quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Carnaval deu o tom de como será a campanha em São João

Dr. Pedro Barbosa (PTB)
O Blog do Kleber Cisneiros, recebeu e-mail de correligionários dos aliados, Dr. Hugo Cabral (PT) e do Dr. Antônio de Pádua (PT), que juntos irão disputar as próximas eleições municipais na cidade de São João, em oposição ao atual prefeito, Dr. Pedro Barbosa (PTB), que esta colocando o seu sobrinho, Nelson Barbosa (PSB), advogado radicado em Recife, como seu candidato.

No e-mail, havia a denuncia, de que a prefeitura, modificou a arrumação dos tapumes que organizavam a entrada da praça de eventos, onde aconteceriam as festividades de carnaval, só com o intuito de isolar os opositores da festa. Assim, o grupo que não apoia o prefeito, ficou isolado do restante da praça, sem acesso as festividades. “Isto mostra, que a administração municipal, parece não respeitar muito a democracia, onde, para os aliados tudo, e para os adversários, a arbitrariedade”, diz um dos correligionários contrários ao prefeito. Com isto, fica aqui o espaço aberto para a prefeitura se pronunciar a respeito.

"Duras" do chefe rendem R$ 30 mil a trabalhador


O Tribunal Superior do Trabalho condenou a Philip Morris do Brasil, gigante do mercado tabagista, a pagar indenização de R$ 30 mil um trabalhador que alega ter sido humilhado pelo chefe. Chamava-o de “incompetente”. Qualificava o produto do seu serviço de “lixo”.

O trabalhador já havia prevalecido sobre a empresa na primeira e na segunda instância da Justiça trabalhista. Mas considerara mixuruca a indenização, fixada em R$ 6 mil. Recorrera ao TST para elevar a cifra.

O caso foi julgado pela 8a turma do tribunal. Por unanimidade, decidiu-se elevar o valor da indenização. A Philip Morris ainda tentou argumentar que o queixoso levara apenas uma “bronca”. Nada que ofendesse a sua honra.

“Broncas são comuns no mundo corporativo, na cobrança por resultados”, alegou a empresa em sua defesa. Os ministros do TST deram de ombros. Entenderam que houve agressão, não bronca. Coisa reiterada.

Acharam que, considerando-se o porte da Plhilip Moris, a pena de R$ 6 mil não surtiria os desejados efeitos pedagógicos. Daí a elevação para R$ 30 mil. A lição foi dada. Resta saber como será interpretada.

O mundo corporativo, como se sabe, é implacável. Não se pauta pelo coração nem sente remorso. Doravante, quando se defrontar com um subordinado que julgue incompetente, o chefe talvez prefira demiti-lo antes de qualificar seus serviços como lixo. (Do Blog do Josias de Souza)

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

BOA NOTÍCIA: Google Street View em Garanhuns

Foto: Kleber Cisneiros
Chegaram hoje a Garanhuns, dois carros do Google Street View, os quais nas próximas duas semanas, irão fotografar todas as ruas da cidade, literalmente, todas. Por onde os carros da empresa tiverem acesso, eles irão passar. Segundo nos informado pela equipe aqui da empresa.

Foto: Kleber Cisneiros
Cada carro é equipado com 9 câmeras direcionais, sendo 8 laterais, proporcionando o 360º e uma, com lente do tipo olho de peixe, que capta uma área, em vertical, em um ângulo de 290º.

Foto: Kleber Cisneiros
O serviço está sendo realizado para providenciar a visualização online de possíveis cidades visitadas pelos turistas durante a Copa de 2014.

Foto: Kleber Cisneiros
Com isso, no mais tardar até outubro próximo, toda a suíça pernambucana estará disponível em mapas e imagens para o mundo. Quem já conhece o serviço, sabe o quanto ele pode ser divertido, útil e interessante. Agora é só aguardar.

Cidade será beneficiada com a implantação de Relógios Digitais


Com o objetivo de implantar Relógios Digitais nas vias públicas, o Banco do Nordeste, em parceria com a Prefeitura de Garanhuns, através da Autarquia Municipal de Transporte e Trânsito (AMTT), instalará nas próximas semanas, dois equipamentos, que serão instalados nas avenidas Rui Barbosa e Santo Antônio.

Segundo Danilo Moraes, agente de Desenvolvimento do Banco do Nordeste, a iniciativa vem contemplando alguns municípios do Nordeste, e desta feita, Garanhuns receberá o beneficio. “Realizamos algumas visitas e depois de contatos com a Prefeitura, decidimos instalá-los na Avenida Rui Barbosa, esquina com a Simoa Gomes e Santo Antônio, esquina com a Rua Dom Luis de Brito, por serem duas vias de grande fluxo da Cidade”, destacou o representante do Banco do Nordeste, que complementa: “temos uma parceria muito estreita com a Prefeitura de Garanhuns, notadamente com o Prefeito Luiz Carlos. Isso é de grande importância, já que sempre tentamos viabilizar diversas ações no Município, contando sempre com a parceria do nosso Prefeito, que sempre está de braços abertos para nos receber, melhorando as ações que tragam beneficio para a população”, finalizou Danilo Moraes, agente de Desenvolvimento do Banco do Nordeste.

Eduardo pede e Dilma amplia verbas para obras de mobilidade

Foto: Aluísio Moreira/SEI
A visita da presidenta Dilma Rousseff ao Recife nesta terça-feira (28) foi marcada pela entrega de 480 apartamentos na Zona Sul da cidade, mas também pelo anúncio da ampliação de verbas que serão destinadas à diversas obras de mobilidade urbana em toda a Região Metropolitana do Recife. 

O governador Eduardo Campos revelou o novo aporte de R$ 2,4 bilhões no PAC Mobilidade. Do total a ser liberado, o Governo do Estado vai receber R$ 1,6 bilhão para construir viadutos e corredores exclusivos para ônibus no Grande Recife. Os R$ 800 milhões restantes, a Prefeitura do Recife utilizará na execução de outros três corredores destinados a ônibus. 

“Com essa medida, a presidenta aumentou a nossa participação no PAC mobilidade em quase 20%, mostrando o quão justo é o seu governo, que prioriza os pleitos técnicos e que valoriza àqueles que conseguem o consenso entre as prefeituras envolvidas e o próprio Governo do Estado”, disse o governador, enquanto discursava na cerimônia de entrega das casas no bairro do Pina.

As obras de mobilidade urbana estão dentro do Projeto da Copa 2014. Com foco no Sistema de Transporte Público de Passageiros da Região Metropolitana do Recife, contemplam ainda uma série de intervenções que terão impacto direto na fluidez do trânsito.

Serão tocadas pelo Governo do Estado, as obras de construção dos Corredores Exclusivos de TRO (Transporte Rápido de Ônibus) da IV Perimetral (BR-101), e da II Perimetral, que prevê a duplicação da avenida com a implantação de uma faixa exclusiva de ônibus ligando a PE-15 a PE-01.

Ainda estão incluídas as obras d’arte dos Corredores Exclusivos de Ônibus Leste-Oeste e Norte-Sul. No primeiro será construído um elevado na Benfica e um túnel na Real da Torre. Outros três elevados serão erguidos no Leste-Oeste: na III Perimetral, no Bom Pastor e outro próximo à UPA da Caxangá. Além disso, cinco estações para embarque e desembarque para usuários fazem parte deste eixo. O Corredor Leste-Oeste será responsável pelo transporte dos passageiros que vão circular da Praça do Derby até o Terminal Integrado de Camaragibe, com extensão de 12,3 Km.

Já para o Corredor Norte-Sul, entre o Shopping Tacaruna e o Terminal Integrado de Joana Bezerra, os recursos serão investidos na construção dos quatro viadutos estaiados nos cruzamentos mais críticos da via. São eles: viaduto da Bandeira Filho (entrada da Rosa e Silva, próximo ao Português e a Mac Donald); da Rui Barbosa, em frente ao TRE (Tribunal Regional Eleitoral), atravessando a Agamenon até o Colégio Americano Batista; viaduto Joaquim Nabuco, saindo da rua Dom Bosco até o Hospital Santa Joana.

Há ainda o último elevado na Rua Paissandu, começando na General Joaquim Inácio e saindo do outro lado, no canteiro central. Todos os viadutos terão 7 m de largura na pista e torres de sustentação com 56 m de altura.

Dentro do pacote de obras sob a batuta do Governo do Estado, está também o Programa de Navegabilidade dos Rios Capibaribe e Beberibe. O projeto prevê estações de embarque e desembarque de passageiros para o transbordo e a integração com o sistema de transporte urbano existente. As rotas previstas são o corredor Fluvial Oeste - BR 101/ Centro e o Corredor Fluvial Norte - Centro/ Olinda.

A Prefeitura do Recife ficará responsável por três Corredores Exclusivos de Ônibus. O da II Perimetral (do Largo da Paz até a Avenida Presidente Kennedy), o segundo situado na III Perimetral (liga a zona norte – Rio Morno/Linha do Tiro – à zona sul da cidade - Areias, Imbiribeira e Boa Viagem) e o último do Radial Sul (entre a BR-101/IV Perimetral até a Avenida Boa Viagem).

A VISITA – Eduardo, Dilma e o prefeito João da Costa chegaram às 10h30 aos conjuntos residenciais Via Mangue I e II que abrigam 992 famílias retiradas de palafitas e comunidades ribeirinhas. Os três visitaram os apartamentos de 42m2 antes de subir ao palco armado na área comum do residencial. Dos novos moradores, Dilma recebeu presentes e várias cartinhas e bilhetes, lendo-os na hora.

A presidenta garantiu a continuidade das parcerias com o Estado e, especialmente, do Programa Minha Casa, Minha Vida “para que os brasileiros mais pobres possam ter acesso às suas moradias”.  A presidenta não poupou elogios a Eduardo Campos. “Tenham muito orgulho porque vocês têm um governador combativo, capaz, eficiente e que tem transformado Pernambuco no estado que mais cresce no país, com uma taxa de crescimento similar aos tigres asiáticos. Pernambuco é a onça nordestina”, cravou Dilma, que visita o estado pela segunda vez este mês.

O prefeito João da Costa também ressaltou a sinergia entre os governos municipal, estadual e federal. “Mais do que a entrega de 480 apartamentos, esse ato simboliza uma parceria que vem promovendo mudanças significativas na vida do povo do Recife”, destacou. O projeto Via Mangue é um complexo viário projetado para melhorar o transito da Zona Sul do Recife e está orçado em R$ 550 milhões.

Ainda prestigiaram o evento, os ministros Aguinaldo Ribeiro (Cidades), Miriam Belchior (Planejamento, Orçamento e Gestão), Fernando Bezerra Coelho (Integração Nacional) e Helena Chagas (Comunicação), além do senador Humberto Costa, dirigentes da Caixa Econômica Federal e vários políticos pernambucanos.

Prefeitura realiza obras de drenagem e pavimentação na Rua Capitão Tomás Maia


A Prefeitura de Garanhuns, através da secretaria de Serviços Públicos, vem trabalhando para resolver um antigo problema de drenagem na rua Capitão Tomás Maia, localizada no centro da Cidade. É que apesar de ter sido asfaltada no ano de 2010, e receber constantes obras de manutenção do seu pavimento, a cada período chuvoso, o pavimento da rua é totalmente destruído, gerando novas despesas públicas e a insatisfação dos moradores. 

Para sanar o problema, a Prefeitura vem realizando uma ação de drenagem das águas pluviais naquela localidade. “Estamos trabalhando nas obras que vão dotar aquela rua de sete caixas coletoras destinadas às águas pluviais, bem como tubulações de mil milímetros. Também implantaremos uma grelha para que a água que vem da parte de cima da Rua entre na tubulação e não passe no calçamento”, apresenta o secretário de Serviços Públicos, João Ricardo.

De acordo com o Secretário, as obras estão orçadas em 180 mil reais e vem sendo realizadas com recursos próprios. A expectativa é que os serviços sejam concluídos nos próximos 45 dias. “Também estamos tendo a preocupação de cravar com meio-fio a pavimentação a cada vinte metros. A meta é evitar que a força das águas volte a arrancar o pavimento após a conclusão das obras”, ressalta João Ricardo.

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Zé da luz diz não ter conversas sobre candidatura

Zé da Luz
Em nota enviada hoje, através do seu assessor de imprensa, Jonathan Willian Santos, a jornalista Rivânia Queiroz, que escreve no Blog do Magno Martins, o ex-prefeito de Caetés, Zé da Luz (PHS), desmente estar conversando com o ex-prefeito de Garanhuns, Silvino Duarte (PSDB), como também com o atual prefeito da cidade, Luiz Carlos de Oliveira (PDT), onde faz questão de frisar que foi seu adversário na campanha de 2008.

Noutro trecho, diz não haver nenhum entendimento quanto a uma possível candidatura, que sempre esteve, e continua ao lado do governador Eduardo Campos.

Bem, de acordo com a nota, o que se vê é que todas as conversas ditas, pelos quatro cantos de Garanhuns, pelos seus próprios assessores, quanto as suas conversas com Silvino e Luiz Carlos, sua já certa candidatura a prefeito, com Aurora Cristina (PSDB) em sua vice, e se sentir traído pelo governador, por não ser o seu candidato, não batem com a opinião do chefe. Mostrando também, que não ficará contra a candidatura do PSB, e consequentemente, de Eduardo. Leia-se, Antônio João Dourado.

Segue abaixo a nota na integra:

“Prezada Jornalista Rivânia Queiroz,

Solicitamos sua atenção no sentido de corrigir uma informação repassada através do blog do Magno Martins, no tocante a atual conjuntura política em Garanhuns.

Zé da Luz, como citado em sua matéria, nunca se pronunciou sobre qualquer tipo de composição para derrotar o governador Eduardo Campos. Não há qualquer tipo de entedimento entre ele, o ex-prefeito Silvino Andrade (PSDB) e o atual prefeito Luiz Carlos (PDT), com quem disputou a prefeitura de Garanhuns em 2008.

O que existe hoje em Garanhuns é muita fofoca e uma tentativa explícita de “queimar” o engenheiro Zé da Luz. No momento oportuno ele irá se pronunciar quanto ao seu futuro político, portanto, nenhuma decisão foi tomada quanto a uma nova candidatura à prefeitura de Garanhuns.

Zé da Luz é e sempre foi aliado do governador Eduardo Campos e de seu avô de saudosa memória, Miguel Arraes de Alencar.”
  
Jonathan Willian Santos
Assessor de imprensa de Zé da Luz

domingo, 26 de fevereiro de 2012

Haddad vai atrás do apoio do PSB, que deverá ficar com Serra


Do Blog de Inaldo Sampaio

O governador Eduardo Campos disse a interlocutores neste final de semana que caberá ao PSB de São Paulo decidir qual caminho seguirá nas eleições municipais de outubro próximo.

E qualquer que seja a posição do partido terá o seu apoio, disse ele. Hoje, o PSB é aliado do prefeito Gilberto Kassab (PSD) e o governador Geraldo Alckmin (PSDB).

O pré-candidato do PT, Fernando Haddad, teria pedido a Lula para interceder em seu favor. Mas não se sabe se o ex-presidente teria coragem de pedir a Eduardo Campos para apoiar o candidato petista.

No Recife, na semana passada, Gilberto Kassab declarou que para o “projeto nacional” de Eduardo Campos é melhor que Serra ganha a eleição.

Onde assistir ao vivo à entrega do Oscar 2012

Cena do filme, O Artista, um dos grandes favoritos da premiação do Oscar 2012
De Exame.com
Por Maurício Grego

A entrega do Oscar 2012 acontece neste domingo, no Kodak Theater, em Hollywood, na Califórnia. A cerimônia começa às 21 horas (no horário brasileiro). É a 84ª edição da premiação, que é realizada pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas desde 1929. Entre os indicados deste ano estão os brasileiros Sérgio Mendes e Carlinhos Brown, que concorrem à estatueta de Melhor Canção Original. A música, chamada Real in Rio, do filme RIo, vai disputar o Oscar com a canção Man or Muppet, do filme Os Muppets.

A transmissão oficial das imagens da premiação mais importante da indústria cinematográfica será feita pela emissora de TV americana ABC. Alguns canais de TV brasileiros vão retransmitir a cerimônia. Confira três deles:

TV Globo

Na TV aberta, a Globo e suas afiliadas vão exibir parte da premiação a partir das 23h55, depois do Big Brother Brasil. José Wilker e Maria Beltrão serão os apresentadores. Antes disso, durante o programa Fantástico, a repórter Giuliana Morrone deve entrar ao vivo com notícias de Hollywood.

E!

O canal de TV por assinatura especializado em Hollywood começa sua contagem regressiva para o Oscar às 16h. As transmissões ao vivo se iniciam às 19:30. O E! promete informações sobre os filmes que concorrem ao prêmio e entrevistas com celebridades.

