quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Se tudo der errado, Marina Silva já tem plano B


Os políticos cortejados por Marina Silva não escondem o receio de trocar o certo pelo duvidoso. O fato é: salvo um ou outro personagem sem espaço em suas próprias siglas, poucos toparão migrar para um partido que ainda não existe e que, ao fim e ao cabo, ninguém sabe se sairá do papel.

Mas Marina Silva tem a exata noção do desafio que é recolher 500 000 assinaturas e protocolá-las na Justiça Eleitoral, até setembro, para conseguir criar a nova sigla. A quem questiona o que fazer se a legenda não for fundada a tempo, Marina tem apontado o seguinte caminho:

- Caso não tenhamos as 500 000 assinaturas, a gente vai para um partido já existente: o PDT, o PPS ou algum outro menos expressivo.

Convenhamos, com esse discurso fica ainda mais difícil convencer quem quer que seja a mergulhar na empreitada. (Via Lauro Jardim)

Nenhum comentário:

Postar um comentário