domingo, 20 de agosto de 2017

Polo Dominguinhos - Segunda Noite

Givaldo Calado de Freitas


“Agora, pergunto: podemos continuar assim? Vendo o FIG sendo mal aproveitado por milhares que vêm de longe para vê-lo em sua plenitude, mas que só veem parte dele? Ou muito menos que parte dele?”

“Penso que temos razões de sobra para defender um Festival em que nos seja possível, sem maiores esforços, nele, estarmos presentes. Aproveitando-o melhor. Plenamente.”

“Bela noite de FIG, tivemos, ontem. Com o frio se reencontrando, mais intensamente, com Garanhuns. E Garanhuns sendo mais Garanhuns. Pelo Frio. Pelo Festival.”

“De novo na Esplanada?” - perguntaram-me. “De novo? Já?” - arremataram. Mas se são dez noites. Tenho que estar nas dez noites. É assim que venho fazendo desde o primeiro. Sim, desde 1991- respondo. E digo: o FIG não se limita a essas dez noites, não. Na verdade, são dez dias e dez noites. Estas noites que tanto valorizamos certamente que não são os únicos espetáculos do FIG, não. Como se fossem só elas. Mas não são só elas, não. Temos palcos por todos os lados. Inclusive à noite. Além do Palco Dominguinhos, temos o Palco Euclides Dourado, o Palco Cultura Popular, o Palco Pop, o Palco Instrumental, o Palco Mamulengos, o Palco Forró, o Palco Música na Catedral, o Palco Som na Rural. Além das Oficinas. Que são maravilhosas. Por que marcam. Educam. Capacitam. E elas são dez. E, nesta XXVII Edição, a Prefeitura ainda banca o Palco Orquestrando.


Outro ano numa dessas XXVII Edições, disse a mim mesmo: vou estar presente em todos os palcos. Todos! Quase que viajo para o além, e não consegui visitar nem a metade. Eu disse “visitar”.

Por essa, e outras, o nosso FIG é multicultural. Todas as linguagens. Todas! E não tem essa de você comprar ingressos para se fazer presente, não. Tudo às nossas mãos. Tudo!     

Agora, pergunto: podemos continuar assim? Vendo o FIG sendo mal aproveitado por milhares que vêm de longe para vê-lo em sua plenitude, mas que só veem parte dele? Ou muito menos que parte dele? Não seria isso um desperdício, sobretudo quando a ideia é mostrar a todos a grandeza do espetáculo? A razão de ele ser reconhecido como “O Maior Festival Multicultural da América Latina?”

Penso que temos razões de sobra para defender um Festival em que nos seja possível, sem maiores esforços, nele estarmos presentes. Aproveitando-o melhor. Plenamente. Para isso, temos que distendê-lo. E, já. Para ser o Festival que Pernambuco deseja. Que Garanhuns quer. Afinal, não é ele um produto? “O Maior Produto Cultural de Pernambuco?”

Durante esses dias irei dizer de nossas ideias para que nos seja possível, quem sabe no próximo, ou em algum próximo, alcançarmos essa ideal.

Mas, ontem, no Palco Dominguinhos desfilaram Rogério e os Cabras, Maciel Salu, Cantos Rurais: Adiel Luna e Mestre Bule-Bule, Alice Caymmi e Baby do Brasil.

Foram espetáculos que se não agradaram a todo um público presente agradou a muitos. Quem sabe a grande maioria? Agora, é preciso que não se perca de vista a condição de multicultural do Festival.    

Bela noite de FIG, tivemos, ontem. Com o frio se reencontrando, mais intensamente, com Garanhuns. E Garanhuns sendo mais Garanhuns. Pelo Frio. Pelo Festival.


*Figura pública. Advogado de Empresas e Empresário

Sem crise, Paulo Câmara gasta mais de R$ 400 mil só com assinaturas do Jornal do Commercio

O governador Paulo Câmara ao lado do prefeito do Recife, Geraldo Júlio, num momento de intimidade com o empresário e dono do Jornal do Commercio, João Carlos Paes Mendonça

De acordo com matéria publicada no Blog de Noelia Brito, o governador Paulo Câmara vem mostrando que dinheiro não é o problema, pois, por intermédio da Secretaria de Educação, comandada pelo socialista Milton Coelho, ex-presidente do PSB, acaba de liberar um gasto de R$ 410.238,64 com 812 assinaturas do Jornal do Commercio para serem distribuídas entre as bibliotecas das escolas da Rede Pública Estadual.

Ainda de acordo com a matéria da Blogueira, o processo das assinaturas contou com uma inexigibilidade de licitação, o que quer dizer que não houve licitação, decisão está ratificada no dia 16/08/2017 pela Gerência Geral de Licitações da Secretaria comandada por Milton Coelho.

Em plena era da internet e num governo que se gaba de investir tanto em tecnologia, causa espécie tamanho gasto com assinaturas de um único jornal, impresso, para ser distribuído em bibliotecas das escolas estaduais.

Mas quando o dinheiro está sobrando, gestores procuram com que gastar para justificar, perante o Tribunal de Contas, que atingiram os limites mínimos de gastos com Educação. Unindo assim o útil ao agradável...

sábado, 19 de agosto de 2017

Caminho aberto para saída dos Coelhos da Frente Popular

Ministro de Minas e Energia, Fernando Filho (PSB) / Foto: Arthur de Souza/Folha de Pernambuco

O anúncio não foi feito. Nem há data para fazê-lo. Mas os sinais de que o grupo do senador Fernando Bezerra Coelho está perto de anunciar a saída do PSB estão ficando mais frequentes e com maior intensidade. Depois de o senador percorrer os municípios do Sertão do Estado afirmando estar desconfortável no partido, o ministro das Minas e Energia, Fernando Filho (PSB), mostrou que a relação dentro do partido está esgarçada, a ponto de não lembrar quando teve um encontro de trabalho com o governador Paulo Câmara.

“Faz tempo que não tenho conversado com ele. Recentemente nos encontramos no casamento do prefeito de Petrolina (Miguel Coelho, PSB). (Encontro de trabalho) Já tem algum tempo. Estou tentando lembrar aqui, mas não consigo lembrar. Mas eu estou à disposição do governador e da administração para dar a contribuição”, revelou, em entrevista à Rádio Folha FM 96,7, nesta sexta-feira (18).

Segundo o auxiliar ministerial, o tratamento dado pela Executiva Nacional do PSB foi o principal fator de desgaste na relação do seu grupo com a agremiação. Um desconforto que teve como principal motor a votação da reforma trabalhista quando Fernando Filho retornou ao Legislativo para votar à favor da proposta governista, contrariando a orientação da direção partidária que era contra a proposta.

A atitude levou o auxiliar ministerial, 15 deputados federais e dois senadores ao centro de um pedido de expulsão no Conselho de Ética do PSB. A ofensiva da direção nacional e os desgastes no Estado criaram um ambiente cada vez mais insustentável para o grupo dos Coelhos, que passou a adotar um discurso mais independente.

“O que gerou mais desconforto agora foi a forma e a reação em cima desses parlamentares. Na questão estadual se ressaltou alguns pontos aí, nós nunca estivemos representados no Governo do Estado, mas isso não é o mais relevante. A gente sempre buscou ajudar o Governo. Mas é vida que segue”, ponderou.

Ao ser questionado sobre sua nota para a atual gestão do Palácio das Princesas, Fernando Filho disse que não faz avaliações de governos, mas que ouve queixas na parte política sobre “falta de espaço, diálogo e formatação na política pública”.
Considerado a maior aposta do grupo dos Coelhos para a disputa de 2018, Fernando Filho afirmou que sua pretensão inicial é a reeleição, deixando no ar a possibilidade de um projeto alternativo.

“Sou muito feliz com meu mandato e, a princípio, sou candidato à reeleição. Não posso ser candidato nem a senador nem a presidente, porque só terei 34 anos na eleição (é preciso 35). Só posso ser candidato a deputado federal e a governador. Quem tá na vida, tem ambições, quem é vereador quer ser prefeito. O deputado estadual quer ser federal. O federal quer ser governador, o governador quer ser presidente, o gerente que ser diretor e por aí vai”, desconversou. (Blog da Folha)


Confira a entrevista:

Parte 1


Parte 2

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Aos poucos Claudiano Filho vai reunindo as lideranças do Agreste em torno de sua candidatura


Já em seu segundo mandato como deputado estadual, o jovem Claudiano Filho (PP), que mora em Garanhuns desde a sua primeira eleição a quase ou anos, vem mostrando grande desenvoltura na politica.

Filho do ex-deputado Claudiano Martins, o jovem deputado faz jus ao nome do pai. Apesar da pouca idade, Claudiano Filho já mostra uma enorme maturidade e experiência em conquistar novos amigos e aliados, tanto na sua vida pessoal como pública.

Um exemplo disso, nós, do Blog do Cisneiros, testemunhamos no dia de ontem, terça-feira (17), em almoço oferecido por seu pai na fazendo onde mora no município de Itaíba. Onde o deputado recebeu grandes lideranças do Agreste Meridional

Presente ao evento a convite do deputado, nós do Blog do Cisneiros pudemos acompanhar de perto a forma de o jovem Claudiano fazer politica. Ficamos impressionados com a habilidade, afabilidade e a simplicidade com que o jovem Claudiano Filho tratou os ali presentes, conquistando aos poucos cada vez mais a admiração de todos.

Presentes ao encontro estavam os prefeitos de Caetés, Armando Duarte (PTB), Calçado, Expedito Nogueira (PP), Palmeirina, Marcelo Neves (PSB), e Terezinha, Matheus Martins (PSB).

De Caetés também estava presente Lindolfo Almeida (PTB), ex-prefeito da cidade.

De Calçado ao lado do prefeito estiveram o vice-prefeito Cal de Manezinho (PSB), os vereadores Bino (PMDB), Baiano (PR), Zé Mayke (PSB), Marcone (PP), e a secretária de governo Egliny Mascena.


De Palmeirina, acompanhando a comitiva do prefeito, estiveram os vereadores Dorival, Galego de Toinho, Mizé e Toinho Santana, todos do mesmo partido do prefeito, o PSB.

De Terezinha acompanhando o atual prefeito estavam o seu tio e ex-prefeito Alexandre Martins (PSB), o presidente da câmara de vereadores Messias (PR), os outros oito vereadores do município de um total de nove, além de todos os secretários do governo municipal.


De Águas Belas estavam o ex-prefeito Nomeriano Martins (PP), o presidente da câmara de vereadores Melke Malta (PRB) e o também vereador Eunias Murici (PRP).

De Bom Conselho Capitão Boanerges (DEM).

De Iati o ex-prefeito Alexandre Tenório (DEM) acompanhando sua comitiva estiveram os vereadores Alcir Tenório (PRP), Rosilda Tenório (Solidariedade), Sebastião Vitor (PSD), e o suplente de vereador José Cícero (DEM).


De Itaíba Juliano Martins (PP), ex-prefeito Marivaldo Bispo (PMDB), o vereador Aureliano Martins (PHS), Jacir da Lagoa do Bento (PMDB), Tarugo (PSDB), Mário Celso (PR), Esio Tenório (PP).

De Paranatama esteve o vereador Beta Roldão (PSB). Da família Roldão também esteve presente o seu primo de Garanhuns, Luizinho Roldão, chefe de gabinete da vereadora Betânia da Ação Social.

De Garanhuns estiveram os vereadores Ary Jr. (PTB), Gil PM (PHS), Professor Márcio (PHS) e Tonho de Belo do Cal (PSDB).


Representando a vereadora e presidente da câmara dos vereadores de Garanhuns, Carla de Zé de Vilaço (PTB), esteve o seu pai e ex-vereador Zé de Vilaço.

Representando a vereadora Betânia da Ação Social (PTB) esteve o seu chefe de gabinete, Luizinho Roldão como já dissemos, junto com seus primos de Paranatama.

De Garanhuns também estiveram presentes várias lideranças e os assessores do deputado na cidade Abraão Lins e Rafael Peixoto.


O que se vê é que com jeito e muita habilidade Claudiano Filho vai construindo fortes alianças e amizades em praticamente todos os munícipios do Agreste Meridional pernambucano. Sejam essas alianças com os prefeitos, ex-prefeitos, vereadores ou lideranças diversas de cada município.

Nós municípios do Agreste onde o deputado ainda não conta com alguma aliança, pretende contar em breve, pois segundo o próprio Claudiano, o trabalho não para, onde o mesmo nos diz que sente prazer um enorme prazer em fazer seu trabalho. Seja dia, noite ou qualquer dia da semana. Não importando se é sábado, domingo ou feriado.

“Amigo Cisneiros, desde já agradeço ao Blog do Cisneiros por estar aqui presente e dizer que gosto do que faço, gosto de ajudar as pessoas, gosto de saber que estou contribuindo para um futuro e uma qualidade de vida melhor para todos os pernambucanos, principalmente para nós do Agreste Meridional, onde somos às vezes tão carentes de alguns serviços e politicas públicas. È meu dever não parar um dia ou minuto sequer de trabalhar em nome todos aqueles que em mim confiam.” Afirma o jovem Claudiano Filho.














FBC encerra giro por 11 cidades e reafirma desconforto com PSB

Fernando Bezerra Coelho visitou Parnamirim, nesta quinta-feira (17) / Foto: Divulgação

Depois de ter trocado Brasília por Pernambuco nesta semana, o senador Fernando Bezerra Coelho (PSB) encerrou nesta quinta-feira (17) o giro de três dias por 11 cidades do Estado. Na última etapa, o senador, que ameaça deixar o PSB, esteve em Salgueiro, Parnamirim, Ouricuri e Santa Cruz da Venerada.

Nos municípios, participou de reuniões com gestores públicos, lideranças políticas e representantes de movimentos sociais, para a prestar contas do mandato e colher demandas da sociedade.

“Sou um sertanejo e fiz questão de percorrer primeiro esta região para conversar de perto com os amigos que já me acompanham há muitas lutas. Estamos enfrentando um clima de radicalização dentro do PSB, que abriu processo no Conselho de Ética contra 16 deputados e dois senadores, o que inegavelmente gera muito desconforto para nós”, afirmou o senador, em entrevistas que concedeu a blogs e rádios do Sertão.

Apesar do “desconforto”, FBC acrescentou que vai buscar o entendimento dentro da legenda à qual está filiado desde 2005.

“Se este caminho não for possível, então buscaremos novas alternativas partidárias, para poder continuar realizando nosso trabalho e cumprindo os compromissos assumidos com os pernambucanos e pernambucanas ao longo destes 35 anos de vida pública”, destacou.

O senador avaliou as visitas como positivas e afirmou que pretende continuar percorrendo o estado nos próximos meses, para discutir propostas, receber demandas e debater com a sociedade.

“É fundamental olhar nos olhos das pessoas e ouvir o que elas têm a dizer. Vivemos uma crise, mas não podemos fugir da realidade. Se o momento é difícil devemos nos aproximar ainda mais da população para dialogar, buscar soluções e encontrar caminhos que possamos trilhar juntos”, acrescentou Fernando Bezerra Coelho.

O senador também visitou, durante os últimos dias, os municípios de Petrolina, Floresta, Belém do São Francisco, Dormentes, Orocó, Santa Maria da Boa Vista e Lagoa Grande. (Blog da Folha)

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

E se Lula se encontrar com Renata Campos, em visita ao Recife?

Foto: Roberto Pereira/PSB

Para observadores da cena política local, não seria uma surpresa se, em sua visita ao Estado de Pernambuco, no final do mês, o ex-presidente Lula fosse encontrar-se com a ex-primeira dama do Eestado Renata Campos, viúva do ex-governador Eduardo Campos e uma das pessoas mais influentes no PSB, embora mantendo sempre muita discrição e agindo apenas nos bastidores.

Na semana passada, com muito alarde, o governador Paulo Câmara do PSB se encontrou com o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, tido como o plano B de Lula e do PT, onde foi recebido em almoço no Palácio do Campo das Princesas. Na Rádio Jornal, questionado pelo Blog de Jamildo, Haddad disse que iria discutir com Paulo projetos para o futuro do Brasil. Não negou uma aliança, nem admitiu, fazendo questão de lembrar os bons momentos em que Lula chamava Eduardo Campos de ‘achado de Deus’.

Por sua vez, Paulo Câmara, no meio das polêmicas reformas, já liberou dois de seus escudeiros na bancada federal, os deputados Tadeu Alencar e Danilo Cabral, para votar contra as reformas do governo Temer, se alinhando ao PT na câmara do deputados.

O gesto do ex-presidente no Recife, com Renata Campos, teria o objetivo simbólico de marcar uma reaproximação entre os aliados históricos, cuja parceria foi rompida no governo Dilma, quando Eduardo Campos tentou voo solo e eleger-se presidente da República no pós-Lula. O curioso é que, nesta época, Eduardo Campos e socialistas diziam que PT e PSB já tinham dado o que tinham de dar. Além de todos nós termos vistos socialistas da mais baixa a mais alta cúpula do PSB chegando a acusar o PT pela morte de Eduardo. Séria engraçada se não fosse trágica está forma de se fazer politica.

De acordo com as análises que são feitas nos bastidores, PT e PSB estudam neste momento o melhor cenário para as alianças de 2018.

