domingo, 5 de fevereiro de 2012

PF chega a Salvador para prender policiais militares em greve


Da Folha de São Paulo

Quarenta homens do COT (Comando de Operações Táticas) da Polícia Federal desembarcaram neste domingo em Salvador para executar os mandados de prisão expedidos contra integrantes do movimento grevista da Polícia Militar.

Os policiais federais também serão responsáveis pela remoção dos detidos para presídios federais.

Pela manhã, foi preso um dos 12 policiais militares grevistas que tiveram a prisão decretada na semana passada. Segundo a Secretaria de Segurança Pública, o PM é acusado de formação de quadrilha e roubo de um carro da corporação.

Ele é lotado na Coppa (Companhia de Policiamento de Proteção Ambiental) e foi preso pelo comandante da companhia. Além de responder pelos crimes, o policial vai passar por um processo administrativo na própria corporação.

Ontem, o governador da Bahia, Jaques Wagner (PT), disse que os policiais militares em greve cometeram crimes que estão acontecendo em Salvador. Ele também disse que a categoria promove um "banho de sangue" para amedrontar a população.

O governador negou que pretenda autorizar a invasão da Assembleia Legislativa, onde os manifestantes estão acampados. Ainda segundo Wagner, os policiais que tiveram a prisão decretada são líderes do movimento e teriam sido identificados em atos de vandalismo.
Homens do Exército fazem reforço do policiamento do Pelourinho durante greve da Polícia Militar na Bahia / Foto: Adriano Vizoni - Folhapress
MILITARES

Até o final do dia, o contingente de militares das Forças Armadas atuando na Bahia, para garantir a segurança em meio à greve de policiais militares, deverá chegar próximo a 3.500 homens, segundo informou o ministro interino da Defesa e comandante do Exército, general Enzo Martins Peri, após participar da cerimônia de troca da bandeira na Praça dos Três Poderes.

"As ações do Exército [na Bahia] vão muito bem e, até agora está muito positivas, com a presença das tropas circulando pela cidade. Cada vez mais tropas chegam e, até o final do dia, estaremos beirando os 3,5 mil militares em processo por via aérea e terrestre. Isso mostra a determinação do governo federal em apoiar o governo da Bahia nas suas necessidades", disse o general à Agência Brasil.

"Nossa ação é de patrulhamento em conjunto com os policiais militares que não estão de acordo com o movimento, e nossa parte é apoiar o governo do Estado, que é quem conduz as negociações com aqueles que estão envolvidos no movimento [grevista]", completou.

O tenente-coronel Cunha, responsável pelas operações na Bahia, informou que há uma onda de boataria correndo pelo Estado. "Um dos problemas maiores [que estamos vivenciando] é a grande onda de boatos, que já estão sendo combatidos com a presença das nossas tropas, além das policias Militar e Civil, para devolver a sensação de segurança e tranquilidade à população", disse.
Loja é saqueada em Salvador durante a greve da PM; agentes da Força Nacional e militares patrulham ruas / Foto: Arestides Baptista - Agência A Tarde - Folhapress
CRIMES

Dados da Secretaria de Segurança Pública da Bahia apontam que já chega a 84 o número de homicídios na região metropolitana de Salvador durante a greve da Polícia Militar, iniciada na noite da última terça-feira (31). Apenas entre a madrugada e a manhã de hoje, já foram registrados oito mortes desse tipo.

O dia mais violento até o momento foi a última sexta (3) quando 32 pessoas foram mortas. Segundo a secretaria, ocorreram também sete homicídios na região na quarta-feira (1º), 14 na quinta (2) e mais 17 no sábado(4).

No mesmo período da semana passada, o número de homicídios na região metropolitana foi de 41, incluindo todo o domingo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário