(87) 9.8141.4000

(87) 9.8141.4000

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Lula se encontra com Fidel Castro em Cuba

Fidel Castro e Lula / Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se encontrou nesta quarta-feira em Havana com o líder cubano Fidel Castro. A imagem do encontro foi divulgada agora à noite por meio da página de Lula no Facebook.

O ex-presidente está em Cuba desde segunda-feira. Mais cedo nesta quarta-feira, Lula foi com o presidente cubano, Raúl Castro, às obras de ampliação do Porto Mariel, a 40 quilômetros de Havana, tocadas pela empreiteira Odebrecht com recursos do BNDES. Depois, se reuniu com Fidel. À noite, foi ao Centro de Convenções de Havana, onde discursou no encerramento da terceira Conferência Internacional pelo Equilíbrio do Mundo, evento integrante das comemorações pelos 160 anos de nascimento do político e escritor cubano José Martí.

Antes de iniciar o discurso, Lula falou de improviso. Voltou a manifestar solidariedade aos afetados pelo trágico incêndio na boate Kiss, em Santa Maria (RS), e desejou uma pronta recuperação ao presidente venezuelano, Hugo Chávez, internado em Havana desde o dia 11 de dezembro, quando fez a quarta cirurgia desde o diagnóstico de um câncer em junho de 2011. Até o momento, não foi divulgado se Lula visitou Chávez, ou se ainda o fará.

- Que a energia positiva deste encontro possa ajudar nosso querido companheiro Chávez - declarou o ex-presidente, que disse ter vestido uma camisa vermelha em homenagem ao venezuelano.

Cobrança a Obama pelo fim do embargo

Lula aproveitou seu discurso em Havana para defender o fim do embargo dos Estados Unidos sobre Cuba e cobrou do presidente americano, Barack Obama, uma política mais atenta à América Latina:

- Os EUA se fazem de surdos quando se trata de problemas da nossa América Latina. Parece que não estão interessados. Espero que Obama tenha um olhar mais igualitário e elimine o bloqueio contra Cuba. Obama deve ter a mesma ousadia que seu povo teve ao votar por ele.

Durante toda a sua fala, o antecessor de Dilma Rousseff advogou por uma maior integração entre os povos da América Latina e fez uma revisão de algumas das principais conquistas de seu governo, como a expansão do crédito, o crescimento econômico e a geração de empregos.

Lula também defendeu o que chamou de “revolução na comunicação” por meio do uso de redes sociais, para que não haja a necessidade “de que outros publiquem o que nós mesmos deveríamos publicar”. Segundo o ex-presidente, a imprensa não simpatiza com Hugo Chávez porque o venezuelano defende a inclusão social, “fala de socialismo e usa camisa vermelha”. Ainda de acordo com Lula, a “elite política e econômica” latino-americana “nos detesta (os presidentes de esquerda) não por nossos erros, mas por nossos acertos”.

Segundo informações divulgadas pelo Instituto Lula, depois de Cuba, o ex-presidente segue para a República Dominicana, onde se encontrará com o presidente Danilo Medina Sánchez e o ex-presidente Leonel Fernández. A data desta viagem não foi informada.

No sábado, dia 2, Lula chega a Washington, onde no dia seguinte fará o discurso de abertura da conferência do sindicato dos trabalhadores da indústria automobilística e aeroespacial dos EUA. Lula retorna ao Brasil ainda no domingo. (Via O Globo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário