante nesse jogo político... Que dia após dia, vê seu nome reduzido aos rodapés dos jornais.

Segundo Merval, - que não dá murro em ponta de faca - “aquela que um dia pareceu ser uma chapa possível para a disputa da presidência da República – Aécio Neves na cabeça e Eduardo Campos de vice – tornou-se uma combinação improvável.” O I-M-O-R-T-A-L membro da (ABL)... - que aliás, detinha de precisão e pontualidade nos domínios e fatos antes e durante o julgamento do “mensalão”, como a um relógio suíço - acredita que: “Caso o senador Aécio Neves tenha que desistir da candidatura por divergências insanáveis,” - será se vêm mais dossiês via Cerra por aì? - a nova direita-endireitada de Campos, ganhará apoio da bancada tucana em Minas, já que em São Paulo, tucano que sobe a serra, também  pousa em campo.

E já que, Aécio Neves presidente... Nunca será! O único candidato capaz de unir mídia e oposição em 2014, seria ele... o paladino da direita, o senhor da ética e das massas, o cidadão humildade, ou simplesmente...: Chico Bergoglio Cerra.

Só resta saber se Campos estar disposto a bailar na companhia de Cerra em 2014, ao ritmo e som da casa-grande!

Pelo sim, ou pelo não, faço das palavras de André Singer as minhas... "O  governo parece alimentar a ilusão de que pode recuperar a lealdade de Campos mais à frente. A lógica indica, entretanto, que só a terá se e quando não precisar mais dela." _Leia mais aqui: Eduardo Campos, o traíra da vez? (Via PIG - Imprensa Golpista)

Nenhum comentário:

Postar um comentário