No caso dos socialistas, a reaproximação com o PT seria importante porque Lula é muito forte eleitoralmente em Pernambuco, em função das obras que fez ao lado de Eduardo Campos, nos dois governos do PSB com o socialista vivo. Diante da suposta ‘fragilidade’ de Paulo Câmara, eleitoralmente, seria importante para o socialista estar no palanque do petista. Dai dizer-se que uma das correntes estaria fortemente defendendo a volta ao passado.

Da mesma forma, esse reencontro com o PT estaria sendo alimentado pela dúvida que assola o PSB. Em crise interna, o PSB não sabe se ruma com os tucanos paulistas (Geraldo Alckmin) ou não. O partido está dividido em relação ao tema e esta situação deve ensejar a saída de alguns dissidentes, como o grupo de FBC, para partidos como Democratas ou PMDB.

No caso da disputa, os petistas avaliam justamente que a ala do PSB local vai ganhar a quebra de braço contra o cacique Márcio França, do PSB de São Paulo, vice de Geraldo Alckmin, em São Paulo, mantendo na presidência do PSB o tarefeiro Carlos Siqueira, mais próximo ao grupo de Geraldo Júlio e Paulo Câmara. Assim, definida a disputa do PSB e o grupo dos dissidentes saindo, caberia ao PT e satélites apresentá-los como dissidentes à direita, em uma situação em que o PT poderia relançar pontes para os socialistas históricos, de olho em uma aliança estratégica para 2018.

Aos poucos, de fato, os palanques vão se formando. Pelo lado dos dissidentes do PSB, o grupo de FBC já fala abertamente nas eleições de 2018, com um projeto próprio. Nesta quarta-feira, foi mais um dia de campanha pelo sertão. Fernando Filho já anuncia apoio para eleições em 2018 pelo interior.

Marília Arraes, Lula e Humberto Costa / Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula

Onde fica a candidatura de Marília Arraes, ao governo do Estado?

Oficialmente, o PT disse que não tem candidato e vai escolher até o final do ano. Neste caso, Marília Arraes seria uma espécie de ‘bode na sala’, usada por Humberto Costa contra a ala do PSB de Renata Campos, a mesma do governador do Estado e o prefeito do Recife.

“Humberto Costa e João Paulo trabalham para levar o PSB de Paulo Câmara a votar em Lula”, conta uma fonte do blog.

A conferir.

(Com informações do Blog do Jamildo)

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Polo Dominguinhos - Primeira Noite

Givaldo Calado de Freitas*


“Primeiro, não, Givaldo, o primeiro foi ontem. Não, aqui, na Esplanada. Mas, ali, pertinho. No Teatro.”
“Os espetáculos dessa primeira noite do Palco Dominguinhos começaram com Amanda Back, passando por Mundo Livre e o grande Geraldo Azevedo com suas lindas e maravilhosas músicas.”
“Justo tributo que seria prestado a Belchior. Desfilaram nessa homenagem Ângela RÔ RÔ, Lira, Cida Moreira, Renata Arruda e Gabi da Pele Preta.”

Cheguei a Esplanada cedo. Estava querendo mesmo assistir ao primeiro show do FIG. “Primeiro, não, Givaldo, o primeiro foi ontem. Não, aqui, na Esplanada. Mas, ali, pertinho, no Teatro” - corrigiram-me.  E não queira eu dizer que não assisti a verdadeiros shows, ontem. Até por que já disse que assisti. E gostei.


Os espetáculos dessa primeira noite do Palco Dominguinhos começaram com Amanda Back, passando por Mundo Livre e o grande Geraldo Azevedo com suas lindas e maravilhosas músicas. Músicas de letras consagradas, que encantam ainda hoje a todos. E que não envelhecem. Que são eternas.

A criatividade e o talento de Geraldo Azevedo lhe confere o bastão de grande mestre do nosso MPB. É Inquestionável.   E gerações hão de passar dizendo o mesmo.


Mas o grande espetáculo da noite estaria por conta do justo tributo que seria prestado a Belchior. Desfilaram nessa homenagem  ngela Ro Ro, Lira, Cida Moreira, Renata Arruda e Gabi da Pele Preta. Um espetáculo à parte. A história musical de Belchior fluía e fluía. E o entusiasmo do público disse alto do quanto o grande cantor, letrista, compositor..., verdadeiro gênio da nossa música popular brasileiro, era querido.