TNT

Também na TV por assinatura, o TNT começa a transmitir um pré-show às 20:30 e exibe a cerimônia em seguida. O canal prepara entrevistas com atores, atrizes e diretores no famoso tapete vermelho por onde passam as celebridades ao chegar ao Kodak Theater.

Online

Para quem não terá nenhum dos canais acima disponíveis, a internet oferece a cobertura do evento de várias formas. Há cobertura ao vivo em blogs, no Twitter e também transmissões ao vivo. Separamos seis opções de transmissão. Veja a lista abaixo:

App para Android

App para iOS




sábado, 25 de fevereiro de 2012

Professora assassinada dentro de sua casa

Atualização da notícia de acordo com o boletim de ocorrência da polícia militar de Garanhuns. Depois de entrarmos em contato com o 9º BPM por telefone.

Professora Cláudia Monteiro, do colégio Santa Sófia, em Garanhuns, foi assassinada na noite deste sábado (25) em sua residência no município de São João.

Segundo as informações registradas no boletim de ocorrência. A professora estava no interior de sua residencia com sua mãe. Quando, dois homens armados, um encapuzado, outro não, chegaram em uma moto de placa não identificada, se dizendo de uma seguradora, e perguntado por uma quantia de cem mil reais, que Cláudia teria recebido de um seguro de vida deixado por uma de suas irmãs, Kézia Monteiro, que faleceu em 08 de setembro de 2011, por problemas de saúde. Como a educadora  ainda não havia recebido o valor do seguro, um dos marginais, com raiva, efetuou um disparo com arma de fogo na cabeça da vitima, a qual veio a falecer no local.

Com a chegada das polícias militar e civil, foram feitos o registro da ocorrência,  o levantamento cadavérico, e várias buscas pela região a procura do elementos, mas sem sucesso, não encontrando os agressores. Quanta Violência. Que horror.

Reynaldo Gianecchini: "Meu transplante foi um renascimento"

Da Revista Época
Pequenos objetos como elefantes, bicicletas, velocímetro de táxi, placa de carro de Montevidéu e girassóis artificiais preenchem cada canto da sala de estar de Reynaldo Gianecchini. Na estante do apartamento em que o ator mora, na região paulistana dos Jardins, há DVDs de músicas de Carnaval, do filme argentino Um conto chinês e de O artista, sensação deste Oscar. Um imenso livro de fotos de Steve McCurry, o lendário fotógrafo da revista National Geographic, domina a mesa de centro. Uma poltrona de Sergio Rodrigues fica em frente à televisão de plasma. Uma instalação colorida da artista plástica e grafiteira Nina Pandolfo anima a entrada da cozinha. “Adoro essas pinturas que remetem a desenhos animados, meio japoneses, lúdicos, com animais, crianças. Tenho uma criança eternamente alimentada dentro de mim”, diz Reynaldo – ou Giane, como é conhecido entre os amigos. 

Nem sempre foi assim. Antes do câncer, a casa de Giane só tinha móveis pretos e brancos, nenhum objeto. A doença o internou no hospital e no apartamento paulistano. “Passei a fazer terapia e descobri que a casa é você. Comecei a encher as prateleiras de objetos de antiquário, transformar livros antigos em mesa, pintar parede de laranja e até pensei em fazer faculdade de arquitetura”, diz Giane. “Mudei tudo internamente com a doença. Tenho uma nova medula. E mudei minha casa. Agora tenho cantinhos que representam meu desejo de aventura, de pegar uma moto e sair pela América Latina.”

De seu primeiro estágio em escritório de advocacia em São Paulo – quando, estudando Direito na PUC, conheceu a cidade “quase como um office boy, de metrozão e busão” – até hoje, Giane atravessou muitas estradas, algumas delas tortuosas. Ele não esquece que, na primeira novela na TV Globo, no ano 2000, assistia a seu desempenho “com o chicote nas costas”. “Eu era muito ruim, me sentia muito mal, não sabia nada, era estabanado, derrubava cenário do estúdio, meus colegas até se condoíam de mim, mas aprendi com a ajuda deles e dos diretores.”

Apaixonado pela profissão, diz que quer retomar quanto antes o trabalho interrompido por causa da doença – ele interpretava, no teatro, o papel de vilão na peça Cruel, baseada num texto do sueco August Strindberg. Sentado no sofá do apartamento cada vez mais personalizado, Gianecchini falou sobre o câncer, a espiritualidade, as fofocas, a sexualidade, o trabalho e o futuro.

ÉPOCA – Você se sente curado?

Reynaldo Gianecchini – A operação de medula para mim foi um renascimento. Meu transplante é um pouco menos cabeludo do que os que se fazem com a medula de outra pessoa, quando pode rolar uma rejeição. Eu super me aceitei (risos). Meu transplante foi nada mais que uma quimioterapia muito pesada. Eu sabia que seria duro, mas não tinha noção. É uma quimioterapia que mata sua medula, aí você toma suas células de novo, as que foram salvas e são sadias. E essas células vão se reproduzindo para formar uma nova medula. Foi o único momento de meu tratamento em que eu pensei, caramba, será que aguento isso? É muito penoso. Seu corpo inteiro, por dentro, fica em carne viva. Não para nada dentro. Você come, vomita, tem diarreia. Comer ainda está uma briga, porque eu não tenho apetite.

ÉPOCA – Como ficou sua imunidade?

Gianecchini – Logo após o transplante, imunidade zero, por não ter mais medula. Você fica com febre, fica sujeito a tudo. Eu, graças a Deus, não tive nenhuma infecção. Fiquei o tempo todo no hospital, a gente fica bem isolado, não pode receber visita, nada. A boa notícia é que a operação é intensa, mas rápida. Em nove dias, minha nova medula já tinha “pegado”. Aí você é um bebê. A gente perde todos os anticorpos, tem de tomar todas as vacinas de novo.

ÉPOCA – O que você quer fazer agora?

Gianecchini – Nadar. E ir à praia no Rio.

ÉPOCA – Como será sua volta ao palco?

Gianecchini – A partir de 13 de março, vou começar bem devagar minha peça Cruel às segundas e terças. Faço o vilão, o cruel. Isso vai ser meio louco. Lidei com tanto amor, tanta gente vai me assistir, as pessoas tão carinhosas, querendo me rever no palco. E vou estar lá fazendo horrores (risos), supermalvado. Mas vou continuar muito cuidadinho. Tenho de me alimentar direitinho, e não quero trabalhar como um louco. Gravações de novela os médicos liberaram só a partir de junho.

ÉPOCA – Você continuará a fazer exames?

Gianecchini – Tenho de fazer exame de sangue sempre, porque ainda estou sujeito a pegar qualquer bactéria. São seis meses de acompanhamento mais profundo. Na verdade, são cinco anos de acompanhamento. Posso viajar, mas não posso ficar dando mole. Não posso ficar com gente gripada. Uma coisa meio chata é que, na minha peça em São Paulo, não vou poder receber as pessoas no camarim, ficar abraçando, beijando. Porque uma pessoa que pode nem saber que está gripada pode me custar muito caro.

ÉPOCA – Qual foi a primeira reação ao descobrir que estava mesmo com câncer?

Gianecchini – Meu médico me ligou e disse: “É. Vai para o hospital”. Minha mãe estava na cozinha aqui em casa fazendo comida. Pensei: como vou falar isso para minha mãe, se o marido dela, meu pai, está com câncer terminal? Era só isso que eu pensava. Sentia muito por minha mãe. Essa é uma notícia que não dá para rodear. Eu disse: “Mãe, eu tenho de ir para o hospital porque estou com câncer”. Não tinha outra maneira de falar. Ela desligou o fogão. A gente foi em silêncio absoluto para o hospital.

ÉPOCA – O que você sentiu?

Gianecchini – É como se um buraco se abrisse em sua vida, como se tudo começasse a passar em câmera lenta. O tratamento tinha um prazo de seis meses. Pensei: nesse tempo vou virar uma chavinha, nada mais vai me importar a não ser me curar.

ÉPOCA – Em que momento profissional chegou o diagnóstico?

Gianecchini – A doença me pegou num momento muito cheio de vida e de muitos planos de trabalho. Como disse, eu estava fazendo a peça Cruel. Quando me internei, dois dias depois ia começar a ensaiar um musical com Claudia Raia, Cabaret, que amo e está em cartaz lindamente. Ia voltar para a TV com uma novela. Foi uma rasteirinha.

ÉPOCA – Quais eram seus sintomas?

Gianecchini – Sentia umas dores, estava com o pescoço meio inchado, tinha acabado de operar uma hérnia, meu corpo estava meio esquisito, parecia uma gripe com dor de garganta, apareciam uns gânglios pequenos. Fui a um médico para verificar se era bactéria, virose. Fiz todos os exames possíveis, desde a coisa mais cabeluda até a mais simples. E deu tudo negativo. Até aí, beleza. Mas meu médico, infectologista, resolveu se certificar de tudo. O exame detectou que eu tinha gânglios no corpo inteiro. Daí para chegar ao câncer foi relativamente rápido, mas não se chegava a um diagnóstico. É preciso saber que tipo de câncer é, que subtipo. Câncer tem nome e sobrenome. Cada um tem um tratamento. Como eu me sentia bem, tinha dia que eu pensava: não é câncer. Eu tomava cortisona, sumiam os gânglios e a febre. Ficou um mês nisso. É. Não é. Fiquei um mês internado. Ficava num quarto, fazendo todos os exames, esperando os resultados, exames chegaram a ir para os Estados Unidos. Quando os laudos todos bateram, descobriu-se que era um tipo muito raro e agressivo de câncer.

ÉPOCA – De onde veio inicialmente sua certeza de cura?

Gianecchini – Eu aprendi, li sobre minha doença. Soube que era uma doença muito agressiva, mas que tinha um elemento positivo. Como ela é muito agressiva e sou muito jovem, podia entrar com um tratamento superagressivo e bater de frente. Com tumores menos agressivos, às vezes o tratamento pode durar a vida inteira. No meu caso, eu poderia receber uma quimioterapia muito forte, porque meu corpo conseguiria combater. A doença chegou com tudo, mas o remédio iria também com tudo. Um campo de batalha feroz, um tratamento muito intensivo, mas falei: “Vamos lá!”.

ÉPOCA – Você teve medo de morrer?

Gianecchini – O importante para mim era saber que valores eu precisava rever, qual o sentido de tudo isso. A primeira questão foi, sim, a morte. Caramba, pensei, a gente age como se não tivesse de lidar com isso. Estou lidando muito cedo, muito jovem, é claro que não quero morrer agora. Mas ela está aqui na minha frente. Comecei a fazer terapia para fuçar em mim tudo o que havia para fuçar, porque era o momento. A gente vive o dia a dia como se a morte não fosse uma certeza. A gente devia viver sempre com a certeza de que amanhã a gente pode morrer. Tanta coisa fica tão pequena, tão sem valor diante da possibilidade da morte. Decidi viver o presente, que é maravilhoso, sem passado e futuro. Comecei a viver de forma tão intensa que até nos momentos de introspecção eu ia muito fundo.

ÉPOCA – Você chegou a ficar na UTI porque a colocação de um cateter perfurou uma veia sua. Foi uma noite de sofrimento.

Gianecchini – Uma noite é delicadeza sua. Na verdade, foi uma intercorrência, um acidente cirúrgico bem grave. Era o primeiro passo, nem tinha feito quimioterapia ainda. E foi uma loucura. Eu poderia ter morrido ali facilmente. Uma cirurgia que deveria durar poucos minutos. Mas acordei sete horas depois, muito mal, com todas as minhas funções muito ruins. Fiquei 10 quilos mais pesado de tanto que inchei. Demorei dias para recuperar todas as minhas funções, minha pressão foi lá embaixo. Fiquei totalmente ferrado. O doutor Raul Cutait foi falar comigo, me explicou que foi uma fatalidade. Ele foi muito delicado. Vi que ele sentia muito. Acreditei nele. Eu não ia brigar, nem questionar. O cateter perfurou uma veia minha, e ela sangrou muito lá dentro, num procedimento muito simples que em 99% dos casos é bem-sucedido. Não vai mudar nada eu ficar buscando agora se foi erro ou não. Eu gosto do Raul. Mas ele não é meu médico. Ele é gastro e quis estar presente naquele momento.

ÉPOCA – Como surgiu a história de que você seria HIV positivo?

Gianecchini – Foi quando procurei o infectologista por causa da dor na garganta e dos gânglios. Logo se espalhou o boato: o cara tem HIV. Nunca desmenti nada. Porque eu ficaria eternamente nesse jogo. Mas agora acho melhor falar, até por respeito às pessoas que gostam de mim e nem comentam comigo. Eu não poderia jamais fazer o tratamento agressivo que fiz se tivesse aids. Primeiro chequei todos os vírus, todas as bactérias, para depois chegar ao câncer. Por isso posso dizer com toda a alegria do meu coração para quem se preocupa realmente comigo: “Eu não tenho aids”. Poderia mostrar um exame aqui, mas não é o caso. Já fui invadido com tantas mentiras absolutamente infundadas. Fui dado como morto. Alguém resolveu soltar essa notícia – e chegou às redações.

ÉPOCA – Foi o que aconteceu também com a história de seu ex-empresário, que disse ter recebido de presente um apartamento seu?

Gianecchini – Outro caso tratado de forma muito leviana. Essa é uma história que tem muitos desdobramentos, que envolve dinheiro, bens e contas. Ele não era meu empresário. Era uma espécie de administrador. Administrava toda a minha vida profissional e até minha casa. Como eu estava sempre viajando, precisava de alguém assim. É uma história que vai levar dez anos na Justiça. Eu o estou processando, porque tem muito dinheiro meu de que ele precisa prestar conta. Não é uma questão amorosa, definitivamente, que está em jogo. Não é uma questão homossexual. Fui ameaçado no meu patrimônio maior, a minha imagem. Mas é uma questão de trabalho, e precisa ser comprovado por A mais B onde foi parar meu dinheiro.

ÉPOCA – Você se considera hétero ou bissexual?

Gianecchini – Penso que essa questão da sexualidade é muito mais complexa do que as pessoas tendem a achar. Cada um tem sua sexualidade. Nunca tive uma história com um homem, nunca fui casado com um homem, nunca tive um romance com um homem. Mas a sexualidade, ou a sedução, é outra coisa. A gente é sexual no dia a dia sem transar. Conheço amigos que seduzem homem, mulher, seduzem a porta. A gente é mais sensual nos trópicos. Mas essas coisas são muito íntimas e, no meu caso, sou tão discreto que, se a história está publicada numa revista como fofoca, pode ter certeza de que é mentira.

ÉPOCA – Sua família é muito religiosa. Qual foi o papel da religião em sua cura?

Gianecchini – Existe uma distinção muito grande entre religião e espiritualidade. Religião é uma coisa às vezes perigosa, manipuladora, cheia de “não faça isso”, “não pode aquilo”. Uma religião pode até conduzir para o sentido contrário da espiritualidade. Respeito todas as religiões, mas acho que só vale o que nos coloca em contato com uma coisa maior. Só a troca nos coloca numa outra dimensão. A troca é o amor, a caridade. Tirar o foco de você e se doar, entrar numa outra sintonia. Como acredito no amor, a imagem que mais me alimenta é a do Cristo. Não me fiz de vítima. Achava que minha jornada seria tão enriquecedora que no final eu acharia tudo uma bênção. Como acho mesmo. Tive a oportunidade de ver como eu podia mudar tanta coisa. 

ÉPOCA – Você chegou a se submeter a tratamento espiritual?

Gianecchini – Não fiz nenhum tratamento miraculoso para me curar. Pessoas no Brasil me procuravam, de todas as crenças e credos. Do rabino a alguém do candomblé, passando por evangélicos, católicos e espíritas. Sempre conversei com todos. Rezo sempre. Fui batizado, fiz primeira comunhão. Adoro ouvir o que as pessoas falam e sou grato por toda a energia positiva que as pessoas me enviaram orando por mim. Mas teve uma hora que precisei abstrair e ir buscar a minha crença.

ÉPOCA – E qual é sua crença?

Gianecchini – Não acredito que alguém vá colocar a mão na minha cabeça e me curar. Mas acredito em outras vidas, na reencarnação. E que é sempre para melhorar que voltamos. Para mim, não faz sentido ter uma vida só. Independentemente de religião, porque não me considero espírita.

ÉPOCA – Pensa em ter filhos?

Gianecchini – Meus amigos do interior falavam já aos 14 anos em casar e ter filhos. Comigo, nunca foi assim. Sempre fui uma alma muito solta. Adoro criança e sou um ótimo tio dos filhos de meus amigos, brinco a tarde inteira, mas depois devolvo – “vai com papai” –, porque eu fico exausto. Mas é verdade que, depois de encarar a morte, minha doença e a do meu pai, a ideia de ter um filho tem rondado minha cabeça. Mexe um pouco com o ciclo da vida, o sentido de tudo. Meu pai vinha passar as férias comigo. Geralmente no Rio de Janeiro. Mas a gente não participava tanto da vida um do outro. Ele ficou doente em janeiro do ano passado e já deram seis meses de vida para ele. Tenho certeza de que vou ser um pai incrível, muito presente.

ÉPOCA – Quando você ficou solteiro, passou a usar uma camiseta com a inscrição “Me pega”. Era um convite às mulheres?

Gianecchini – Faltou informação nisso. Era uma fase em que eu estava meio soltinho, querendo curtir a vida. Homem é muito mais solto, separa o sexo mais facilmente. Vi uma frase: “Me pega mas não se apega”. E mandei fazer a camiseta, só que o complemento da frase estava nas costas e ninguém fotografou. As mulheres se apegam. Não dá para curtir um pouco de sexo sem se apegar tanto?

ÉPOCA – Você disse que hoje as mulheres estão oferecidas demais.

Gianecchini – É, acho mais graça na sutileza. Pode esfregar o peito na minha cara, mas depois. Primeiro me conquista. Claro que às vezes tem uma graça na sedução barata. Homem pode ser bagaceiro demais. Mas a mulherada perdeu um pouco o rumo. Tem mulher que chega assim: vai me comer ou não? Porque, se não me comer, é gay. Logo respondo: não vou te comer e não sou gay. Gosto de mulher ousada, mas os dois precisam ter a sensibilidade de saber como chegar lá.

ÉPOCA – Se você brincasse Carnaval de que se fantasiaria?

Gianecchini – Não costumo pular, mas adoro bloco de rua. Os amigos me convenceram no ano passado que eu tinha de me fantasiar. Ninguém me reconheceu. Uma sensação muito boa. Eu fiquei muito, muito feio. Coloquei uns dentes enormes para fora. Acabou meu sorriso, é como se tivesse uma outra boca. Botei uns óculos e um negócio na cabeça. Curti horrores a tarde inteira no Leblon. Voltei para casa de ônibus e ninguém desconfiava, meus amigos riam muito. E a graça era só essa, porque eu não ia pegar ninguém com aquela cara.

ÉPOCA – O que o atrai numa mulher?

Gianecchini – Gosto de mulher forte. Tenho admiração. Diferentemente da maioria dos homens que costuma se concentrar se a bundinha está durinha, para mim o que é sexy é um conjunto de coisas, e a inteligência faz parte disso. No caso da Marília, tem vários fatores que a deixam super sexy. Não só a inteligência, mas a postura, a segurança, uma coisa de peitar o mundo. Quando as pessoas criticavam e preferiam acreditar que eu era gay por estar com uma mulher mais velha que não era “a gatinha”, eu falava: “Vocês não entendem nada do que é uma mulher sexy, ou têm outro conceito”. Tenho muita dificuldade em levar uma relação com uma pessoa que só tenha uma bundinha e um peitinho, pode ser uma delícia uma noite, mas ter uma relação envolve muitas coisas. Fui criado no universo feminino, com mãe, tias, vizinhas, primas, irmãs. Aprendi a respeitar a natureza da mulher. Nós, homens, somos mais escrachados. Mas gosto muito de ser um homem sensível.

ÉPOCA – Sua mãe disse que você nunca chorou de tristeza durante o tratamento.

Gianecchini – É louco eu falar isso, mas nem sei se tive momentos de tristeza. Eu pensava: tenho de ter uma participação ativa na minha cura. Não quero ficar aqui sentado na minha cama de hospital recebendo os remédios. Para falar a verdade, só chorei de emoção ao constatar o amor que vinha para mim. Uma carta ou uma pessoa que me parava no hospital com um sorriso enorme, força, estou junto com você. Falo e me arrepio. Eu embarquei muito nisso. De trazer o amor para mim. Voltar para o sentido real da vida. E o sentido era este: troca. Um aprendizado. Só pode ser esse o sentido. Trocar um olhar de amor. É isso que move a gente para um outro patamar. É isso que faz a gente até se curar.

Blogs e CDL trazem Jamildo Melo para encontro e palestra em Garanhuns

Jornalista Jamildo Melo
Uma parceria entre os blogueiros de Garanhuns e o CDL, na pessoa do seu presidente, Fernando Colto, está possibilitando a vinda à cidade do Blogueiro e Jornalista, Jamildo Melo, ligado ao sistema Jornal do Commercio de Recife.

No primeiro dia de sua visita a suíça pernambucana, na sexta-feira, 02 de março, às 19h, no auditório do CDL, o jornalista irá fazer uma palestra para empresários, representantes da imprensa e sociedade em geral, com o tema, “A Atual Conjuntura Política em Pernambuco e no Brasil”.

Já no segundo dia, sábado (03) às 9h, também no auditório do CDL, Jamildo irá participar do I Encontro de Bloggers do município. Tanto para o encontro, quanto para a palestra, todos os Blogueiros de Garanhuns e Região estão desde já convidados.

A entrada e a inscrição para ambos os eventos será franca. Ao fim do encontro do sábado será servido um almoço para todos os participantes.

INFORMAÇÕES:

1º DIA - Palestra – “A Atual Conjuntura Política em Pernambuco e no Brasil”

Data: Sexta-feira, 02 de Março de 2012

Hora: 19h

Local: CDL Garanhuns, na Praça João Pessoa

2º DIA I Encontro de Bloggers de Garanhuns

Data: Sábado, 03 de Março de 2012

Hora: 9h

Local: CDL Garanhuns, na Praça João Pessoa

Novos advogados fazem juramento da OAB em Garanhuns

Presidente da OAB-Garanhuns, Dr. Paulo Couto / Foto: Kleber Cisneiros
Em Solenidade bastante concorrida, com a presença de muitos familiares e amigos dos novos advogados, de advogados militantes da comarca Garanhuns, do Coordenador do Curso de Direito da Faculdade de Direito de Garanhuns (FDG), Dr. Márcio Bastos de Sá Barreto e do Diretor do Fórum desta Comarca, Dr. José Carlos de Vasconcelos. Registra-se, que esta foi a maior solenidade presidida pelo Dr. Paulo Couto ao longo da sua atual administração. Onde comenta bastante animado:


“Acredito eu, que chegaremos ao término do ano de 2012 com cerca de 500 Advogados vinculados a esta subseccional, em vista, ao excelente índice de aprovação obtido pelos Advogados formados pela FDG, no exame da Ordem”. 

Nomes dos novos advogados que prestaram juramento nesta sexta-feira (24), ingressando na OAB, vinculados a subseccional Garanhuns:

ADELMA LINS DE OLIVEIRA

ADJAMIRO RIBEIRO LOPES

ANNE CAROLINE SILVA MARQUES

CAMILA MARTINA BRUNO LOIOLA

CECÍLIA EVANGELINA CAVALCANTI DUARTE

CÉSAR AUGUSTO DA COSTA RODRIGUES

DAYSE VASCONCELOS XIMENDES

HUGO DE ANDRADE BRASILEIRO

ICARO GODOI SOARES

JOCELINY CAVALCANTE RAMOS DE 

CARVALHO MATOS

JOSÉ TAVARES GONÇALVES

KARINE EVANIELE VILELA

KRÍSSIA BARBOSA SOUTO

MARIA DOLORES MONTEIRO BARBOSA LEITE

RAPHAEL FREITAS DO COUTO SOARES

RAQUEL SOARES MEDEIROS

ROBERTO LAPA

VICTOR HUGO DINIZ DE CARVALHO

VIVIAN REGIA BANDEIRA DE SOUZA

Juntos para derrotar Eduardo

Luiz Carlos, Zé da Luz e Silvino Duarte
Do Blog de Magno Martins

A cidade de Garanhuns, onde o governador Eduardo Campos (PSB) teve uma das mais expressivas vitórias no Estado, saindo das urnas com mais de 90% dos votos, agora pode levá-lo a uma grande derrota. As lideranças locais estão trabalhando nos bastidores para massacrar o prefeito de Lajedo, Antônio João Dourado, lançado pelo Palácio do Campo das Princesas à sucessão daquela cidade do Agreste.

E quem estaria por traz das articulações seria o prefeito Luiz Carlos de Oliveira (PDT), que deu início a campanha contra Antônio João, o ex-prefeito de Caetés, Zé da Luz (PHS) e Silvino Duarte (PSDB), ex-prefeito de Garanhuns. Juntos, o trio quer mostrar ao governador que a cidade não aceita imposição.

Silvino é ficha-suja e não pode candidatar-se a prefeito de Garanhuns, como sonhava. Já Zé da Luz decidiu entrar na briga e montou até uma chapa para enfrentar o candidato do Palácio. Sua vice é Aurora Cristina (PSDB), esposa de Silvino.

O ex-prefeito de Caetés tem motivos de sobra para subir no palanque adversário a Eduardo. A mágoa vem desde 2008, quando foi candidato a prefeito. À época, Eduardo prometeu apoiá-lo e o mandou balançar o maracá, mas na hora ‘H’ um centavo sequer não saiu dos cofres do Palácio para a campanha. A briga por lá promete ser quente!

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Números de Magno Martins batem com pesquisa do PSB em Garanhuns

Nota publicada no Blog do jornalista Magno Martins, nesta sexta-feira (24), revelou números de uma pesquisa que converge com outra contratada por membros do PSB e empresários de Garanhuns, em que Antônio João Dourado - que divide a pré-candidatura do partido com Givaldo Calado de Freitas - aparece com apenas 3% das intenções de votos, e um índice de rejeição que chega aos 68%.

Ainda na Nota, Givaldo estaria se intitulando o candidato do Palácio do Campo das Princesas, algo contrário que ele prega. “Não me intitulo ‘candidato do Palácio do Campo das Princesas’. Até porque é impossível neste momento pontuar quem realmente o é. Certa está minha pré-candidatura. E ela caminha para ser a candidatura do PSB em Garanhuns com o apoio e o entusiasmo do governador Eduardo Campos. Disso nem eu nem os companheiros do partido temos dúvidas. As pesquisas que temos feito nos mostram isso com muita clareza. E batem com os números divulgados pela imprensa da capital. Nós seremos o candidato a prefeito de Garanhuns pelo PSB. Esse é o desejo da grande maioria da população de Garanhuns. E o governador vai apoiar um candidato com condições de ganhar a eleição, apontado, democraticamente, pela população através de pesquisas eleitorais que estão sendo realizadas e continuarão a ser até mais alguns meses.”, explica Calado.

*Da assessoia de imprensa de Givaldo Calado de Freitas

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Em PE, Justiça suspende venda de novas linhas da Tim por 30 dias

Do G1 PE

O juiz Cláudio Kitner, da 2ª Vara da Justiça Federal em Pernambuco, determinou, nesta quinta-feira (23), a suspensão da venda de novas linhas ou assinaturas de telefonia celular pela Tim, por um período de 30 dias. A medida vale apenas para o estado de Pernambuco, com exceção de 17 localidades onde o serviço é prestado exclusivamente pela empresa, e atende a uma ação movida pela Associação Defesa da Cidadania e do Consumidor (Adecon) e pela seção estadual da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-PE).

O processo teve início em dezembro passado. A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) foi convocada como assistente - aquele que não é réu, mas será ouvido pelo juiz por ter informações importantes a fornecer sobre o caso. "Como a Anatel regula o setor, tem que prestar essa informação técnica, se o juiz assim entender", explica Henrique Mariano, presidente da OAB-PE.

Segundo Mariano, a Anatel efetivamente repassou dados técnicos para o magistrado que, em 25 de janeiro último, realizou uma audiência de tentativa de conciliação. "A Tim apresentou considerações técnicas visando um acordo, mas a OAB não aceitou, porque não havia segurança ou garantia de que eles iam cumprir o que estavam dizendo. A Anatel também não tinha condições de avaliar se as medidas seriam suficientes, sem esses equipamentos estarem efetivamente instalados", completa o advogado.

As considerações técnicas a que se refere o presidente da OAB-PE dizem respeito à intenção da Tim em aumentar em 25% a rede instalada em Pernambuco, conforme relata o juiz em sua decisão. O magistrado ressalta que "em 2011, houve um acréscimo de 66% na capacidade da rede instalada. (...) Se esse plano já não foi suficiente para solucionar os graves defeitos na prestação do serviço da Tim, o plano 2012, deveras mais contido, não atenderá o padrão de qualidade exigido". Atualmente, segundo a Anatel, a Tim tem 3.537.369 clientes em Pernambuco.

A decisão do juiz Cláudio Kitner também impede a Tim de realizar contratos de portabilidade - quando clientes de outras telefônicas migram, mantendo o número original - por um período de 30 dias, prazo no qual "a instalação e o perfeito funcionamento dos equipamentos necessários e suficientes para atender às demandas de seus consumidores" deverão ser comprovados. Caso descumpra esse acerto, o juiz estabeleceu para a Tim uma multa de R$ 10 mil por linha, código de acesso, assinatura ou portabilidade comercializados, além de R$ 100 mil por dia de descumprimento da determinação.

"A deficiência na prestação do serviço é um fato notório, reconhecido por todo cidadão pernambucano que é cliente dessa empresa. Os fatos que a OAB apresentou na petição inicial e que ratificamos na audiência foram todos comprovados", afirma Henrique Mariano. Segundo o advogado, na audiência, os representantes da TIM não admitiram os problemas no serviço, alegando que, se o atendimento fosse ruim, não teria tantos clientes.

As localidades nas quais a Tim não deve suspender a comercialização são Betânia, Capoeiras, Dormentes, Gameleira, Inajá, Mirandiba, Orobó, Orocó, Parnamirim, Primavera, Sairé, Santa Cruz, Santa Filomena, Tupanatinga, Tuparetama, Verdejante e Vertentes.

Em nota oficial, a Tim informou que "a partir da confirmação da decisão, observará a determinação judicial", mas não confirmou se vai recorrer ao Tribunal Regional Federal da 5ª Região, que é a segunda instância da Justiça Federal em Pernambuco. Confira, abaixo, a íntegra da nota divulgada pela empresa.

"A Tim informa que a partir da confirmação da decisão observará a determinação judicial. A empresa ressalta que vem realizando investimentos consistentes para o desenvolvimento da sua rede em Pernambuco, visando atender às expectativas dos clientes e aprimorar cada vez mais os serviços prestados. Prova desse compromisso foi o investimento de R$ 80 milhões realizado no Estado, somente em 2011, que incluiu a instalação de mais de 3,8 mil novos equipamentos de transmissão (TRX), aumentando em 66% a base da operadora em Pernambuco, com destaque para uma maior abrangência da cobertura 3G. A companhia seguirá investindo: para o triênio 2012-2014 está programado montante de R$ 250 milhões em infraestrutura que beneficiará diretamente os usuários pernambucanos".

O jornalista Roberto Almeida lança novo livro

Jornalista Roberto Almeida
O jornalista Roberto Almeida, que já tem cinco livros publicados, deve lançar mais um este ano. Já está praticamente pronto e só falta viabilizar os patrocinadores para entregar ao público "Orações", um conjunto de poemas e textos em prosa de fundo religioso. "Escolhia esse título porque os poemas e a prosa que o compõe constituem quase uma unidade, uma prece única, na busca do bem e do encontro com o Criador", explicou o profissional de imprensa.   "Não sou muito religioso, raramente vou à igreja, mesmo assim, às vezes me atrevo a rezar,  convencido de que de alguma maneira alguém lá em cima pode me escutar e interceder no que acontece por aqui. Abaixo um publicamos um poema até então inédito,  que fará parte deste novo livro:

ORAÇÕES DE UMA MARIA

Os campos estavam tristes,
A terra seca, 
Os homens sem mais saber como seguir...

A mulher só esperava, 
A filha agitava o sono,
Animais magros aguardavam a hora de morrer.

Aí veio a chuva
Deixou tudo verde,
Como se fosse um sinal dos céus.

Ela remoçara na força das águas.
A montanha fora removida,
A criança desenganada pelos médicos estava curada,
Deus devolvera à vida aquele lugar.

O milagre viera assustando,
Com raios e trovões.
E tudo provocado pelas orações de uma simples Maria
Escondida nos confins do mundo.

Filho da prefeita de Bom Conselho agora culpa Eduardo Campos por carnaval pífio na cidade

Judith Alapenha, Eduardo Campos e Isaltino Nascimento
Com o titulo, “Prestação de contas - Meu Carnaval”. O jovem Felipe Alapenha em sua página na internet, tenta justificar seus infelizes comentários, sobre, o carnaval da sua terra natal, Bom Conselho, onde sua mãe é prefeita. Com isto, acaba criando ainda mais embaraço para a sua mãe. Pois desta vez, culpa o Governador Eduardo Campos pelo insucesso das festividades de Momo.

“O carnaval em Bom Conselho esse ano, que mais parece ser o tema em questão, pelo que eu percebo, está recebendo mais críticas do que elogios. Ninguém é lunático para dizer o contrário, isso é fato. O que ninguém sabe, ou o que ninguém parece procurar saber, é que o Governo do Estado não firmou convênio com o município esse ano para bancar parte das festividades, como foi nas últimas três edições”. Diz o jovem em sua página na internet.

Desta forma, vemos que o clima entre a administração de Bom Conselho e o governador Eduardo Campos, junto com o secretário dos transportes, Isaltino Nascimento, o qual foi majoritário na cidade quando reeleito deputado estadual, nas últimas eleições em 2010, com a ajuda da prefeita Judith, não anda nada bom. Pois, segundo o próprio filho da prefeita em seu desabafo, a festa só não foi feita como deveria, porque o governo estadual este ano, em plena véspera de eleição, não firmou convênio para mandar dinheiro. Forçando assim, o jovem Felipe a ter que viajar, para poder se divertir com seus amigos, mais abastados, em Olinda e Pesqueira.

Fica então a pergunta: Por que o secretário dos transportes, Isaltino Nascimento, eleito deputado estadual com a ajuda dos votos da cidade, onde foi majoritário, não interveio a favor do pleito da prefeita? Prefeita esta, que, pedindo para os seus conterrâneos confiarem nela, afirmou que se Isaltino fosse reeleito, iria ajudar Bom Conselho. O que aconteceu?

Fica aqui, o espaço aberto para possíveis esclarecimentos por parte da prefeita, se assim tiver interesse.

Mais a frente, ainda explicando os seus comentários no facebook, Felipe entra em várias contradições.

Antes:

“Cometi um crime. Diferentemente de outros jovens da minha idade, com o agravante de ser filho da prefeita de Bom Conselho, eu não poderia ter me ausentado da cidade durante a folia de momo. Optei ir pra Pesqueira”.

Logo depois:

“Também não posso ser hostilizado por optar não passar o carnaval em minha cidade. Quantos conterrâneos eu já não vi nas ladeiras de Olinda, em outros carnavais? Pelo fato de ser filho da prefeita eu sou diferente deles”? 

Fica assim evidente, que o jovem estar um pouco confuso, como se pode notar. Ele não sabe ao certo se deveria ter ficado na cidade, ou se deveria ter ido para Olinda e Pesqueira, como de fato foi.

Continuando, entra ainda em mais contradições, vejam:

Primeiro diz:

“Não tenho condições de sair de Bom Conselho na hora que quero. Eu trabalho, tenho minhas obrigações. Por sorte, consegui adaptar minha escala de plantões e atendimento ambulatorial de um forma que me permitisse viajar esse ano”.

Depois, logo em seguida, diz:

“O mais curioso disso tudo é que, na mesma rede social, no ano passado, eu comentei, da mesma forma, que estava viajando para Olinda, para passar o carnaval por lá”.

Primeiro diz que por trabalhar muito, mal pode sair de Bom Conselho, dando a entender que só este ano conseguiu trocar os plantões para poder viajar, depois diz que no ano passado fez a mesma coisa e ninguém disse nada. 

Não esquecendo, que logo acima, quando culpa o governador Eduardo Campos pelo insucesso do carnaval deste ano na sua cidade, diz que nos três primeiros anos da administração da sua mãe, até o ano passado, os convênios foram fechados, podendo se fazer uma boa festa. Mesmo assim, ainda foi para Olinda. Como diz.

Em seguida, cria um mal estar com os moradores de Pesqueira. Quando estava nas festividades daquela cidade, chegou a dizer: “Carnaval? Carnaval é em Pesqueira, viu?”. Agora, com a grande repercussão negativa que teve a sua declaração, que como vimos na postagem abaixo aqui no blog, até na capital pernambucana já chegou, saindo nota no Blog do Magno Martins, diz que não viu nada de mais por lá, não vendo nenhum motivo para elogiar, quando antes elogiou. Vejam: 

Antes:

Trecho do seu facebook já devidamente deletado depois das criticas 


Depois da grande repercussão negativa:


“Visitei pela primeira vez àquela cidade, e não vejo nenhum motivo para não elogiar o que vi por lá”.

Por fim, quando perguntado por uma amiga se iria passar o seu carnaval em Bom Conselho, responde:


Bom Conselho é foda né! Vá lá que eu goste daqui, mas também não é assim... Vai ser em Olinda no Sábado, e o restante em Pesqueira. 


Trecho do seu facebook já devidamente deletado depois das criticas 
Como se vê acima, além de tudo. Ainda diz que passar o carnaval "em Bom Conselho é foda". Que até gosta da cidade. Mas nem tanto. Não ao ponto de passar o seu carnaval por lá. Que iria mesmo era para Olinda e depois Pesqueira. Palavras do próprio Felipe Alapenha. Como se pode constatar no recorte extraído do mural do seu facebook, já devidamente deletado.

O fato, é, que, a prefeita, Judith Alapenha, que estar prefeita, deveria saber que ela e sua família, não são, mas pessoas comuns. São representantes de um cargo, de uma instituição, de um povo, de uma cidade. Servem de exemplo. Neste caso, tem o dever de ficar, sim, na cidade, durante qualquer festividade que se tenha. Sejam elas, carnaval, São João, natal, ano novo, seja ela qual for.  Pois, como já foi dito, servem de exemplo.

Agora. Anunciar que iriam fazer um baita de um carnaval, com grandes atrações, cheio de pompa, e, na hora H, pegarem os seus carros e irem embora. Deixando o povo para trás. E ainda por cima, o seu próprio filho, faz duras criticas ao carnaval da sua própria cidade, cidade esta, que sua mãe administra. Que exemplo é este?

Quer viajar? Quer descansar? Quer se divertir? Vão, tem todo o direito. Mas fora destas épocas. Pois, se formos fazer um levantamento em todos os prefeitos aqui da nossa região, nas cidades onde tiveram festa, a maioria ficou em sua cidade.

Até o governador Eduardo Campos, no sábado de Zé Pereira, acordou logo cedo, às 5h da matina, para já, como representante do povo, tomar o café da manhã no forte das cinco pontas, com o galo da madrugada, como faz todos os anos. Só viajando na segunda-feira (20), para assistir ao desfila da Unidos da Tijuca, escola a qual, foi a campeão no carnaval do Rio de Janeiro, homenageando, Luiz Gonzaga, representando assim, o povo de Pernambuco.

Ps. Os trechos entre aspas, na cor vermelha, foram extraídos na integra da página na internet do jovem Felipe Alapenha.

Comentários do filho da prefeita de Bom Conselho repercutem no Blog de Magno Martins

Felipe Alapenha
Parece que os infelizes comentários do filho da prefeita de Bom Conselho, Judith Alapenha, sobre o carnaval de sua cidade, estão longe de acabar. Segundo chegou ao conhecimento do Blog do Kleber Cisneiros, nas rádios, nos blogs e nas ruas da cidade é só no que se fala. Não parando por aí. A coisa esta tomando tamanha proporção que já chegou até à capital, sendo notícia na coluna diária desta quinta-feira (23) no Blog de Magno Martins. Veja abaixo o que diz:

SAIA JUSTA - O filho da prefeita de Bom Conselho, Felipe Alapenha, deixou a mãe Judith Alapenha de saia justa. Em sua página no Facebook, Felipe zombou da festa de momo realizada pela gestora e elogiou os festejos de Olinda e Pesqueira, onde brincaria o Carnaval. “Carnaval? Carnaval é em Pesqueira, viu!” disse o moço, que em seguida postou: “Bom Conselho é ‘F’ né! Vá lá que eu goste daqui, mas também não é assim...”. Os comentários repercutiram mal na cidade. (Rivânia Queiroz - interina)

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Promotora divulga relatório sobre interdição do matadouro de Lajedo


Mal terminou o carnaval e já recebemos e-mail da assessoria do Dr. Pedro Melhor, medico de Lajedo, sobre a real situação do matadouro daquela cidade. Veja a integra do e-mail abaixo:

A VERDADE SEMPRE HAVERÁ DE PREVALECER

Vejam a abaixo o texto de interdição do MATADOURO e tirem suas conclusões.

Abaixo o texto da Promotora de Justiça:


PROCEDIMENTO PREPARATÓRIO Nº 001/2012

O Ministério Público do Estado de Pernambuco, por sua presentante legal, no desempenho de suas atribuições legais que lhe são conferidas pelo art. 129, III, da Constituição Federal, art. 25, IV, alínea a, da Lei n.º 8.625/93, pelo art. 8º, § 1º, da Lei nº 7.347/87 e pela Lei n.º 8.078/90, nos termos da Resolução RES-CSMP nº 002/08 e, ainda:

CONSIDERANDO que o Ministério Público é instituição permanente, essencial à função jurisdicional do Estado, incumbido da defesa da ordem jurídica, do regime democrático e dos interesses sociais e individuais indisponíveis, segundo disposição contida no caput do artigo 127 da Constituição Federal;

CONSIDERANDO o teor do relatório de vistoria realizado pela ADAGRO (Agência de Defesa e Fiscalização Agropecuária de Pernambuco) no Abatedouro Municipal de Lajedo-PE, dando conta do não atendimento de diversas exigências para seu funcionamento;

CONSIDERANDO que tal relatório foi enviado a esta Promotoria de Justiça pelo Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Justiça do Consumidor do MPPE;

CONSIDERANDO que as exigências apontadas pela ADAGRO buscam salvaguardar a saúde pública e a segurança dos funcionários, dos consumidores e dos produtos;

CONSIDERANDO que a atividade desenvolvida em matadouros é considerada efetiva ou potencialmente poluidora, dependendo de sua localização, construção, instalação, ampliação, modificação e operação, sujeitando-se a prévio licenciamento do órgão ambiental competente (art. 2º, caput e § 1º, da Resolução do CONAMA nº 237/97 e artigo 60, da lei 9.605/98);

CONSIDERANDO que na inspeção realizada no Matadouro Público do Município de Lajedo ficou constatado que seu funcionamento está fora dos padrões técnicos, não se enquadrando na legislação vigente, conforme o relatório e as fotos tiradas durante a inspeção; 

CONSIDERANDO a inadequação e precariedade de funcionamento do Matadouro, no que se refere à precariedade e inadequação das instalações; falta de tratamento dos efluentes; o processo de matança dos animais, de esfola e evisceração; falta de higiene, limpeza e desinfecção nos procedimentos e instalações, conforme detalhadamente descrito no relatório da ADAGRO, em anexo;

CONSIDERANDO a falta de higiene nas operações de abate dos animais, o desrespeito a lei de crimes ambientais (Lei 9.605, de 12/02/1998) no que se refere ao destino dos resíduos líquidos e sólidos oriundos do processo de abate, os quais são jogados diretamente no meio ambiente sem passar por nenhum tipo de tratamento, conforme determina a legislação vigente; 

CONSIDERANDO, ademais, a possibilidade iminente de transmissão de zoonoses, infecções tóxicas alimentares e outras doenças do gênero que constituem grave risco à saúde das pessoas ainda comprometendo o meio ambiente;

CONSIDERANDO, afinal, ser atribuição do Ministério Público a defesa dos interesses difusos, entre os quais avultam os relativos ao meio ambiente e ao consumidor, com a finalidade de prevenir e reparar danos;

CONSIDERANDO a necessidade de atendimentos às exigências da fiscalização agropecuária, a fim de garantir a regularidade no funcionamento do Abatedouro Municipal de Lajedo-PE e sua adequação às normas pertinentes;

RESOLVE, por tais razões instaurar o presente Procedimento Preparatório com o objetivo de apurar a ocorrência de danos ambientais e consumeristas, bem como a necessidade de configurar, na área em referência, as irregularidades apontadas, promovendo diligências para posterior realização de termo de compromisso de ajustamento de conduta, instauração de ação civil pública ou outras medidas judiciais ou, ainda, o arquivamento das peças de informação, nos termos da lei, determinando, de logo, o que se segue:

1) a nomeação do servidora à disposição Maria José Muniz como secretária escrevente, nos termos do art. 8º, § 3º, da RES-CSMP nº 002/08;

2) que, registrado e autuado o presente procedimento, sejam notificados o Sr. Prefeito de Lajedo-PE e o Administrador do Abatedouro, dando-se-lhes ciência dos termos da vistoria da ADAGRO, a fim de que se pronunciem sobre as pendências ali relatadas, no prazo de 15 (quinze) dias;

3)que seja oficiado o Sr. Prefeito Municipal convidando-o a comparecer a reunião pública a ser realizada no dia 16 de janeiro de 2012, às 14:00 horas, no Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Justiça do Consumidor do MPPE;

4) Acaso permaneçam não atendidas as exigências, requisite-se à Agência Pernambucana de Vigilância Sanitária - APEVISA a realização de vistoria no Abatedouro Municipal e a consequente elaboração de laudo pericial, para que se atestem as condições de operação daquele serviço; 

5) que seja encaminhada cópia desta Portaria, por ofício, ao Conselho Superior e à Corregedoria-Geral do Ministério Público, e por meio eletrônico, ao Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Justiça do Consumidor, para fins de conhecimento.

6) Registre-se eletronicamente. Autuem-se os documentos já coletados.

Lajedo, 04 de janeiro de 2012. 

DANIELLY DA SILVA LOPES
Promotora de Justiça

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

“Além de não termos um carnaval decente, ainda temos que aguentar o filho da prefeita zombando conosco”, diz bom-conselhense indignado

Por e-mail, morador de Bom Conselho, o qual pede para não se identificar, pois diz prestar serviço para a prefeitura, pergunta: “Por que a prefeita não faz um carnaval decente na cidade, a altura do de Pesqueira, já que segundo seu filho, Felipe Alapenha, diz em sua página no facebook, ‘lá é que tem carnaval’”?


Também no facebook, quando perguntado pela mesma amiga, antes do inicio do reinado de Momo, se iria passar o carnaval em Bom Conselho, responde: “Bom Conselho é foda né! Vá lá que eu goste daqui, mas também não é assim... Vai ser em Olinda no sábado e o restante em Pesqueira”.


Em outro trecho, já de volta a terra natal, outra amiga posta: "Indo para Olinda. Boa tarde". Felipe responde: “Em Bom Conselho já. Kkkkkkkkkkkkk”. A amiga finaliza: "kkkkkkkkkkkk, Bom Conselho só na quarta-feira ingrata".


Bem, pelo que se vê Felipe Alapenha, filho da prefeita Judith Alapenha, e sua turminha, não gostam muito da cidade onde moram, por que será? Assim, fica a pergunta: Se o carnaval de Bom Conselho não presta, e ele tem medo de ficar e gostar, por que não sugere a sua mãe que melhore a cidade, afinal, já que sabem onde estão as falhas, por que não arrumar?

Realmente não teria nada de mais um simples comentário sobre o carnaval em sua página no facebook, conversando com uma amiga que o chama de "anta". O grande problema, é que sua mãe, Judith Alapenha, é prefeita da sua cidade, Bom Conselho. Por este motivo, deve pensar várias vezes antes de postar algo em uma rede social onde milhares, milhões de pessoas estão acompanhando. No caso acima, acabou dizendo que o carnaval da cidade que a sua mãe administra, não presta. Dando margem a comentários como este do leitor citado.

Veja abaixo e-mail enviado junto com imagens do facebook em anexo:

“Caro Kleber Cisneiros,

Antes de qualquer coisa que lhe dar os parabéns pelo seu trabalho, acompanho todos os dias o seu blog.

O motivo de estar lhe enviando este e-mail é para lhe informar do descaso da prefeita aqui de Bom Conselho para com todos. Por ela poder viajar para bem longe daqui com sua família durante o carnaval, alias, ela não só fica longe da cidade no carnaval, mas na verdade sempre, vive mais fora do que aqui, na verdade ela hoje tem um apartamento no Recife onde mora, e vem aqui só dar expediente alguns dias da semana e vai embora.

Mas vamos ao que interessa, a verdade é que me senti indignando hoje quando entrei no meu facebook e vi uma postagem do Dr. Filhinho (Felipe Alapenha, filho da prefeita, como é conhecido aqui na cidade), dizendo que carnaval bom é o de Pesqueira. Então pergunto: Por que a prefeita não faz um carnaval decente na cidade, a altura do de Pesqueira, já que segundo seu filho, Felipe Alapenha, diz em sua página no facebook, ‘lá é que tem carnaval’?

Além de não termos um carnaval decente, ainda temos que aguentar o filho da prefeita zombando da gente. Este é só um dos descasos que temos de aguentar da atual administração. E nem sabemos a quem reclamar se é com a prefeita ou com o marido dela, que é quem de fato manda, ela só assina.  Mas se for falar de tudo agora não acabo mais.

Segue em anexo o recorte e o endereço da pagina no facebook do Dr. Filho, onde vc vai poder ver a postagem dele hoje. https://www.facebook.com/FelipeAlapenha

Quero agradecer a compreensão, e dizer que não posso aqui me identificar pq presto serviço para prefeitura. Obrigado.”