Noite maravilhosa a de ontem. Que promete ser repetida nesses dez dias do XXVII Festival de Inverno de Garanhuns. Que mal começa já se fala do próximo - o XXVIII.   


*Figura pública. Advogado de Empresas e Empresário

STJ confirma condenação de Bolsonaro por danos morais a Maria do Rosário

A deputada Maria do Rosário (PT-RS)
e o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ)
/ Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
A Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) manteve, por unanimidade, decisão da primeira instância que condenou o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) a pagar R$ 10 mil de indenização por danos morais à também deputada Maria do Rosário (PT-RS).

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) condenou Bolsonaro por ter dito, em 2014, que Maria do Rosário não mereceria ser estuprada por ser “muito feia”, não fazendo seu “tipo”. As declarações foram dadas na Câmara e também em entrevista a um jornal.

O deputado foi condenado ainda a publicar uma retratação em jornal de grande circulação e em suas páginas nas redes sociais. Ele ainda não cumpriu nenhuma das determinações da Justiça, agora reiteradas pelo STJ.

A defesa de Bolsonaro argumenta que ele goza de imunidade constitucional, não podendo ser alvo de ações do tipo ou de condenações por palavras que tenha proferido enquanto deputado. Entretanto, a Justiça entendeu até o momento que as declarações dele foram feitas fora do contexto da atividade parlamentar.

Bolsonaro ainda pode recorrer contra a decisão ao Supremo Tribunal Federal (STF). O deputado já é réu em duas ações penais na Corte por causa do mesmo episódio, ambas relatadas pelo ministro Luiz Fux. (Folha de Pernambuco)

Maioria dos governadores de Pernambuco veio da classe média

Inaldo Sampaio / Foto: Colunista
Como bem observa o jornalista Inaldo Sampaio em sua coluna Fogo Cruzado no Jornal Folha de Pernambuco, Pernambuco, historicamente, sempre elegeu políticos de classe média para gerir os seus destinos. É uma tradição que vem de longe, desde 1946, incluindo os que foram eleitos diretamente pelo povo, indiretamente pela Assembleia Legislativa e os vices que concluíram o mandato dos titulares. Veja a lista: Barbosa Lima Sobrinho, Agamenon Magalhães, Etelvino Lins, Cordeiro de Farias, Cid Sampaio, Miguel Arraes, Paulo Guerra, Nilo Coelho, Eraldo Gueiros, Moura Cavalcanti, Marco Maciel, José Ramos, Roberto Magalhães, Gustavo Krause, Miguel Arraes (pós exílio), Carlos Wilson, Joaquim Francisco, Jarbas Vasconcelos, Mendonça Filho, Eduardo Campos, João Lyra Neto e Paulo Câmara. Nilo e João Lyra tinham vínculo com grupos empresariais, mas não chegaram ao poder por causa disto e sim por serem políticos. A exceção que confirma a regra foi Cid, que ganhou a eleição como empresário (1958) após liderar uma campanha contra o Código Tributário.

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Vereador Marinho da Estivas de volta a câmara de vereadores de Garanhuns


Após receber alvará de soltura e ter voltado para sua casa em Garanhuns, o vereador Marinho da Estivas (PHS) concedeu entrevista coletiva em seu retorno a câmara de vereadores da cidade ao lado dos seus advogados, amigos, familiares, simpatizantes e curiosos que ali estavam.

Em sua declaração inicial Marinho se declarou inocente e surpreso com todo o ocorrido, onde se questiona todos os dias “como alguém pode ser tirado do seu convívio, do seu trabalho, do seu lar, do meio da sua família, e ser, sem mais nem menos, jogado numa cela sem direito nem a banho de sol, nem muito menos receber alguma visita sequer dos seus familiares”. Chegando a se emocionar durante sua fala, sendo aparado por sua mãe.

A coletiva teve inicio com a fala da sua banca de advogados, na pessoa do doutor Marinésio Luz, seguindo a declaração de Marinho, finalizando com as perguntas dos repórteres presentes.

Todos os outros acusados junto com o vereador foram soltos com a não finalização do inquérito contendo alguma acusação. Sendo assim, todos foram libertados por força da lei. Bem como Luciana Ferro, que volta junto com Marinho a sua esquipe de gabinete.


Veja a entrevista coletiva completa do vereador Marinho da Estivas na nossa página no facebook:



Veja também a sua entrevista na rádio Marano FM: